Arquivos

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

Linhas Gerais da Candidatura SOMOS BEIRA-MAR!


A Lista “Somos Beira-Mar”, candidata aos Órgãos Sociais do Sport Clube Beira-Mar, que já é por vós conhecida, foi o culminar de vários meses de reflexão, de análise, de trabalho e do contributo e envolvimento de muitos Beiramarenses.
Surge porque temos a consciência que os Beiramarenses precisam de CONFIANÇA, UNIÃO E ESPERANÇA!

Confiança – Esta EQUIPA, composta pelos 7 elementos da direção, pelos elementos que irão compor a Comissão Técnica, pelos elementos da mesa da assembleia geral e do conselho fiscal, bem como, pelos valorosos Beiramarenses que farão parte do Conselho Beiramarense, não são de virar a cara à luta, às dívidas, às pessoas… Bebemos os princípios e honramos o espírito de missão da Tertúlia Beiramarense!
Como é do conhecimento dos sócios, somos presença habitual nas assembleias gerais do clube, dinamizámos iniciativas, secções e colaborámos com várias direções e comissões administrativas.
Queremos que os sócios voltem a acreditar no clube, na direção, nas contas que são apresentadas. Os sócios podem confiar que iremos receber todos, estar com todos e convidar todos. Voltaremos a ter um Provedor dos Sócios! O clube precisa estar unido para se reerguer.

União – Esta equipa pretende unir os Beiramarenses. Juntámos Beiramarenses de todas as gerações. Acreditamos num Beira-Mar único. Estamos comprometidos com o passado de glória e dedicação ao clube.
Juntámos empresários e estudantes, amigos e desavindos, todos imbuídos de um espírito: é que somente todos juntos conseguiremos devolver ao Beira-Mar o estatuto de clube responsável, credível, que devolva a Esperança aos sócios.

Esperança – Somos uma lista comprometida, sem dúvida, com o futuro do Sport Clube Beira-Mar. Se os sócios nos confiarem o seu voto, acreditamos ter um projeto para as futuras gerações, transversal a vários mandatos.

