Arquivos

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Inflexão?

Não vou tecer comentários nem tentar adivinhar as motivações desta inflexão no discurso de José Cachide. O clube passa por um momento muito complicado e é fundamental unir a massa associativa Beiramarense em torno do objectivo de salvar o Beira-Mar. Por isso, defendo que nesta altura as divergências do passado devem ser encostadas à prateleira. O importante é que se viabilizem soluções directivas para o clube. A autarquia terá, inevitavelmente, um papel muito importante. Mas não menos importante, também os ex-dirigentes, nomeadamente o próprio José Cachide e o ex-presidente Artur Filipe, devem concordar em conceder ao clube um período de carência e cancelar as penhoras sobre o património e créditos do clube. Devem, ainda, aceitar dialogar com os órgãos sociais do clube, designadamente, a Assembleia Geral e o Conselho Geral e respeitar o funcionamento democrático da instituição. É que se estes ex-dirigentes estão realmente interessados na salvação do clube, não consigo entender a ausência dos mesmos nas últimas Assembleias e na última reunião promovida pelo Conselho Geral para a qual foram expressamente convocados. Ainda pegando nas últimas palavras de Artur Filipe ao jornal Record (que parece ser o órgão escolhido pelos ex-dirigentes para tratar os assuntos do clube) em que este ex-dirigente refere que "não vamos retirar as penhoras e ainda bem que não o fizemos porque a demissionária Comissão Administrativa já teria delapidado todo o património do clube" (declarações retiradas da edição em papel do Record de 07-10-09), resta-nos saber se agora, que a CA já não se encontra em funções e por isso, no entendimento do Sr. Artur Filipe, já não poderá "delapidar todo o património do clube", se as penhoras movidas pelos ex-dirigentes serão efectivamente canceladas.
-
Ainda a propósito das declarações de Artur Filipe, cumpre esclarecer o próprio e, eventualmente, alguns associados. Para tal, cito o Art. 53º dos Estatutos do SC Beira-Mar: «O património imobiliário do Clube não poderá ser alienado, hipotecado ou por qualquer forma onerado pela Direcção, sem prévia autorização da Assembleia Geral.».

12 comments:

Anónimo disse...

E a venda das piscinas foi sufragada em AG?
Advogado do Diabo - BM Sempre

Nuno Q. Martins disse...

Caro Advogado do Diabo,

Perante a sua questão, tenho que lhe perguntar em que mundo vive! É claro que a venda das piscinas foi autorizada pela Assembleia Geral do clube convocada para o efeito. Custa-me acreditar que gente que se diz do Beira-Mar nem sequer esteja atenta às convocatórias das Assembleias Gerais... Não me leve a mal, mas isso demonstra um total alheamento da vida do clube, o que muito me entristece.

Vou aproveitar um artigo publicado no portal Notícias de Aveiro para lhe refrescar a memória:

http://www.noticiasdeaveiro.pt/default.asp?c=suplementos&s=3&m=1&p=1&i=3990

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Obrigado pela recordação, mas olhe que o alheamento foi de mais de 2000 sócios.
AD

Nuno Q. Martins disse...

Será, porventura, diferente quantificar o alheamento em relação à presença dos sócios nas Assembleias e o alheamento em relação aos assuntos que nelas são tratados.

Anónimo disse...

O alheamento dos sócios já vem sendo de há muito. Especialmente de um que já não devia ser. Um tal de José Cachide que pelas afirmações que faz nem os regulamentos do clube conhece.

Agora quer-se fazer passar por salvador do património cuja venda tinha de ser aprovada em assembleia. Será por ele nunca aparecer a uma que tem medo de vendas de património?

Cada vez mais ridiculo.

Anónimo disse...

Este blog dá uma no cravo e outra na ferradura.
Conclui ser Cachide a solução para o problema, mas depois vem o prurido no sentido contrário. Por outras palavras, se os anteriores não conseguiram continuar mais ninguém tem capacidade.
Independentemente destas incongruências, perfeitamente visíveis, há uma coisa que me deixa sem resposta. E assim:
Se o Sr. Manuel Madail e o Sr Engenheiro Mano Nunes injectaram dinheiro no início da actividade da Comissão Administrativa, porque não reclamaram esse dinheiro na saída?
Que mistério é este? Ninguém explica? Desistiram do seu dinheiro? Foram ressarcidos? Como?
(Aqui vai mais um post que não sairá. Que saudade do M1922 que tudo queria em pratos limpos)
CAGARÉU CHATEADO

Nuno Q. Martins disse...

