Arquivos

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O Beira é nosso!

“O (A) Dantas (SAD) saberá gramática, saberá sintaxe, saberá medicina, saberá fazer ceias pra cardeais, saberá tudo menos escrever (menos gerir um clube) que é a única coisa que ele (ela) faz!” É por estas e por outras que considero Almada Negreiros um génio da intelectualidade Lusa. Sei que, em parte, lhe falto ao respeito (não sendo minha intenção), tendo em conta que é criminoso associar a sua escrita à SAD: esta gente não merece tanto. Quanto muito podia “ilustrá-los” com um parágrafo do Pacheco Pereira: acentava-lhes melhor, mas julgo que nem isso merecem.
Bastou um pequeno clique, bastou a voz do Povo ouvir-se no estádio para esta SAD mostrar toda a sua vulnerabilidade. Julgavam os sócios “mortos” (estamos bem vivos), julgavam o clube amputado de opinião (temos provado o invés). Ao terceiro golo dos do Sado o Povo, na sua legitimidade, explodiu, insurgindo-se contra a equipa, treinador, SAD e uma Direcção que se deixa manusear à vontade, mesmo tendo dois administradores na Sociedade Anónima: as declarações do Presidente Regala revelam um conformismo assustador, assim como dá a entender que a relação entre a Direcção e a SAD não é das melhores. Uma vez mais a minha vénia à Terra Nova pela análise que faz do momento do clube, assim de como tudo o que o rodeia. Com efeito a culpa nunca é de ninguém, e é aí que aparecem as “avestruzes”, que em outras alturas são “galos e galinhas”, procurando mandar, ordenar e decidir. O problema é esse: todos pensam que mandam, todos procuram um protagonismo fácil, arrogante e banal, não indo muito mais além em termos de moralidade, ética e competência. Que o Beira-Mar é gerido por gente não-beiramarense todos nós sabemos, o problema maior é contornar esse problema. Sugiram coisas! Por outro lado não creio que Rui Bento tenha saído a pedido dos administradores: não se iludam. Saiu porque há muito que não dava mais e por iniciativa própria: possivelmente até lhe pediram para ficar, vá-se lá saber porquê. De qualquer das formas desejo-lhe as maiores felicidades para a sua vida pessoal e profissional.

Na segunda metade da partida, depois do 0-3, alguns sócios da Poente insurgiram-se contra os administradores da SAD, ou não administradores, ou simples empresários (não sei bem o papel de cada um, nem eles): Patrão, Ulisses e Coelho. Um dos mais fogosos foi o antigo Presidente-Adjunto António Cruz, que teve mesmo de ser acalmado. Uma/duas horas depois do jogo resolvi ligar-lhe, tendo estado uns bons 40 minutos à conversa. Nele descortinei um estado de revolta tal que, no fundo, todos os sócios do Beira-Mar partilham. Muito deu ele ao clube, numa altura em que o Beira-Mar estava por um fio, há cerca de dois anos e meio. Desdobrou-se em busca de soluções, contraiu empréstimos junto da banca, colocando o seu património (assim como da esposa) em perigo, tirou do dele para patrocinar as viagens às ilhas, assim como jantares de Natal e não só. Foram três anos a poupar, a não gastar o que não se tinha, para que agora, gente alheia à essência e caracterização da instituição, esteja a “destruir, pouco a pouco, o clube”, segundo o próprio afirmou.
António Cruz demitiu-se em Junho último, por se sentir, legitimamente, traído por promessas feitas em vão (um pouco o que os sócios estarão a sentir). Da conversa registo ainda três pequenos pontos:

- O estágio da pré-época do Beira-Mar estava marcado, há muito, para Gouveia, com gastos controladíssimos. No entanto, Nuno Patrão resolveu transferi-lo para Cantanhede, para espanto de António Cruz, já que ficaria mais caro 7 mil euros. Contudo, bravo Beiramarense, tudo fez para manter o que inicialmente estava previsto e a equipa estagiou mesmo em Gouveia.

- As viagens às ilhas eram realizadas consoante o orçamento de cada agência, sendo escolhida aquela que daria melhores condições em termos financeiros, assim como modalidades de pagamento. Actualmente quem controla essa situação é Nuno Patrão, que elegeu uma empresa da Figueira da Foz.

- O site do clube, anteriormente, era gerido pela Censo Comum, uma empresa de Aveiro, ligada à nossa Universidade e a toda uma vanguarda tecnológica que a caracteriza. Todo esse trabalho era realizado de forma completamente gratuita, com um acordo conseguido pelo Nuno Quintaneiro, aquando da sua colaboração com a Comissão Administrativa. Actualmente o site do nosso clube é controlado por uma empresa de… Coimbra (!!!) e pago.

