Arquivos

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Dúvidas que me assistem...

Ponto prévio: Abomino teorias da conspiração, caça às bruxas e busca de fantasmas onde eles não existem... Por isso mesmo, defendo processos transparentes nos quais prevaleça o conteúdo sobre a forma, harmonizando os interesses e procurando soluções conciliatórias que dissipem quaisquer fundamentos geradores de desconfiança.
Posto isto, não posso deixar de reparar que a convocatória para a próxima Assembleia Geral, a realizar no próximo dia 5 de Março, fundamenta-se, nos termos da mesma, nas alíneas b) e c) do artigo 24º dos Estatutos, cuja redacção é a seguinte:
A Assembleia Geral reúne extraordinariamente, em qualquer data:
a) (...)
b) a requerimento da Direcção, do Conselho Fiscal ou do Conselho Geral;
c) a requerimento de dois por cento ou mais sócios efectivos, na plenitude dos seus direitos.
d) (...)
Ora, como é do conhecimento público, esta AG teve origem num grupo de sócios que recolheu assinaturas para o efeito, o que está previsto na aludida alínea c). Desconheço que algum dos órgãos enunciados na alínea b) tenha requerido esta Assembleia. O que se sabe, pois foi divulgado na imprensa, resume-se à intenção manifestada pela direcção de convocar brevemente uma AG para votação do relatório e contas relativo ao exercício 2010-2011, o que não é propriamente a mesma coisa, daí que estranhe esta "colagem" de algum órgão do clube (não sabemos qual) ao grupo de sócios que recolheu as assinaturas.
Ainda no que concerne à convocação desta AG, ao contrário do que seria de esperar, constato que a ordem de trabalhos peticionada no requerimento não se encontra integralmente vertida na convocatória. Segundo o requerimento que foi assinado pelos sócios, " (...) os sócios efectivos abaixo-assinados requerem a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária com o propósito de discutir a situação actual do Clube, com enfoque nas questões que contendem com os pressupostos que estiveram na base da aprovação e constituição da Sociedade Anónima Desportiva para o Futebol Profissional.". No entanto, na convocatória oficial pode ler-se apenas "Análise da situação actual do Sport Clube Beira-Mar.". Admito que para a maioria das pessoas considere esta questão irrelevante, mas cumpre-me alertar que a delimitação do objecto da discussão numa AG é fundamental para que o objectivo da sua convocação seja efectivamente concretizado. A generalização do assunto inscrito na ordem de trabalhos em detrimento duma discussão concreta (legitimamente peticionada pelos sócios), só pode ter como consequência a dispersão dos temas a discutir, o que constitui um relevante contributo para que efectivamente nada de concreto se discuta. Mais uma vez, antecipo o final inconclusivo de mais uma assembleia, em que os sócios e dirigentes, sorridentes, abandonam o auditório, dando palmadinhas nas costas uns dos outros, com a crença que tudo vai bem...
Por último, mas não menos importante, o comunicado sobre a intenção da Mesa da Assembleia Geral prescindir da leitura das actas das assembleias anteriores. Acho estranho que a Mesa tenha tomado agora a iniciativa de alterar a metodologia instituída quando se sabe que o tema peticionado no requerimento apresentado pelos sócios contende, precisamente, com a última assembleia, na qual a constituição da SAD foi aprovada.
Em suma, se tivesse sido respeitado na plenitude o requerimento apresentado pelos sócios, tornava-se óbvia a necessidade - eu diria até imprescindibilidade - de se proceder à leitura da acta da última assembleia, a qual deverá reflectir com exactidão os pressupostos anunciados pela direcção (liquidação do passivo do clube, salvaguarda do pavilhão, transmissão dos trabalhadores do clube para os quadros da SAD, assunção de equipas da Academia de Futebol por parte da SAD, etc.), os quais estiveram na base da decisão de aprovação da constituição da SAD por parte dos sócios. Seria, indubitavelmente, o melhor ponto de partida para a discussão que os sócios pretendem.
Mas enfim, se os sócios não estão para se chatear com estas coisas e aceitam tudo o que lhes dão (pelo menos, tem sido esta a postura dominante da massa associativa do clube), também não serei eu a chatear-me... Apenas realço que fico triste, pois sinto que continua a imperar a ausência de massa crítica, esclarecida e informada em torno do clube, o que tem permitido a prevalência de interesses instalados que muito têm contribuído para o definhamento da instituição. Mais triste fico, quando sinto que este "status quo" parece interessar a quem dirige o clube.
-
* A foto que acompanha este texto serve para ilustrar a minha pessoa, pois as dúvidas que me assistem terão origem, admito, nalgum defeito meu.

14 comments:

Daniel disse...

