Arquivos

terça-feira, 25 de agosto de 2009

A questão da escolha dos capitães de equipa...

Ao contrário do que habitualmente acontece na maioria das equipas de futebol, o critério de escolha dos capitães de equipa do Beira-Mar esta época não foi a antiguidade dos atletas no clube, nem a eleição dos colegas. A equipa técnica, liderada por Leonardo Jardim, decidiu nomear os capitães e comunicar a decisão ao balneário.

-
Pelos vistos, a avaliar por alguns comentários nos blogues, a nomeação de Hugo, Pedro Moreira e Artur como capitães caiu mal a alguns adeptos mas, sobretudo, ao agora "destituído" da função Carlos Fangueiro. O jogador auri-negro emitiu um comunicado no seu site pessoal no qual dá conta do seu sentimento de injustiça pela decisão da equipa técnica.

Pessoalmente, discordo da atitude do Fangueiro ao tornar pública a sua posição. Penso que devia afirmá-la internamente, junto dos responsáveis, não deixando transparecer a ideia de que existe uma divergência entre si e o treinador, a qual o comum adepto é levado a entender como um potencial foco de desunião do balneário.

O Fangueiro e o Fary deixaram de ser os capitães de equipa, mas tal facto não os deve melindrar, pois continuam a ser dois excelentes profissionais, que gostam e defendem o clube em todas as circunstâncias. Isso posso eu afirmar porque tenho a felicidade e o privilégio de conhecer os dois. Além das inquestionáveis qualidades profissionais, atestadas pelos muitos anos que já levam de carreira, são duas pessoas de muito fácil trato, humildes e sempre disponíveis para o diálogo. Têm carisma e são muito respeitados pelos colegas, pelos dirigentes e pelos adeptos. Contudo, ambos devem compreender que o treinador é o principal responsável pela equipa. No futebol, quando as coisas correm mal, já se sabe que geralmente é a cabeça do treinador a primeira a rolar... Por isso, por mais que os dois se possam sentir frustrados com a escolha do treinador, devem aceitá-la e respeitá-la, continuando a desempenhar a profissão com a mesma motivação, pois os líderes de um grupo não se afirmam por envergarem uma braçadeira, mas sim, pelo respeito e admiração que os colegas de equipa, os adversários, os árbitros, os dirigentes e os adeptos lhes dedicam.
-
Sendo o treinador o principal responsável pelo grupo e pelos resultados do mesmo, tem toda a legitimidade para escolher quais os elementos que lhe dão mais confiança para o exercício de determinada função, da mesma forma que é ele quem decide o "onze" em cada jogo, o sistema táctico, etc. Certamente, não haverá ninguém que pretenda mais o sucesso da equipa do que ele próprio.
-
Agora, o importante é concentrar esforços no sentido de vencer o Feirense no próximo Domingo e iniciar já a recuperação na tabela classificativa. O Beira-Mar precisa, mais do que nunca, do Fary e do Fangueiro ao melhor nível. Força rapazes!!!

12 comments:

Jorge Greno disse...

Haverá alguma razão especial para fazer diferente daquilo que fazem 955 das equipas do mundo?
E porquê apenas agora, quando a época comeuçou h+a quase 2 meses?
Se o treinador já tivesse algum tempo de clube e conhece a casa e a envolvente, ainda poderia admitir que houvesse razões para uma medida destas. Mas com un treinador que ainda não deve saber onde é a Forca ou a Quinta do Gato, não posso concordar com a medida.

JMO disse...

Por natureza, nao gosto de ter um atleta no seu primeiro ano como capitão. Ok, aceito, ainda vá que não vá.

Também me assusta qualquer coisa que os capitães sejam todos indicados pela equipa técnica... Sempre os vi com uma função de unir o grupo e por isso têm que sair do grupo. (a não ser que fosse numa logica de um escolhido pelo grupo, outro pela equuipa técnica e os dois escolhessem o terceiro...

