Arquivos

sábado, 16 de outubro de 2010

Navegar com agitação no mar e a bordo é mais complicado...



Decorreu, ontem à noite, mais uma Assembleia Geral do nosso clube. Sublinho a palavra nosso pois é assim que entendo o SC Beira-Mar, um clube de todos os seus sócios, uma instituição que projecta a nossa cidade no mundo.

Serve este entendimento para lamentar, uma vez mais, a cultura de ataque pessoal e julgamentos de carácter que parece estar enraizada no seio do clube, nada condizente com a responsabilidade que se exige dos seus sócios. Em vez de se discutirem de forma aberta, frontal, com elevação, sem preconceitos e com o “coração aberto” os problemas do clube, nomeadamente, os erros cometidos pelas direcções e comissões administrativas anteriores, dando espaço a que cada um possa explanar livremente as suas convicções relativamente ao futuro do clube, o que se tem assistido, invariavelmente, é à “fulanização” dos problemas do clube, uma constante necessidade de se encontrarem culpados e uma crítica cega fundada em conflitos e antipatias de índole pessoal, sem qualquer escopo construtivo.

Na AG senti-me no dever de intervir. Achei lamentáveis, inoportunos e na sua grande maioria infundados os ataques dirigidos pelo Sr. João Silva, membro da actual direcção, à Comissão Administrativa que foi liderada pelo Eng. º Mano Nunes. Achei ainda mais lamentável, quando percebi que tais ataques tinham como único objectivo cumprir uma vingança desta direcção contra o Eng.º Mano Nunes devido a um desentendimento que tiveram com ele recentemente. Ora, isto não é servir o Beira-Mar. Isto não é servir o desígnio de unir os sócios em torno do clube.

Todos somos humanos e, como tal, todos erramos na vida. Ao contrário de alguns que preferem não falar dos erros, eu defendo precisamente o contrário. Acho que devemos falar abertamente dos erros cometidos como forma de todos aprendermos com eles, sempre na medida em que esse debate promova o desenvolvimento do clube, nunca como meio para se fazerem autênticos “autos de fé” e julgamentos de carácter.

Outro aspecto sobre o qual não quero aqui deixar de reflectir, prende-se como o conceito que temos de «união». É perfeitamente normal que, tratando-se de um valor subjectivo, cada indivíduo possa ter uma concepção diferente do que significa, para si, a união. Ainda mais, quando tratamos de invocá-la no âmbito do clube. Para mim, a união em torno do clube significa colaborar no seu desenvolvimento, ter disponibilidade para lhe dedicar atenção, defendê-lo perante as agressões/ofensas de terceiros, incentivar e contribuir com militância, independentemente de quem sejam as pessoas que, num determinado momento, o dirigem. No entanto, para unir as pessoas em torno de algo, é fundamental que quem dirige o clube apresente objectivos concretos e uma estratégia tendente a prossegui-los bem clara, estando disponível para discutir esses objectivos e essa estratégia com os seus sócios.

De um vez por todas, a direcção que se deixe de auto-vitimizações completamente desnecessárias. Acho que ninguém que tenha dois dedos de testa coloca o Beiramarismo e o empenho dos seus elementos em causa. Contudo, continuo a defender a ideia de que para se construir uma união sólida e profícua para o clube, é necessária uma estratégia bem definida de abordagem aos seus principais problemas, mesmo que, por algum motivo que não se consiga antecipar, a mesma possa vir a falhar, o que continuo a não conseguir vislumbrar. Talvez o defeito seja meu… mas a verdade é que, se no plano desportivo a equipa de futebol está a corresponder, no plano extra-desportivo o clube continua nas “mãos” dos seus credores (em especial dos ex-dirigentes) e sem solução à vista no que diz respeito ao problema com a Câmara Municipal de Aveiro.

Assumo, com a frontalidade que sempre habituei aqueles que comigo lidam, que tenho actualmente um conflito “ideológico” com o clube, pois defendo a constituição de uma SAD para o futebol profissional e um projecto associativo com sustentabilidade para o clube, possibilidade que os dirigentes e sócios recusaram em Abril último. Aceito e respeito, democraticamente, a vontade da maioria. No entanto, continuo e continuarei a reclamar que essa maioria (na qual a actual direcção se insere) seja capaz de propor um rumo que se mostre apto a cumprir o desígnio de salvar o clube no presente e perspectivar a sua prosperidade no futuro. Penso que será melhor aplicada a atenção e o esforço da direcção neste propósito, o qual deve unir os sócios, do que a atacar as direcções e comissões administrativas anteriores, o que só contribui para degradar o ambiente no seio do clube e dividir ainda mais as pessoas.
-
Deixemo-nos de ataques pessoais mesquinhos e sejamos capazes de discutir o clube com abertura e frontalidade. Foi este o apelo que ontem pretendi deixar na AG e que aqui pretendi agora reiterar. Com respeito pelas pessoas e pelo clube.
-
Fotografia do blog Botanabateira

13 comments:

Anónimo disse...