O nosso programa eleitoral será inclusivo. Estamos a convidar os sócios a proporem as suas ideias e medidas e envolvemos neste trabalho toda a lista e membros da comissão de honra.
Tendo em conta a situação atual do Beira-Mar, este programa terá como diretrizes fundamentais a recuperação financeira e patrimonial do clube, a formação desportiva e a reconciliação com os sócios e com a cidade. Mas podemos dar a conhecer aquilo que consideramos fulcral.
As boas relações com a SAD serão fundamentais. Queremos romper com um passado recente marcado pelo conflito.
A SAD, na qual o Beira-Mar também participa, é perspetivada por nós como motor de desenvolvimento do clube. Nesse sentido, ontem mesmo tivemos uma reunião com o Sr. Presidente do Conselho de Administração que correu muitíssimo bem. Teremos na SAD um parceiro estratégico na implementação de iniciativas e campanhas que reaproximarão o clube dos seus sócios, da cidade e da região. Retomaremos projetos como o «Beira-Mar nas Escolas», «Beira-Mar Solidário», «Nascer à Beira-Mar» e outras. Vamos garantir o transporte aos nossos sócios para os jogos de futebol.
Estamos plenamente convictos que as relações com a SAD e com o seu acionista maioritário serão cada vez mais abrangentes, porque partilhamos do mesmo interesse comum: o crescimento do Sport Clube Beira-Mar.
O relacionamento do clube não se esgota na SAD, muito pelo contrário. É fundamental normalizar as relações com as várias entidades da nossa região, potenciando a marca Beira-Mar. A criação de estruturas culturais e lúdicas darão a conhecer um clube diferente a todos os aveirenses, transformando-os em Beiramarenses!
Temos consciência que a situação financeira do clube é débil e a ausência de património é uma triste realidade. Face ao estado do clube, pretendemos, entre outras medidas urgentes, como a negociação do PER, proceder a uma Auditoria Financeira e Inventário de forma a todos conhecerem o real estado do clube.
A nível de planeamento e gestão, trabalharemos com um Orçamento assente nas bases para um clube sustentável: Conseguir obter mais receitas do que despesas, cumprir com os fornecedores e com as dívidas.
No que respeita ao Património, assumimos como prioritária a criação de condições para o desenvolvimento das modalidades existentes e outras que, estrategicamente, pretendemos implementar. Ambicionamos, entre outras modalidades, o regresso do andebol e da natação no Beira-Mar. Assumimos como desígnio máximo para o nosso mandato o lançamento das bases para a edificação duma Academia Desportiva, que integre campos de treino, pavilhão, piscinas e áreas para dinamizar serviços de apoio. Envolveremos parceiros locais que nos estão a apoiar neste grande projeto. Honraremos, desta forma, a memória dos 12 bravos Beiramarenses que, com grande empenho, ergueram o Pavilhão do Sport Clube Beira-Mar que, como é do conhecimento público, tem os dias contados.
Assumimos ainda que, neste processo de transição, garantiremos as condições necessárias para que as nossas modalidades não percam equipas, nem atletas.
Negociaremos com a SAD a possibilidade do clube reassumir a gestão das equipas de formação de futebol de 11.
Ainda no que respeita às modalidades, criaremos o modelo regulamentar das secções e do seu funcionamento interno.
Apostaremos numa Sede do clube no centro da cidade e criaremos uma Sala de Troféus. Será uma fonte de receitas, de motivação e de orgulho para os adeptos que irão tornar-se sócios!
No âmbito da reconciliação dos sócios com o clube, iremos criar parcerias entre empresas e comércio da região de forma a aumentar as vantagens de ser sócio do clube. Ser sócio do Beira-Mar vai valer a pena! Vamos estancar a perda de sócios que se tem acentuado nos últimos anos. Vamos inverter esta tendência e assumir o desejo de rapidamente, pelo menos, triplicar o nosso número de sócios!
Teremos na Universidade um parceiro fundamental na nossa estratégia de desenvolvimento e crescimento do clube.
Porque um clube é muito mais do que o futebol e desporto, a nossa direção irá dedicar recursos significativos a projetos culturais. Assumimos o compromisso: as secções e os projetos desportivos serão a BASE e o PILAR da nossa atuação.
Entendemos que é a altura dos sócios decidirem qual o clube que pretendem. Pela minha parte, é uma honra e um prazer poder estar ao lado destes Beiramarenses de exceção e eleição. Desde 2008, altura em que assumi responsabilidades diretivas – recordo que se vivia uma situação de vazio diretivo -, que a minha ligação ao clube apenas se interrompeu em Junho de 2011, por não concordar com os termos em que a SAD foi constituída. O tempo veio a dar-me razão. Agora, estou disponível para regressar ao meu clube de sempre, mas com um projeto e uma equipa em que acredito.
Durante este percurso, tive oportunidade de conhecer de perto o trabalho desenvolvido no Beira-Mar por algumas das pessoas que agora me acompanham. É um orgulho enorme, para mim, liderar esta equipa marcadamente jovem, mas já com muita experiência no Clube.
Propomo-nos contribuir para reconciliar o Sport Clube Beira-Mar consigo próprio, com a cidade de que é a bandeira mais conhecida, invertendo o ciclo de definhamento que se instalou no nosso Clube.
Sem divisionismos, sem críticas ou acintes pessoais, apostando na reconciliação da família Beiramarense, fazermos, em conjunto, crescer o Sport Clube Beira-Mar. Porque, afinal, todos nós SOMOS BEIRA-MAR!


António Cruz, candidato a Presidente da Direção

domingo, 30 de Março de 2014

2ª Iniciativa do "Pensar o Beira-Mar"


Candidatos à presidência do clube estiveram na assistência, preferindo, nesta altura, ouvir o sentimento dos associados.

As duas listas que vão disputar os orgãos sociais do Beira-Mar, nas eleições do princípio de maio, marcaram terreno no debate organizado ontem pela tertúlia "Pensar Beira-Mar".

A pretexto do tema "Beira-Mar, uma bandeira da região" elementos das candidaturas que devem ir a votos aproveitaram a presença dos sócios para expôr algumas ideias fortes.

O encontro na antiga escola primária do Adro ficou marcado, ainda, pelo regresso a iniciativas ligadas ao clube do ex-presidente Mano Nunes, sem, contudo, fazer qualquer intervenção.

António Regala, atual presidente, voltou também a sentar-se na assistência para ouvir os contributos que a organização pediu a Pedro Silva, ex-vereador da Câmara, especialista em planeamento, e Jorge Silva, presidente da Associação Comercial de Aveiro.