Caro "Cagaréu Chateado",

Fiquei surpreendido com a parte final do seu comentário ao referir que "Aqui vai mais um post que não sairá". Ora, não me lembro de ter recusado comentários "assinados" pelo "Cagaréu Chateado", pelo que, sou levado a depreender que será o mesmo autor de alguns comentários anónimos ofensivos e difamatórios que, como tal, não foram aprovados.

Quanto ao conteúdo, em si, do seu comentário, constato que não percebeu nada do que eu escrevi. Quanto a Cachide ser uma solução, não tenho qualquer dado para o afirmar pela simples razão de que não lhe conheço uma ideia que seja em relação ao clube. Apenas leio o que vem na imprensa que se resume a hipotéticas intenções de regressar ao clube.

Relativamente aos Srs. Mano Nunes e Manuel Madaíl, ambos têm dinheiro no clube e desejam, obviamente, que o clube um dia os possa ressarcir. Mas como são pessoas com uma elevada estatura moral, não inviabilizam o surgimento de soluções directivas para o clube por causa dos seus créditos.

Mas se quiser mais pormenores, teremos em breve a AG para votação das contas. A propósito, o "Cagaréu Chateado" teve a oportunidade de indagar directa e pessoalmente o Eng. Mano Nunes na última AG sobre essa questão. Porque não o fez?

Não fique à espera que seja o M1922 a ter que esclarecer tudo e todos e a ter que resolver sempre os problemas directivos do clube, quando o clube tem órgãos próprios, democraticamente eleitos, com essa missão.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Eu gostava de saber porque é que estas pessoas que têm tantas perguntas a atirar para o difamatório nunca estão nas assembleias para falar e darem a cara? Depois montam grandes teorias da conspiração porque vivem alheadas da real situação do clube.

Anónimo disse...

Mas esse sr Cachide achará porventura que os sócios acreditam nele, depois da gestão que levou o BM á presente situação e depois de juntamente com o seu amigo sr. Filipe ter estrangulado toda a possibilidade de vivência do clube com as célebres penhoras que apresentaram contra o BM?...

Anónimo disse...

Ai Nuno, Nuno..

Enquanto nao perceberem que tu es o futuro do Beira-Mar, e enquanto nao tiveres a vontade de avançar, a situaçao nao se torna facil. Os verdadeiros beiramarenses conhecem-te, sabem o que fizeste pelo clube, e sabem que es a sucessao do grande projecto de Mano Nunes. Pena, que esses Cachides que nos arruinaram com os espanhois, ainda queiram ir la buscar dinheiro. Isso sim, é amor ao Beira-Mar! Por isso, ele que se candidate que ja se viu que ama mesmo o clube.

Joao Serra

Anónimo disse...

A mim há uma coisa que me admira muito: neste momento o BM não tem onde se vá buscar mais do que os poucos euros que podem garantir o dia a dia do clube, uma vez que não tem património significativo nem passes de jogadores que valham muitos euros. As penhoras postas pelos dirigentes credores não há dúvida que irão fazer o clube acabar muito brevemente se nada fôr feito em contrário. Ora sendo assim, se o BM acabar, os credores vão mesmo ficar sem o dinheiro que lá têm. Ora sendo assim, como é que eles insistem nesta estratégia de morte do clube? Ou pensam que a Câmara lhes vai dar o dinheiro que deve ao BM (via EMA) depois de ditado o fim do clube? Estranho, no mínimo...

Anónimo disse...

E este Cachide continua numa enorme verborreia pela imprensa. Lá vai fazendo as suas verdades que são no mínimo ridículas. Só na cabeça dele faz sentido penhorar um clube para o salvar de um processo que uma CA nunca podia levar a cabo sem autorização dos sócios. Diz que avança, que avança mas vai arranjando desculpas e não deixa aparecer uma alternativa credível. Que tristeza. Diz ainda que se a CA voltar com alguns dos seus elementos vai ser o funeral do Beira-Mar. Esqueceu-se de referir é que ele é o coveiro.