Arquivos

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

O próximo adversário

Tratando-se do próximo adversário do Beira-Mar, assisti com redobrado interesse ao jogo Nacional X Porto da jornada passada da Liga Bwin. Numa análise muito superficial, constatei que o Nacional tem dois defesas centrais muito fortes fisicamente e muito difíceis de serem superados na marcação: Ávalos e Ricardo.
O aspecto defensivo mais "frágil" do conjunto madeirense parecem-me ser as laterais. Patacas e Bruno Basto sobem bastante no terreno, deixando espaços nas costas que podem muito bem ser aproveitados por dois alas rápidos (por exemplo: Rui Lima e Vasco Matos, ou, até mesmo, Camora). Atendendo ao poder de marcação dos dois centrais, ponho sérias reservas quanto à utilidade de um avançado "fixo" como Mário Jardel. Penso que será de apostar na mobilidade de Jorge Leitão ou Wegno no caso do primeiro não recuperar. Outro aspecto que reparei, é que o meio campo do Nacional não pressiona muito. Apenas o Chaínho cai em cima do seu homem de marcação, ou seja, o segundo avançado adversário, uma vez que a marcação ao primeiro fica a cargo de um dos centrais (Ricardo). Penso que Ratinho poderá ter espaço para manobrar o seu jogo se tiver sempre referências nas alas, possibilitando assim ter linhas de passe.
No plano ofensivo, Zé Vitor e Pateiro são dois jogadores bons tecnicamente e deverão ser alvo de marcações rigorosas a meio campo, por forma a evitar que a bola chegue em condições ao avançado Rodrigo, um jogador de razoável qualidade técnica e facilidade de remate.
Em síntese, o Nacional tem um conjunto muito equilibrado com jogadores capazes de fazer a diferença, sobretudo, aproveitando algum momento de desconcentração Beiramarense. Ainda assim, este Nacional é ultrapassável se Carvalhal "não inventar" no plano táctico insistindo em adaptações estéreis como são exemplos Ricardo a defesa direito e Ribeiro a médio direito. Há dois anos, Luís Campos tentou o mesmo e não foi nada bem sucedido...
O Beira-Mar tem que se apresentar concentrado. Os jogadores têm que ganhar os duelos individuais. Na construção dos lances ofensivos tem que haver mobilidade dos homens da frente. Os alas (espero ver o Beira-Mar a jogar com dois homens bem abertos nas linhas quando temos a posse de bola) têm que funcionar, ganhando lances na linha, proporcionando cruzamentos com perigo e impedindo os laterais do Nacional de subirem no terreno. O homem que jogar na frente deve procurar segurar bolas entre os defesas e abrir espaços para que os extremos e os médios possam aparecer na zona de finalização. Os médios devem pressionar e fechar todos os espaços para que o Nacional não consiga organizar o seu jogo. Os defesas têm que ser duros! Mais vale fazer uma falta do que deixar o adversário seguir e marcar golo como aconteceu no Bessa. Nos lances de bola parada, não podem sobrar adversários sem marcação. Atenção ao segundo poste! E quando recuperamos a bola, é importante subir no terreno por forma a juntar os sectores da equipa, possibilitando maior pressão sobre o adversário logo no meio campo. Na baliza, precisamos de um Alê tranquilo, que dê segurança à equipa e que não saia dos postes em falso.
Parece-me que estas são as directrizes básicas para o Beira-Mar fazer um bom jogo com o Nacional. A vitória pode depender da sorte do jogo. Porém, nesta fase, a equipa tem de reconquistar a confiança perdida e realizar uma exibição segura, preferencialmente, coroada com os três pontos.
A teoria está dada. Agora, caros treinadores e jogadores, apliquem-na que é para isso que vos pagam.

22 comments:

Anónimo disse...

O Patacas está castigado.

Anónimo disse...