Para Jaime Machado, número dois da atual direção, que deverá acompanhar a recandidatura do presidente,o clube tem vivido "demasiado" para o futebol profissional. O  futuro do clube deve passar, a partir de agora, por "construir infra-estruturas para chamar mais praticantes".

Nuno Quintaneiro, um dos promotores da lista alternativa que vai apresentar os seus rostos a 2 de Abril, deixou já um conjunto de propostas mais vasto, concordando que o clube tem dado "enorme enfoque" no futebol profissional, apesar da "inegável importância" de ter uma equipa competitiva. "Mas também há a dimensão eclética, onde estamos a perder força", sendo imperioso, na sua óptica, "cativar os sócios" atuais e futuros.

Antes, ouviu-se Pedro Silva relevar o potencial do Beira-Mar numa óptica regional. "Um clube de futebol pode dar grande visibilidade, se tiver crescimento, às nossas empresas", lembrou.

Jorge Silva, representante do comércio local, estranha a falta de envolvimento da cidade no clube, mas este também tem as suas culpas no cartório por não saber criar laços. "Esqueçam a Câmara ou as Juntas, o Beira-Mar tem de ter a sua própria identidade e mobilizar quem tem paixão pelo clube", referiu.

quinta-feira, 27 de Março de 2014

Vamos (continuar a) pensar o Beira-Mar!

Com o mote "Beira-Mar a bandeira duma região", surge a segunda iniciativa da plataforma "Pensar o Beira-Mar", a qual contará com oradores que representam algumas das forças vivas da região. Além do magnífico painel de oradores, é esperada ainda a presença na plateia de alguns empresários aveirenses de referência, os quais serão chamados a participar neste debate. É já esta sexta, no auditório da Junta de Freguesia da Vera Cruz, pelas 21:00 horas. A entrada é livre.

sábado, 22 de Fevereiro de 2014

1ª Iniciativa do "Pensar o Beira-Mar"



O Grupo Pensar o Beira-Mar agradece publicamente ao Dr.Gilberto Madaíl, ao Engº. Alberto Roque e ao Carlos André pela participação e reflexões transmitidas, bem como aos sócios e simpatizantes que compareceram de uma forma muito numerosa e construtiva. 

O espírito de elevação e as ideias partilhadas reforçaram a união indispensável e projectaram novos trilhos para voltarmos a ter um Beira-Mar forte.

O nosso muito obrigado ao Pedro Martins pela forma exemplar como conduziu o debate e à Junta de Freguesa da Vera-Cruz por toda a deferência e pelo espaço disponibilizado. 

Agradecemos também a todos os órgãos de comunicação social e ao Aveiro Canal pela cobertura dada ao evento permitindo transmitir aos Beiramarenses que não puderam estar presentes parte da discussão de ontem. 

Contamos com todos para a próxima reflexão. Contamos com todos para a mudança engrandecedora. Viva o Beira-Mar!

 Todos juntos, vamos Pensar o Beira-Mar!

quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014

Comunicado da Mesa da Assembleia Geral

SPORT  CLUB  BEIRA  MAR


MESA  DA  ASSEMBLEIA  GERAL


COMUNICADO  AOS  SÓCIOS



            No passado dia 28 de Janeiro, pelas 22,30 Hs, teve início um Assembleia Geral Extraordinária, cujo único Ponto da Ordem de Trabalhos era a
“ Alteração dos Estatutos do Sport Club Beira Mar “
            Iniciada a Assembleia, cedo contudo se percebeu que tal discussão, na sua generalidade, não se conseguiria levar a cabo, no espaço temporal disponível da noite em causa.
            Em consequência, por deliberação unânime dos Associados presentes na Assembleia, foi a mesma suspensa, tendo sido marcado  o seu reinício, para o próximo dia 25 de Fevereiro, dando-se assim espaço a que os Associados, em reuniões informais preparatórias desde logo calendarizadas, levassem a cabo a discussão exaustiva que tal assunto requer.
            Após a realização de duas reuniões de trabalho, os Associados aí presentes,  foram unânimes em considerar que, apesar dos bons resultados já obtidos, o trabalho encetado, não ficaria concluído até ao dia 25 de Fevereiro, sendo por isso seu entendimento, que o reinício da Assembleia Geral deveria ser adiado, pelo espaço de tempo necessário à conclusão dos trabalhos iniciados.
            Assim, pelos motivos atrás expostos, comunica-se a todos os Associados do Sport Club Beira Mar, o adiamento “ sine die “ do reinício da Assembleia Geral que deveria ter lugar no próximo dia 25 de Fevereiro.
            Logo que seja marcada uma nova data, a mesma será comunicada a todos os Associados, pelos meios habituais.


