Arquivos

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

É o que temos...

É incrível o que se vai lendo pela blogosfera sobre a alienação do terreno das piscinas. Seja nos posts dos respectivos autores, seja nos comentários subsequentes. Ainda pensei em desmontar, aqui no Bancada Norte, a história toda. Mas não vale a pena… Não vale mesmo a pena alimentar polémicas e dar azo a que uma enxurrada de anónimos debitem disparates. Cada vez, chego mais à conclusão de que as pessoas se movem por interesses pessoais e mesquinhos. Tudo serve para deitar abaixo o(s) outro(s). Quem nada faz, é burro porque nada faz. Quem faz alguma coisa, é burro porque não fez coisa nenhuma. Quem muito faz, é porque fez mal… etc, etc, etc… É lamentável, a todos os níveis, a leviandade como, cada qual, aproveita o “diz-se que disse” para tirar as conclusões que mais lhe convém. Pior, quando a leviandade dos anónimos parece contagiar aqueles que têm responsabilidades políticas.
Enfim, que se continue o folclore político (enquanto existam eleições por disputar, tachos por distribuir e protagonismo q.b.) e que ninguém se preocupe com o SC Beira-Mar, nem com as pessoas que o assumiram quando mais ninguém estava disposto a fazê-lo. Só espero é que determinados ir(responsáveis) assumam, com a mesma rapidez que apontam o dedo, a responsabilidade política pelo forte contributo que têm dado para o fim da instituição SC Beira-Mar.
Pergunto eu, o quê que esta gente já deu à causa pública? Alguma vez, na sua vida, empenharam património pessoal por alguma causa colectiva? Seriam capazes de perder dinheiro, arriscar património pessoal, despender o seu tempo e ainda ter que lidar com a inabilidade de terceiros em nome da salvação de uma colectividade na qual não têm qualquer interesse pessoal?
Não me vou alongar mais. Este assunto não merece a pena porque cada um aproveita-o da maneira que mais lhe convém enquanto o principal problema do SC Beira-Mar continua por resolver, continuando no ar a ideia de que o SC Beira-Mar é uma entidade abstracta, que não é uma instituição de Aveiro, não tem utilidade pública, não desenvolve um papel social relevante e sobre a qual os responsáveis políticos não têm qualquer responsabilidade. Mais, quando dá jeito, até serve de arma de arremesso político-partidário…
Vêm aí as eleições do clube e, mais uma vez, todos vão ficar à espera que apareçam uns “loucos” que se arrisquem a tomar conta do clube no pântano para o qual, sobretudo, foi o poder político local que o empurrou. Se nenhum ou nenhuns “loucos” se atravessarem, paciência… A responsabilidade não será de ninguém e poucos se incomodarão, pois na verdade, “estão-se a cagar” para o SC Beira-Mar.

15 comments:

Anónimo disse...

Finalmente o dedo na ferida. É necessario chamar os bois pelos nomes e sobretudo desmascarar os parasitas.
Rui Dias

Carlos Almeida disse...

Este tipo de desabafos parecem-me escusados... Cada um é livre de ter a sua opinião, o problema é as pessoas se esconderem por trás de um "anónimo". Não se pode ligar a este tipo de comentários, o verdadeiro beiramarense , o verdadeiro sócio não tem porque se esconder!
Sobre o cerne da questão das piscinas, axo essencial que a resolução deste protocolo com a câmara seja exposto aos sócios. Mas para tal tem de ser um comunicado da comissaõ administrativa e não por pseudo versões a circular na web. O que se ouve é grave de mais para se continuar a especular daí me parecer essencial um esclarecimento.

Um aparte, apesar de não ser um participante assiduo da Liga BN, apesar de o ter feito em anos anteriores, parece-me lamentavel a fraca organização demonstrada, mesmo quando foi passado o papel de dinamizador do concurso a outra pessoa, penso eu que com o objectivo de melhorara actualização. Não sou ninguem para fazer critcas mas como visitante habitual deste blog, axo que podiam fazer melhor...

Nuno Q. Martins disse...