Mas não gosto certamente que as coisas não sejam definidas à partida, sem duvida... já deviam ter comunicado isso aos jogadores, antes do inicio do primeiro jogo oficial!

Jota disse...

Nuno,

Permite-me discordar da tua opinião. Joguei futebol federado durante 13 anos, tive o privilégio de ser capitão em algumas das equipas por onde passei, e a posição agora tomada por parte do LJ, nada tem a ver com o normal comportamento de uma equipa de futebol. Um capitão não tem forçosamente de sair da decisão da equipa técnica, esteja ela ou não a alguns ano no clube, e muito menos de uma votação de entre o grupo (normalmente só serve para criar "grupinhos"). Penso que o capitão é alguém que surge de forma natural, como alguém que sempre representou tudo aquilo que o clube significa. Obviamente que aqui poderemos discutir que cada vez mais o clube tem menos referências sobre si próprio, mas ainda existem algumas... E o treinador escolher para capitães jogadores que entraram com o seu aval pessoal, não colocando aqui as capacidades do Hugo ou do Pedro Moreira em causa, não augura na minha opinião nada de bom para o grupo, e muito menos para a estabilidade do mesmo...

Concordo contigo quando dizes que a posição do Fangueiro deveria ser contida ao mesmo e à equipa técnica/direcção, mas também compreendo a sua tomada de posição. Se assim não fosse, o que pensariam os sócios sobre a decisão do treinador em alterar os capitães? Seriam decisões devido a atitudes menos próprias? Há muita coisa que para o bem de todos os beiramarenses deveriam ser melhor clarificadas... Assim como as contratações e posteriores dispensas... Andará o Beira-Mar a nada em dinheiro, para contratar jogadores e os emprestar ao Avanca? Jogadores como p.ex. o Rui Marcos que não têm mais por onde evoluir?

Cumprimentos,
Jota

Pedro Neves disse...

Nuno, concordo contigo que o Fangueiro talvez tenha errado em tomar publica a sua opinião, mas quem não se sente...
Tb concordo qd dizes que o BM precisa do Fangueiro e do Fary ao seu melhor nível, mas será que decisões destas ajudam a este nosso desejo? Esta decisão é injusta, caricata e mesmo vergonhosa. Infelizmente, este inicio de época, ao nivel da equipa senior de futebol, está a ser fértil em situações que ninguem consegue perceber.
Abraço.

Nuno Q. Martins disse...

Caros,

É legítimo que os sócios e adeptos discordem da decisão do treinador, bem como, dos critérios da mesma. No entanto, continuo a achar que o treinador tem toda a legitimidade para decidir quem são os capitães de equipa. Sobre ele recai toda a responsabilidade sobre as opções que toma.

Saudações Beiramarenses.

Daniel disse...

Quero começar por dizer que, tal como o Co-Adriaanse não gostava de ter guarda-redes como capitães (e por isso o Baia deixou de o ser), eu não concordo que um avançado seja capitão. Avançados têm que ser matadores e preocuparem-se unica e exclusivamente em concluir o trabalho de toda uma equipa; é por isso que são normalmente os mais bem pagos do plantel. Em futebol, os capitães mais eficientes são defesas ou medios, de preferencia centrais.

Não conheço "de balneário" nem o Fangueiro nem o Fary, tal como concerteza o treinador no inicio da época não conhecia, embora seja reconhecido pelo mundo de futebol que se tratam de dois profissionais exemplares. Nada disto coloca isso em causa.

Esta mudança de capitães só se justifica pelo facto de o treinador ter concluido que, para o que ele pretende de um capitão de equipa, os que estavam não serviam.