Nuno, o teu texto, como é habitual, é muito relevante mas não acho que tenhas razão ao dizeres que os sócios não estão para se chatear com estas coisas, essencialmente porque esta AG vai acontecer exactamente porque um bendito grupo de sócios tomou a iniciativa de recolher as assinaturas.
Estes detalhes que apontas passam despercebidos aos olhos menos treinados (onde me incluo) e é por pura ignorancia que não lhes damos o valor que merecem.
Felizmente e, por defeito de formação, temos gente como tu em quem podemos confiar para nos alertar para estes erros.
Decerto que poderás apontar estes erros ao presidente da mesa da AG aquando da reunião e solicitar esclarecimentos durante a própria AG.

C. Silva disse...

A culpa é sempre do Macaco - já estamos é espera que na AG mandes mais umas papaias.
Nas próximas eleições espero que a tua prol se candidate.

Nuno Q. Martins disse...

Caro Daniel,

Quando referi que os sócios não se estão para chatear, salvaguardo obviamente aqueles que constituem honrosas exceções (eles sabem quem são), onde incluo, naturalmente, o grupo de sócios que se mobilizou para recolher as assinaturas necessárias para a convocação desta AG. Contudo, e reafirmo, a maioria dos associados do SC Beira-Mar está a marimbar-se para tudo o que diz respeito à gestão do clube. O que as pessoas querem saber é se o treinador da equipa de futebol é fulano X ou Y, se o jogador N vem para a equipa, etc. Ora, neste contexto, penso que deve partir da iniciativa dos próprios órgãos do clube envolver as pessoas nos assuntos que contendem com a gestão do clube (não me refiro à SAD), até para salvaguarda do futuro da instituição, o que lamentavelmente não tem sido prosseguido.
Um abraço.

Caro C. Silva,

Constato que é um comentador assíduo das minhas papaias. Noto que reconhece que, infelizmente, na maioria das situações, têm sido premonitórias.
Quanto às próximas eleições, fique tranquilo que não sou candidato a nada.
Cumprimentos.

Pedro Nuno Marques disse...

Mentiras, fazer dos sócios parvos e branquear situações: é o que tem sucedido! Estranho é o facto de somente quando se falou em convocar a AG, através (e só) dos sócios, é que as gentes despertaram. Não se iludam: evocar a alínea B é uma fraude. A AG foi convocada porque os sócios o exigiram. Mais nada…!
Bem, escrevo isto ao mesmo tempo que ouço Regala na TN… ahahaha
Acabou de dizer "nunca houve distanciamento entre o Beira-Mar e a SAD". Comédias facéis...

C. Silva disse...

Lamento que o Dr Nuno e sua prol não se coloquem á frente nas próximas eleições pois esperaaria que ou a "coisa" mudaria ou o discurso mudaria.
Saudações BM e atá à AG

Anónimo disse...

Estamos perante o arauto da verdade.

Anónimo disse...

Isto revela bem o que somos, gastamos as energias com a forma quando o importante é a substancia.
António Massa Critica

Luis Castro disse...

DR Nuno: quem está de for racha lenha; assim é fácil mandar bitaites pôr o cu no cepo é que são elas.

Anónimo disse...

Bem, já estou a ver que vamos ter uma providencia cautelar.
A convocatória está errada...
Foskasse

Anónimo disse...

Não se percebe, é uma assembleia geral muito desejada, apoiada e até instrumentalizada pelos mesmos que agoram pensam impugnar.
Santa Paciencia.

Anónimo disse...

Patrão do Servette confirma pedido de falência

O empresário iraniano Majid Pishyar, patrão do Servette, confirmou esta quinta-feira que deu entrada no Tribunal Comercial de Genebra com pedido de falência.

O pedido surge no dia seguinte à exigência da empresa fornecedora de equipamentos do clube, a GIB Sportswear, ter dado entrada também em tribunal com exigência de pagamento de 285 mil francos (cerca de 237 mil euros) por parte do clube.

«Hoje é um dia triste para o Servette», diz Majid Pishyar, que no último verão investiu também na SAD do Beira-Mar. «As últimas semanas têm sido muito difíceis para aqueles que gostam do clube, mas tenho a certeza que fiz todos os esforços para garantir o seu futuro. Ainda assim, tive de tomar uma decisão muito complicada e pedir a falência. N o entanto, continuaremos a lutar pelo Servette», pode ler-se num comunicado divulgado pelo empresário iraniano.

O Servette, recorde-se, tem atualmente como treinador o português João Carlos Pereira, ocupando o quarto lugar do principal campeonato suíço.

16:51 - 01-03-2012

http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=318756

Anónimo disse...

Há mais soluções.

Anónimo disse...

Ficamos a saber que o Nuno não vai ser candidato.... quem perde não é o Nuno!?

Vitor Peixoto.

Anónimo disse...

Táticas