Aveiro, 19 de Fevereiro de 2014


                                   Paulo Santos
                                   José Alberto Neves


            ( Vice- Presidentes da Mesa da AG do Sport Club Beira Mar )

terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

Vamos pensar o Beira-Mar!

Trata-se duma iniciativa organizada por sócios do Beira-Mar que pretendem prestar um contributo para a reflexão que o SC Beira-Mar há muito carece, tendo como "pano de fundo" o próximo ato eleitoral do clube que se deverá realizar até ao final do próximo mês de Abril.

Quinta-Feira, dia 20/02, às 21 horas, no Auditório da Junta de Freguesia da Vera Cruz.

Além do valioso painel de convidados, estarão ainda presentes elementos das secções do clube, bem como, outras personalidades do universo Beiramarense. Todos terão oportunidade de intervir e partilhar as suas vivências e as suas perspetivas auri-negras.

Espero que esta seja a primeira iniciativa de muitas e que os verdadeiros BEIRAMARENSES compareçam em bom número e ajudem na sua divulgação.

sexta-feira, 31 de Janeiro de 2014

"A prudência é a mãe da segurança"

Escolhi este velho dito popular porque, se há coisa que prezo na vida, é a prudência que nos conduz a juízos mais equilibrados connosco próprios e também com os outros. Como não sou pessoa de acatar julgamentos que podem ser tendencialmente injustos ou exagerados - sejam lá eles contra quem forem -, sinto-me no dever de reagir a estas declarações do Vice-Presidente da SAD, Omar Scafuro, à Rádio Terranova.
Sem falsas e desnecessárias modéstias, tenho uma vivência suficiente da realidade do Beira-Mar - apesar de nunca ter feito diretamente parte de nenhuma gestão - que, apesar de ainda ser jovem, me permite analisar, com conhecimento de causa, os últimos 20 anos do clube. Tal conhecimento resulta do facto de, desde tenra idade, me ter interessado pela vida do Beira-Mar. Lembro-me de aprender a ler com o Diário de Aveiro à minha frente e a fazer recortes - que ainda hoje guardo - das notícias sobre o Beira-Mar. Desde pequenino que ia ao futebol e ao basquetebol com o meu pai. Aos meus 9 anos de idade, pedi ao meu pai, como presente de aniversário, o cartão de sócio do Beira-Mar, apesar dos meninos da minha idade, naquela altura, não precisarem de pagar para assistirem aos jogos. A partir do momento que me tornei sócio, comecei a acompanhar o meu pai às assembleias gerais do clube. Depois, já com 16 anos, veio o gosto pelos grupos organizados de adeptos. Em 1996, integrei os Komandos Duros e, quatro anos depois, em 2000, fundei e presidi à direção dos Ultras Auri-Negros. Em 2001, senão me falha a memória, integrei pela primeira vez o Conselho Geral do Beira-Mar. Em 2005, ano em que criei o Bancada Norte, tive que abdicar da liderança dos UAN e não me recandidatei. Tinha um curso superior para terminar! Em 2006, acedi a colaborar com a academia de futsal. Em 2007, demiti-me do Conselho Geral do Beira-Mar em desacordo profundo com o caminho trilhado pela direção liderada por Artur Filipe. Nessa altura, decidi tentar envolver os sócios num debate alargado sobre a situação do clube. Fui um dos poucos sócios que ousou votar contra as contas que foram apresentadas e censurei publicamente a gestão praticada. Em Maio de 2008, perante o vazio diretivo do clube, empenhei-me fortemente em mobilizar pessoas credíveis para uma solução diretiva para o clube. Em 2010, perante os constrangimentos inerentes às penhoras movidas pelos ex-dirigentes e a ausência de soluções de financiamento para o clube, defendi a constituição duma SAD para o futebol profissional, tendo colaborado num grupo de trabalho que elaborou uma proposta que acabou por ser atraiçoada por quem se tinha comprometido a fazer a sua apresentação e a sua defesa, transformando aquela que devia ser uma decisão estratégica para o clube, num acto de consciência individual de cada um. Em 2011, quando foi tornada pública a intenção da direção do Beira-Mar constituir uma SAD, alertei o presidente António Regala para alguns perigos que devia ter em conta, o qual pura e simplesmente se marimbou para os alertas que lhe fiz. Na Assembleia Geral que aprovou a constituição da SAD, tive a oportunidade de intervir e apelar para que a assembleia aprovasse os pressupostos