O Fangueiro, primeiro com a cena de atirar a braçadeira e não cumprimentar os colegas "de banco" e agora ao tornar publica a sua opinião só vem dar razão ao treinador, já que essas atitudes em nada beneficiam o grupo de trabalho. Um bom capitão nunca o teria feito. Se mais gente tivesse reparado na sua atitude aquando da substituição contra o Covilhã mais vozes se teriam levantado a pedir a sua destituição como capitão. Escusado será dizer que das próximas vezes que o Fangueiro jogar, este tema será, para o bem ou para o mal, o centro das justificações da sua performance. Tinha feito muito melhor em estar calado ou, quando muito, lançar um comunicado em que se focasse apenas nas boas recordações de ter sido capitão do Beira-Mar e nada mais do que isso.

Pedro Neves, caro amigo, o treinador, em vez de vir para a comunicação social ou escrever no seu blog a criticar o comportamento do Fangueiro, tomou uma decisão, que é para isso que lhe pagam. Também ele pode invocar como tu bem escreveste que "Quem não se sente...", já que o que o Fangueiro fez é uma falta de respeito para com a instituição que lhe paga e acima de tudo para com o grupo de trabalho que tinha ali um dos seus lideres.

Um detalhe que todos parecem esquecer é que o Artur continua como capitão, sinal de que não foi limpar por capricho, mas escolher com critério.

Quanto à legitimidade do treinador para escolher os seus capitães, creio que nem se discute. Podem pegar com o homem por muita coisa, mas tentar segurar o balneário com pulso firme não me parece que seja motivo para criticas.

Finalmente, em bom rigor, nenhum jogador tem no seu contracto uma clausula a impor o facto de ter de ser capitão. O Fangueiro e o Fary que treinem com muita vontade e que voltem a facturar como o fizeram noutros anos, que continuarão a ser idolos do Beira-Mar e a escrever a sua história, com ou sem braçadeira.

Anónimo disse...

Boas.


Tenho achado toda esta planificação da corrente temporada, ridícula, simplesmente absurda e sem critério.
Desde logo, a opção tomada inicialmente sobre o Diamantino, e evitem vir dizer que não é verdade, pois eu sei que a primeira opção foi o Diamantino!!!
Depois a chegada deste sósia do Alberto João Jardim, que tem a mania que muito sabe, mas que nada sabe, faço melhor que ele se me derem 800 euros... parece barato, não?
Depois a chegada de 20 novos jogadores, e desses 20... despacham 5 ou 6, afinal não percebi uma coisa, somos um clube com dinheiro ou sem dinheiro?
É que clubes sem dinheiro, não fazem isto.
Que raio de treinador é este, que traz um seu antigo jogador do chaves à experiência, assina contrato, e depois é dispensado? Mas que merda é esta?
O Sr.Nuno diz que o treinador é responsável pelo grupo, e para definir o mesmo? Mas tire-me lá uma duvida, também é ele que vai pagar ao Tero já que ele não quer rescindir?!?
Tratou-se mal o Palatsi, que pode ter errado muito, mas é e sempre será, uma pessoa querida ao clube,e como não tiveram razão para a rescisão, admitiram no de novo, como se não bastasse isso,Vamos lá tratar mal, o SENHOR Fary.
Enfim.
Quem raio é o Hugo ou o Pedro Moreira? Podem ser excelentes profissionais, mas que provas de amor ao clube deram até à data? Um deles, até foi eleito capitão antes se quer de se estrear!
Mas que palhaçada vem a ser esta?

Diogo disse...

Nuno,

a legitimidade que o Leonardo Jardim tem para nomear os capitães do plantel não está em causa. O que está em causa é a sua capacidade de decisões acertadas.

Domingo, e apesar de ser Beiramarense não vejo o Beira-Mar a ganhar ao Feirense.

Como sócio, entre muitos outros, estou descontente pelo nome do clube ser falado por muitos orgãos de comunicação social sobre o negócio das piscinas. Estou também desagradado por Leonardo Jardim "ir ao saco e tirar 3 nomes" á sorte para eleger os capitães. Ao olhar para isto vejo que o Fangueiro e o Fary não vão ser opção para a equipa titular. ISSO PREOCUPA!