Não compreendo como é que Nuno Patrão continua a dizer que é, somente, gestor de activos. Tenho muitos defeitos (e ainda bem que os tenho) mas não façam das pessoas quadradas, por amor de Deus.
Até o irmão, um tal de Jaime Patrão, já colabora com o Beira-Mar, pedindo-me que mobilizasse pessoal para o jogo com o Sp. Braga, em Janeiro. Na altura ligou-me, apresentando-se, e fez o tal pedido. Não escondo que fiquei admirado, primeiro porque tinha o meu número (dado pelo Pedro Coelho), segundo porque é um jovem que não deverá ter mais de 22/23 anos, natural de Coimbra, que nunca tinha ouvido falar e que estava a colaborar com a SAD do Beira-Mar. Trabalho esse que já me tinha disponibilizado a fazer em Setembro quando me encontrei com Pedro Coelho: nunca me deu uma resposta concreta à minha proposta de trabalho. Mas o Jaime Patrão já por lá andava. Reitero: não façam das pessoas estúpidas! “É uma rêsma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!”:o velho Negreiros a falar.

Pois bem, isto tudo para dizer o seguinte: como ninguém no Universo Beiramarense conhecia Nuno Patrão resolvi, há umas semanas, saber um pouco mais sobre o tal empresário. Tenho um familiar que trabalha no Diário de Coimbra que me disse que já tinha ouvido falar, não o conhecendo pessoal. No entanto garantiu-me que a família é conhecida e está espalhada um pouco por todo o distrito: Coimbra, Cantanhede e Figueira da Foz. Sem querer acusar nada nem ninguém, nem muito menos insinuar (não quero acreditar em coisas) deixo-vos, meus caros, esta pequena curiosidade e julguem como bem entenderem.

Basta pum basta!

15 comments:

Anónimo disse...

Falou-se há bem pouco tempo num clube do sul, mas acho que agora é hora de acontecer no Beira-Mar. VASSOURADA!!! É o que se pede. A mal ou a bem, o Beira é nosso. Os sócios e simpatizantes têm de começar a procurar investidores que juntos possam comprar a parte de Pishiar no clube e fazer uma limpeza geral no clube. Mano Nunes, António Cruz, vários ex-dirigentes unidos podem constituir uma solução para o capital da SAD.

Hugo F.

hugo disse...

caro perdo,

1)o sc beira-mar é uma associção que "pertence" aos seus associados...tem uma direcção para gerir a associação e que deve prestar contas aos associados!

2)o sc beira-mar SAD é uma empresa que pertence maioritariamente ao Sr. Pishyar. neste contexto os administradores desta empresa gerem a empresa à sua vontade.
os sócios do sc beira-mar pouco podem fazer...
aliás, se for a vontade do Sr. Pishyar a empresa sc beira-mar SAD pode fechar...

Não percebo o porquê desta revolta contra uns que são de coimbra, cantanhede, porto, do dubai, da suiça, quando o sc beira-mar SAD é uma empresa...

Anónimo disse...

Que pobreza franciscana.Coitadinho do Beira Mar deste e dos outros

Anónimo disse...

É nosso, mas está na mão de uma troika esquesita.
Não sei como conseguiu tomar o poder, mas tomou. Conseguiu passar empregados a administradores, empresários a decisores, gestores de ativos a administrador-mor sem pelouro.
Regala, isto é inadmissivel.
Temos que expurga do clube destas sanguessugas.

André Raio disse...

É um circo...

Anónimo disse...

Não há responsabilidade.
A culpa é sempre dos outros.

Anónimo disse...

Foste trocado pelo patrão

és mesmo fraco e pequenino

arranja emprego inutil

Anónimo disse...

Nem para os aurinegros levas pessoas quanto mais....

Anónimo disse...

O Fulgor do António Cruz é o mesmo de quando da constituição da SAD, mas nessa altura contra Mano Nunes e a favor do iraniano.
Espetou uma faca a quem confiou nele e o levou para o Clube.

Anónimo disse...

Basta o destilar de ódios!!!!!!

Anónimo disse...

Os divisionistas voltam ao ataque! Perguntem ao Mano Nunes quem o ajudou quando esteve na C.A. Quem espetou a faca foram as pessoas que abandonaram o barco e deixaram o Sr. Cruz sózinho a tomar conta do Clube. O anónimo das 12,43h porventura fez algum empréstimo ao Beira Mar, pondo em risco os seus bens pessoais? (ver crónica do Pedro Nuno Marques)

Anónimo disse...

Muitas verdades e inverdades se dizem por aqui.
O A.Cruz recebeu tudo do Clube e o Mano e Madail ainda estão a arder com mais de 250 mil euros que o Cruz e colegas de direcção não pagaram.
Pois é, a memória é muito linda.

Anónimo disse...

que quer o Cruz, afinal?

Anónimo disse...

As fações tomam fácilmente partido.
Sejam beiramarenses.

Anónimo disse...

Finalmente, hoje, o António Regala assumiu a sua condição de presidente.
Agora que comece a agir e agir é fazer uma limpeza a todos os niveis