da constituição da SAD. Ninguém me deu ouvidos. A assembleia estava encantada com o Sr. Pishyar e com a ideia do prometido dinheiro fácil vindo do Irão. Em 2012, numa Assembleia Geral convocada pelo grupo "Beira-Mar Transparente", denunciei perante os sócios, os graves erros que a direção cometeu na negociação da constituição da SAD. Em Junho de 2013, numa altura em que a direção já tinha assumido publicamente o conflito com o 32 Group e já não conseguia dialogar com a família Pishyar, consegui que o Sr. Amin Pishyar, sem que ninguém em Aveiro soubesse, viesse ao Porto e tive uma reunião com ele, na qual estiveram outras duas pessoas. A equipa de futebol tinha acabado de descer de divisão e, caso não fosse estruturado um projeto que permitisse construir uma equipa de futebol com capacidade para regressar à 1ª liga, o clube correria sérios riscos. A reunião correu bem e terminou com um princípio de acordo. Estavam criadas as condições para o 32 Group se manter e partilhar os riscos de financiamento da nova época. Infelizmente, a interferência posterior de terceiros (pessoas que se estão a marimbar para o Beira-Mar e que estão sempre à espreita duma oportunidade de ganhar protagonismo e dinheiro fácil) inviabilizou que a família Pishyar concretizasse o acordo alcançado. A história que se seguiu depois, por ser recente, com mais ou menos pormenores, a maioria das pessoas certamente se lembrará.
E fui repescar todos estes acontecimentos e vivências auri-negras para fundamentar a legitimidade que me assiste de comentar as declarações do Sr. Omar Scafuro, quando o mesmo chama "ladrões" aos anteriores dirigentes do clube, sem identificar, em concreto, a quem se refere. É que tal afirmação, proferida desta forma genérica e abstrata, lança "lama" também para cima de todos aqueles dirigentes que serviram o clube sem dele se servirem. É o perigo inerente à generalização. E, porque a história também se faz de factos e elementos  que nunca são contados por aqueles a quem não aproveitam, penso que são de evitar os comentários públicos que possam fomentar divisionismos entre os poucos sócios que ainda se interessam pelo clube.
Saúdo o Grupo Pieralisi pela energia e a vontade demonstradas na reestruturação da SAD. É uma lufada de ar fresco para todos nós que já desesperávamos com o bloqueio que se assistiu nos últimos meses da relação entre a direção do clube e o 32 Group.
Este deve ser o tempo duma nova oportunidade ao diálogo. Deve ser o tempo de estabelecer pontes onde até aqui existiu divisão. Acredito que com serenidade e inteligência, será possível obter acordos com os credores que permitam a revitalização da SAD. Quem se propõe dirigir, tem que se orientar pelos melhores princípios de gestão. Não me parece que alimentar conflitos, sejam eles publicamente ou nos tribunais, vá beneficiar nalguma coisa a SAD e/ou o Beira-Mar. Ficarei muito desiludido se a via a adotar pela nova administração da SAD seja a mesma via que conduziu o clube e a SAD até ao ponto em que estamos. O estabelecimento de "inimigos comuns" pode incrementar a cumplicidade circunstancial e pontual entre as estruturas do clube e da SAD, mas certamente não produzirá bons resultados para nenhuma das entidades no futuro. É fundamental que a nova administração da SAD estabeleça o seu plano e trate de encontrar parceiros com capacidade para o aplicar, rompendo com um passado caracterizado por interesses e conflitos pessoais que só serviram para desunir os Beiramarenses.
Duas notas finais: A primeira para a permanência do Jorge Neves na equipa técnica. Uma decisão que me parece ser muito acertada e um bom exemplo da prudência que deve estar sempre associada à gestão. À novel equipa técnica do SC Beira-Mar, desejo as maiores felicidades e que hoje tenha sido dado mais um importante passo na caminhada de regresso à 1ª liga que é absolutamente essencial para a recuperação da SAD e do Clube.
A segunda nota, para dar conta que hoje o Clube vai ter dois momentos importantes. O primeiro será no piso -1 do EMA-MD, em que será atribuído o nome do Dr. óscar Neves ao posto médico, numa singela e justíssima homenagem, agendada para as 18 horas. O segundo momento será o jantar comemorativo do 92º aniversário, a partir das 20:00, no Salão Nobre dos Bombeiros Novos.

quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

Agradecimento público ao Jorge Neves

No momento em que estão a ser difundidas várias notícias que dão conta da substituição do treinador Jorge Neves pelo italiano Daniele Fortunato, quero aqui manifestar, como Beiramarense, a minha gratidão ao Jorge Neves pela forma séria e empenhada como assumiu as funções que lhe foram confiadas no início da presente época, em condições extremamente precárias. Também sou testemunha dos esforços que desenvolveu, juntamente com o Carlos André e com o Jeróme Palatsi, no sentido de encontrarem soluções financeiras para os diversos problemas que tiveram de enfrentar, bem como, uma solução consistente que salvaguardasse o futuro da SAD. Resta-me agradecer ao Jorge Neves por todo o trabalho que desenvolveu e desejar-lhe as maiores felicidades pessoais e profissionais. Numa altura em que o futebol é dominado pela força do capital, cumpre-nos, enquanto adeptos movidos pela paixão, relevar aqueles que se distinguem como homens de causas e valores. O Jorge Neves é uma referência do SC Beira-Mar.
Quanto ao novo treinador, confesso a minha ignorância. Não o conheço. Desejo que se adapte bem à cidade e ao futebol português. Pelo Beira-Mar e por Aveiro já passaram inúmeros treinadores e jogadores estrangeiros que acabaram por adoptar este clube e esta cidade como seus. A felicidade de Daniele Fortunato por cá, será também a nossa felicidade.

quarta-feira, 29 de Janeiro de 2014

Triste, lamentável e indigno.


O SC Beira-Mar atual é uma sombra desvanecida da grandeza e da representatividade que já mereceu em tempos idos. As ruas da amargura que o clube atravessa espelham-se bastante nas suas assembleias gerais. Cada vez são menos os sócios que se mobilizam para marcar presença. Menos ainda aqueles que intervêm com capacidade crítica. Na assembleia de hoje, o cúmulo da falta de cultura institucional (e humana) e de desrespeito pelos sócios, foi evidenciado pelo vice-presidente do clube João Silva que, em plena AG, no seguimento de questões que lhe foram colocadas e que lhe causaram um notório incómodo, não se coibiu de insultar o António Cruz, chamando-o "doente mental", e de se levantar da cadeira para ameaçar o confronto físico com o Diogo Filipe Carquejo. Este vice-presidente é recorrente em comportamentos indignos, mas é igualmente indigna uma direção que se permite a manter no seu seio um elemento que, além da evidente falta de qualidade técnica evidenciada nos relatórios que assina, não tem a mínima noção das responsabilidades inerentes ao exercício dum cargo de representação duma instituição quase centenária como é o Sport Clube Beira-Mar.
Todos reconhecemos que a conjuntura económica e social do país constitui uma adversidade grande para quem se propõe dirigir um clube. No entanto, o que se passa no Beira-Mar é ainda mais grave. É a própria direção do clube, por ação e omissão, que em vez de lutar por contrariar as adversidades, é a primeira a contribuir decisivamente para o definhamento do clube. Este episódio é, lamentavelmente, apenas mais um...
O Beira-Mar precisa, com urgência, de massa crítica.



Foto: Mais Beira-Mar

terça-feira, 28 de Janeiro de 2014

Pensar o Beira-Mar

"Pensar o Beira-Mar" é a designação duma plataforma de reflexão dirigida a sócios e adeptos do Beira-Mar, cujo manifesto passamos a divulgar:


Manifesto.

1. Somos um grupo de sócios atentos e preocupados com o momento difícil que o Clube atravessa. Por essa razão sentimos necessidade de promover uma plataforma de reflexão, de debate e de intervenção dirigida a todos os sócios do Sport Clube Beira-Mar.