À àgua que tu metes qualquer dia afundas-te

Anónimo disse...

Esta assembleia foi ESPETACULAR, como diria Elio Maia.
A direcção aposta no ataque em vez de jogar à defesa, como está a negociar com o Artur Filipe e Cachide escolheu cono alvo o Mano Nunes.
Não percebi se o director falou como director ou como tecnico de contas, é que uma coisa ou outra porque não pode é assumir os dois papeis.Ou por ignorancia ou por má fé passou toda a despesa paga para o reinado de Mano Nunes.
Espero que alguem clarifique na próxima assembleia mas uma coisa ficou clara as despesas foram licitas, esperemos que as contas a aprovar tambem apresentem despesas licitas.

Nuno Q. Martins disse...

Obrigado ao anónimo das 17:03 pelo seu comentário bastante interessante, oportuno e pleno de conteúdo.

S.Cruz disse...

O filme de no ultimo momento se dizer que é preciso mais tempo para dar uma resposta, já não é de hoje, e o resultado sempre foi mau, basta olhar para a história do Mundo. Uma estratégia antiga que ainda hoje os patos nela caiem.
Quanto à assembleia em si, acho vergonhoso não se aproveitar a ocasião para se falar, e resolver, o que toda a gente ali foi fazer, como foi bem dito por um menbro da mesa.

Ruben disse...

Uma sad nao e resposta para um clube com o no na garganta, e incapaz de gerar receitas. Ha um clube, da 1ºliga que tem mais de 20000 socios pagantes, e que esta com bastantes dificuldades financeiras,tem ate um orçamento para este ano semelhante ao do nosso Beira Mar, nesse caso a SAd de nada ajudou.. mas atençao que isto e apenas a minha opiniao.
saudaçoes beiramarenses,
P.S- Amanha e para ir dar força aos nossos rapazes

Anónimo disse...

Infelizmente não pude estar presente na AG. No entanto, pelo que li aqui, em jornais e outros blogues, julgo ser de salientar que o clube está vivo e com força! A centena de associados na AG é reflexo disso mesmo, assim como, ainda que a situação não seja a mais agradável, existe discussão em torno do clube, existe discórdia, opiniões,etc. Ainda bem!!
Quanto ao conteúdo discutido na AG, obviamente, limito-me a referir que não há legitimidade para tecer qualquer comentário. A decisão do Presidente adiar a AG para 4ª feira parece-me benéfica, pois, por um lado, persegue as negociações e, por outro lado, transpõem publicamente a existência das mesmas, ou seja, transparência e obrigatoriedade dos credores tomarem uma posição pública aquando da decisão.
Resta-me concordar com o Sr.Nuno Quintaneiro em relação à SAD, que, a bem dos associados, em breve, será a única fuga possível! Sinceramente, espero em momento algum, sermos obrigados a ser liderados por quem agora nos quer tanto mal, ressalve-se, legitimamente.
Kanu

Anónimo disse...

Por que não te callas? fazias melhor figura.
J. Silva

Anónimo disse...

Um inteligente até lê num livro em branco..."o tal anónimo"

Anónimo disse...

Quem é que se cala? Aqui ninguém calará e cantarei até que a voz me doa...essa é boa!!!xiu!

Anónimo disse...

A bota não bate com a perdigota.
O Mario Costa disse que o Cachide ficou de dar uma resposta e com o Filipe vão reunir terça-feira, hoje no jornal abola o Cachide diz que não percebeu o que é que proposto no jantar e espera uma proposta concreta.
Em que ficamos? Mais uma trapalhada à vista? Falta de comunicação? Má comunicação?
TicoTico

Anónimo disse...

Não sei o que se passou na assembleia mas sei que os credores da direcção do Artur Filipe não se resume ao Filipe e Cachide mas tambem aos restantes e as penhoras maiores são desses vários e com eles ninguem falou e o Cachiede e Filipe não tem procuração para os representar.
Aqui fica o aviso e quem avisa...

Anónimo disse...

Depois de ler o 1º paragrafo o problema é que os Beiramarenses deixaram o clube chegar a um ponto em que a instituição já não projecta a cidade em lado nenhum e a culpa é de todos os Beiramarenses não é da cidade.
Todos olham apenas para o seu umbigo e isto já vem de há muito tempo, o clube não consegue unir as pessoas muito pelo contrário

Anónimo disse...

Já paravam com a novela mexicana, eu ja nao tenho paciencia em ouvir pessoas a atacar uns aos outros, e que o mano nunes foi o melhor ou a culpa é da camara, ou que a actual direçao nao devia ter feito isto e aquilo. Já é altura de tomar acçao em vez de andar aos ataques e nao se resolver nada. A minha motivaçao para ir as assembleias gerais ver esta novela é 0!!
UNAM-SE CARAMBA!

Rúben Marinho