Caro Rui Dias,

Neste post não chamei nenhum "boi pelo nome". Acho que não o devo fazer, pois nesta vida (não sei se existe outra) devemos abordar as questões sérias com a dignidade que elas merecem. O cumprimento do Prtocolo entre o Beira-Mar e a Autarquia (aprovado em Assembleia Municipal) é vital para o clube que se encontra na situação difícil que se conhece devido, em grande parte, aos compromissos assumidos pela autaquia e que foram sucessivamente "adiados". Ora, acreditando que os executivos camarários não agiram de má fé e que quiseram sempre o melhor para o clube (eu prefiro partir sempre deste pressuposto/presunção de boa fé das pessoas), o fundamental é encontrar soluções viáveis para os problemas que tais incumprimentos provocaram ao clube. Na minha opinião, o Protocolo nos termos e expectativas iniciais seria uma solução possível. No entanto, tal como já referi no post anterior, deixou de o ser. Por isso, defendo a sua renegociação.

Caro Carlos Almeida,

Não entenda o meu texto como um desabafo. Prefiro chamar-lhe uma tentativa de "despertar consciências", sobretudo, de quem tem responsabilidades políticas. E quanto a este propósito, incluo no leque todos os responsáveis políticos que representam o povo, estejam eles no poder ou na oposição. A responsabilidade é algo que considero que deve ser transversal a qualquer cargo de representatividade.
Quanto à Liga BN, terá sido uma falha do João Oliveira, mas tratando-se de um passatempo para os autores e visitantes do BN (eu, pelo menos, entendo-a assim), não me parece grave que a edição desta época comece na próxima jornada.

Por último, pedir desculpa ao "HF" pela não publicação do seu comentário, o qual contém algumas referências que podem ser consideradas ofensivas. Independentemente da responsabilidade criminal que pode recair sobre os administradores do blog, penso que o importante é que a discussão se centre no guião e não nos actores. Ao longo dos últimos anos, este enredo tem conhecido diferentes protagonistas e o resultado é fácil de ver: os protagonistas vão mudando, mas o problema continua a subsistir.
Há um ditado popular que diz "só para a morte é que não há solução". Pois então, talvez se chegue à conclusão que o erro tem residido na abordagem ao problema. Se nos distrairmos a discutir e a censurar as pessoas, ficando à espera que alguém, iluminado, apareça com a "solução mágica", nunca mais sairemos da "cepa torta".

Saudações Beiramarenses.

Anónimo disse...

Continua a dizer uma vergonha e o Beira-Mar vai pagar caro por esta situação.

Luis Almeida

Rui Nunes disse...

Nuno, permite-me discordar do teu post.
Se há por aí comentários, posts e demais palavras sobre o negócio piscinas, é porque o proprio beira-mar deixou alimentar as especulações. Mais uma vez a comunicação a falhar. Bastava uma nota oficial explicativa no site para que pudessemos entender isto melhor. È que sinceramente eu proprio não entendo este negócio e gostava de o ver explicado em sede propria. Mas como já não existem assembleias gerais até às eleições... ficamos com as duvidas?

Nuno Q. Martins disse...

Rui,

Permito sempre que discordem de mim. :)
No entanto, peço-te que não sejas ingénuo. Apesar da CA não ter emitido nenhum comunicado sobre o negócio das piscinas, o Eng. Mano Nunes confirmou publicamente, à comunicação social, a concretização do negócio. Os sócios do Beira-Mar, aqueles que realmente se preocupam com a situação do clube, sabem que existe uma Comissão de Acompanhamento da execução do Protocolo mandatada em Assembleia Geral para "fiscalizar/acompanhar" a Comissão Administrativa.
Os escritos que lamento não partiram de associados do Beira-Mar. Partiram, antes, de pessoas que têm outros interesses e que pretendem aproveitar-se deste assunto. Acredita, meu caro, que nenhum eventual comunicado da CA aos sócios sobre o assunto evitava este alarido. É que para os propósitos de quem anda a semear ventos, basta lançar a polémica para tentar daí retirar dividendos. E é essa a postura que eu lamento, sobretudo, quando parte de pessoas com responsabilidades políticas no concelho.

Abraço.

Rui Nunes disse...

Nuno, não é ser ingénuo.
É ver repetidos erros do passado.
Posso até compreender que seja ventos levantados por interesseiros, mas é o nome do clube que fica em causa. É só abrir a pág.2 do diário de aveiro hoje..