2. O panorama actual do Sport Clube Beira-Mar exige um debate alargado a todos os sócios onde estes se pronunciem sobre o presente e o futuro do Clube. Urge mudar o rumo dos acontecimentos. Urge salvar e projectar o Clube. 

3. As eleições para os órgãos sociais do Clube aproximam-se. Este é o momento certo para uma discussão aberta e construtiva, que permita deslindar as opções tomadas, os erros cometidos e, sobretudo, que possibilite lançar as bases para um futuro melhor.

4. O passivo do Clube, a relação com a SAD, o afastamento dos sócios, a perda de milhares de associados, a inexistência de uma solução para o futuro das modalidades amadoras, a falta de pavilhão para a prática das modalidades, a perda de património e o divórcio com a cidade e a região são algumas das questões sobre as quais queremos reflectir conjuntamente.

5. É tempo dos Beiramarenses se unirem, de virar a página das dissenções internas, e de juntarmos competências. É tempo de contribuir positivamente para um melhor Beira-Mar. Chega de criticar sem propor alternativas, chega de passividade e de soluções provisórias. Temos o dever de dignificar 92 anos de História.

6. Em nome da união dos sócios, da honra dos fundadores e do futuro do Clube convidamos todos os sócios a acompanharem-nos e a juntarem-se às futuras iniciativas.  

Vamos todos "Pensar o Beira-Mar". 

Site: http://pensarobeiramar.blogspot.pt/

terça-feira, 21 de Janeiro de 2014

Jantar

Cliquem acima para ler melhor...
Jantar de Gala a 20 euros por cabeça... inscrições na Casa do Beira-Mar até ao dia da AG.

Assembleia Geral Extraordinária

Cliquem acima para ler melhor...

Assembleia Geral Ordinária

Cliquem acima para ler melhor...

segunda-feira, 20 de Janeiro de 2014

E a Assembleia Geral?


Há 11 meses atrás escrevi neste blog sobre a não marcação de uma Assembleia Geral para apreciação do relatório de actividades e contas de 2012-2013. Nessa altura lembrei que não havia razão nenhuma para o atraso.

Continua a não haver razão alguma para esta direcção voltar a apresentar, mais uma vez, o relatório e contas com um atraso substancial em relação aos estatutos e práticas recentes. É a menorização dos sócios, que infelizmente são cada vez menos...

Por vontade própria, não falei publicamente sobre os últimos meses do clube. Mas com eleições a terem que ser até Abril (outra coisa que está nos estatutos...) é mais do que obrigação desta direcção apresentar as contas. Mais, deveriam demonstrar, em documento à parte, qual o estado do clube até à data da AG. Porque daqui a pouco temos eleições e os potenciais sócios que queira ajudar o clube precisam de saber com o que podem contar....

Por isso, senhor Presidente da AG, lembre aos elementos da Direcção que as contas (e respectivo relatório de actividades) já deviam ter sido apresentados. Ah, e só marque a AG quando tiver em mãos um documento que não o envergonhe.

PS 1: Nem mais... os jornais de amanhã fazem sair não uma mas duas convocatórias. Quando as ler, falarei mais um pouco sobre o assunto e as colocarei aqui (não estão no site).

domingo, 5 de Janeiro de 2014

Eusébio da Silva Ferreira

A notícia do falecimento de Eusébio, aos 71 anos, apanhou o país de surpresa, apesar de ser do conhecimento público as várias complicações de saúde que sofreu nos últimos anos.
Como jogador, Eusébio envergou a camisola auri-negra na época 76-77, tendo a sua contratação e o seu vencimento sidos assegurados com as receitas de bilheteira dos jogos no Estádio Mário Duarte.
Em 2001, Eusébio recordou aqui a sua passagem pelo Beira-Mar, tendo estado presente no Jantar Comemorativo do 80º aniversário do clube, que teve lugar no Pavilhão do Alboi, em que tive o privilégio de o cumprimentar.
O Eusébio será sempre uma referência intemporal do país, que muito ajudou a projetar o nome de Portugal no mundo. E arrisco dizer que uma figura desta dimensão, tal como Amália Rodrigues, será eternizada, naturalmente, na memória coletiva de muitas gerações.