Em relação ao comunicado do Fangueiro no seu site oficial não creio que seja um erro mas até uma mais valia. Porquê? Porque assim conseguimos perceber que o Beira-Mar se está a afundar desde o Topo aos melhores jogadores do Plantel.

A legitimidade que o Leonardo Jardim tem para eleger os capitães é a mesma que o Fangueiro tem para discordar dela nos mesmos locais que a sua distituição foi divulgada.

Se o melhor marcador da equipa e o melhor jogador da liga vitális do ano passado não é capitão da sua equipa... é ridículo. O Fangueiro mostrou que sabe desempenhar a função de capitão e que é um bom líder.

Sempre defendi que o treinador precisava de tempo para conhecer o plantel, mas a partir do momento em que ele acha que um capitão é aquele que chegou à 1/2 semanas vejo que não devia ter defendido o tal "tempo de adaptação".

Ainda bem que não estou constipado...

Pedro Nuno disse...

Já li o comunicado do Fangueiro e apoio-o incondicionalmente, apesar de também concordar que não devia dar a sua opinião através do seu site, a não ser que primeiramente falasse com o treinador, membros da comissão ou até colegas de equipa.
Sinceramente não percebo como é que o Hugo, chegado ao Beira Mar a apenas três semanas, é nomeado capitão. NÃO HÁ PALAVRAS!!!! Ou das duas uma: o mister Leonardo não está bem da cabeça (já não havia gostado da comparação que ele fez de Aveiro com o Alentejo) ou então há sérios problemas dentro do balneário e se assim é preocupante para os interesses do clube. Pode ser cedo mas a não vinda do Diamantino foi prejudicial para a nossa equipa.
De qualquer das formas todos ao estádio no Domingo.
“AVEIRO E BEIRA MAR SEMPRE”

Anónimo disse...

Não me parece difícil perceber o que levou o Fangueiro a publicar o comunicado no seu site

se ele não o tivesse feito quantos sócios e adeptos do Beira estariam agora a comentar que para ele ter sido destituído foi porque de certeza teve atitudes de mau profissional (por exeº apanhado na noite, ter agredido/insultado um companheiro, etc)? um jogador que foi o capitão de equipa e que já leva vários anos de profissional ia agora andar com este tipo de desconfianças dos sócios em cima dele a época inteira?!de que outra maneira poderia ele "limpar" a sua imagem perante os sócios?

E convém reflectir no seguinte: esta alteração de capitães não foi feita antes dos jogos oficiais começarem que é quando todas as equipas técnicas de bom senso o fazem, mas já com a época em curso e quando os jogadores em causa já usaram a braçadeira esta época!!isto não revela uma enorme falta de respeito do treinador tanto pelo Fangueiro como pelo Fary?

A mim isto tudo parece-me cada vez mais um "empurrar do barco" de tudo o que seja jogadores mais experientes no plantel, é que da época anterior só restaram mesmo o melhor marcador da equipa na época passada e um histórico do clube...e com estas decisões mesmo esses parecem que estão a mais!

Anónimo disse...

Desculpem mas gostava que me esclarecessem sobre umas dúvidas externas ao tópico:
- Será que a CMA vai (ou não) pagar os juros de mora por todos estes anos em que não cumpriu o protocolo do memorando de entendimento do ema?
- O Beira-Mar vai (ou não) accionar judicialmente a CMA/EMA pelo não pagamento das verbas?
- O Beira-Mar vai continuar no ema? Por quanto tempo?
- Porque é que ninguém esclarece os sócios sobre este e outros assuntos? Tem que ser tudo tão secreto porquê? Medo de alguém? Gostava que as coisas fossem mais transparentes para todos os interessados.

Anónimo disse...

E agora? Ainda falam assim tão mal do LJ? Enfim... é tão fácil criticar e colocar defeitos! Cumprimentos Bruno