Anónimo disse...

Sr Quintaneiro
O sr não sabe nada da história do Beira Mar e acha que ao fim de vários anos a dar conta dum património da cidade por não terem utilizado o rendimento das piscinas para a sua conservação é que está certo! Agora está na fossa põe-se fora.
O sr faz parte desta gente sem nìvel a quem foi entregue um bem público e que agora está podre, vende-se.
Passe bem

Daniel disse...

Nuno, antes de mais, é bom ter-te de volta a assinares posts no BN.

Apesar de já teres dito que não é nenhum desabafo, é precisamente como um desabafo que este post passa e não vejo mal nenhum nisso.

"Quem anda à chuva, molha-se", já diz o povo. O protagonismo que tens, mesmo que altruista e sem ser um objectivo teu, dos elementos da CA ou dos muitos colaboradores pro bono que têm ajudado o Beira-Mar, tem este lado negativo: desperta invejas dos mesquinhos e dos inuteis, que querem os holofotes da fama nem que seja à custa de quem não merece, dos que sempre tiveram uma opinião, normalmente maldizente, mas que nunca fizeram nenhum, nem mesmo nas suas vidas pessoais.

Pena é que pesem mais os comentários bota a baixo do que o silencio de quem na sua quietude vos reconhece valor.

Aguenta-te!

S.Cruz disse...

Ó Sr.Quintaneiro tenha cuidado pq os anonimos gostam mais de si do que chocolate.
Esses animais querem é poleiro que nem galo e podre são as suas penas e o seu canto.

Nuno Q. Martins disse...

Anónimo das 22:44,

Apesar de não saber quem é, respeito a sua opinião em relação à minha pessoa. Seria útil que tivesse fundamentado essa opinião, mas como não fez, só me resta agradecer o tempo e a atenção que dispensou comigo.

Caro Daniel,

Obrigado pelas tuas palavras. Fico contente por saber que continuas a acompanhar com uma grande envolvência a vida do clube.
Eu cá me aguento. O meu post não serviu para reagir a comentários pessoais, antes, a comentários e textos que têm surgido na blogosfera em que o SC Beira-Mar é utlizado para fins político-partidários exclusivamente eleitoralistas. Isso é que, enquanto Beiramarense, me entristece e preocupa-me seriamente quanto ao futuro da instituição. Apesar das muitas asneiras que as sucessivas direcções do clube têm cometido, o clube tem desempenhado, ao longo dos seus já 87 anos de vida, um papel importante e podia reforçar esse papel no futuro. Julgo que isto devia ser reconhecido e perspectivado por todas as forças políticas locais...

Um abraço.

Nuno Q. Martins disse...

Caro S. Cruz,

Os comentários anónimos têm a credibilidade que cada um lhes quiser dar... Pessoalmente, desconfio sempre de quem não está disponível para assumir o que pensa e o que diz.
Como nesta vida, o importante é ser-se feliz, acredito que esses "anónimos" sejam mais felizes assim, nessa condição.

Um abraço.

Anónimo disse...

"Pergunto eu, o quê que esta gente já deu à causa pública? Alguma vez, na sua vida, empenharam património pessoal por alguma causa colectiva? Seriam capazes de perder dinheiro, arriscar património pessoal, despender o seu tempo e ainda ter que lidar com a inabilidade de terceiros em nome da salvação de uma colectividade na qual não têm qualquer interesse pessoal?" Esses eram os argumentos do Artur Filipe. Parece que estou a ver um deja vu!

Anónimo disse...

Só que o Artur Filipe fez parte da gestão ruinosa que levou o clube onde está. Os actuais dirigentes sem culpa disso ainda estão a contribuir para o clube. Mesmo assim há que dar o mérito a quem arrisca dinheiro para salvar 1 clube. Quer tenha feito as coisas bem ou mal.

Anónimo disse...

Não têm interesse pessoal? Essa agora! quem é que alguma vez te ia conhecer ou ao teu pai se não fosse o BM? Que patrimonio pessoal é que arriscaram? Se arriscaram não sabiam antecipadamente que o podiam perder porque não percebem nada de futebol? Mamem e estejam calados mas é.