Já sei quem será o adjunto do A. Sousa se o Carvalhal for de vela! E só não é treinador principal pq ainda não concluiu o 3º grau de treinador. Outra hipótese é fazer como o Sport. é colocar (faz-de-conta) o encartado a adjunto. Força beira, desta vez é que é!
Zé Mixelhão

Anónimo disse...

A teoria parece-me correta Nuno, mas a última vez que o Nacional jogou em Aveiro deu um baile ao Beira, espero que desta vez seja diferente mas não vai ser nada nada fácil.

Vitor Peixoto

Miguel Bartolomeu disse...

Eu tb vi o jogo Nacional vs Porto. Concordo ctg qd dizes que avançado fixo, como é Jardel, não será boa opção. Qt a alas, se Carvalhal continuar com o losango, não há hipótese. De facto, e com Patacas castigado, seria um ponto a nossa favor explorar os flancos. Mas nesta táctica que Carvalhal utiliza não há alas. Os alas são por vezes Jorge Leitão e Wegno, ou Vasco Matos, deixando o centro do ataque vazio. Depois estes homens (no jogo do Belenenses foi visível) não têm a que passar. Eu continuo a insistir no modelo 4-3-3 e, na ausência de Jorge Leitão, os 3 da frente mt móveis como por exemplo, Vasco Matos, Wegno e Camora.

Anónimo disse...

Isso falando em teoria é facil pq depois a prática é sempre diferente.
Joga em 4-3-3 com alas bem abertos? Sim.
Quanto ao Jardel penso que isso dos 2 centrais serem fortes na marcação não quer dizer que não sirva o Jardel para esse jogo, porque a pensar assim ele não tinha lugar em nenhuma equipa do mundo, ate parece que o Jardel nunca defrontou centrais de classe mundial e com os seus tipicos movimentos n os comia...

No resto concordo com o Nuno, mas atenção que o Alonso já joga domingo.
É simples falar, nos aspectos a fazer etc etc mas n se esqueçam que do outro lado estará outra equipa para aproveitar as fragilidades do Beira.

Anónimo disse...

Não quero desmotivar ninguém, mas aquela primeira parte do Nacional contra o Porto deixou-me bastante preocupado...

Se eles jogarem assim em Aveiro estamos fritos!

Quanto à utilização do Jardel. Nos jogos em casa é óbvio que ele deve jogar sempre, pois ainda que não defenda é sempre um bom finalizador, ajuda a criar espaços na frente para um segundo avançado e tem feito assistências para golo. Aliás se não fosse o Jardel o pecúlio de pontos ainda era bem menor!!!

Até domingo.

Nuno Q. Martins disse...

O erro de Inácio no início desta época foi começar a construir a equipa a partir do ataque.
Nada mais errado.
Uma equipa constrói-se de "trás para a frente", ou seja, primeiro importa consolidar o processo defensivo, assentando as bases daquele que será o jogo ofensivo.

Discutir a utilização do Jardel quando a equipa sofre golos atrás de golos e não consegue construir oportunidades, parece-me ridículo. Alguns dos comentários referem a importância de Jardel como finalizador. Eu pergunto: finalizador do quê se o Beira-Mar não consegue estancar o futebol dos adversários nem apresenta caudal ofensivo que permita obter golos.

Não se constrói uma casa a partir do telhado.

Para mim, em primeiro lugar, está o superior interesse do Clube que passa por solidificar um colectivo homogéneo que consolide um sistema de jogo. Depois, então sim, se o Jardel se integrar óptimo, senão, havemos de vencer os desafios colectivamente sem recurso à "estrela da Ca.". Até porque o Jardel de agora não é o "mesmo" doutros tempos. Ele salta, mas já não "voa sobre os centrais".

Anónimo disse...

Voa vola Nuno! Quem está interessado em que o jardel jogue Domingo? Há quem diga que SERÁ o seu último jogo com a camisola branca e amarela (?!) - será do Guaraná?
Zé Mixelhão

Anónimo disse...

Palpita-me o coração que o árbitro, para Domingo é o Lucílio e então o beira já ganhou!
Zé mixelhão

Anónimo disse...

Espanta-me que estes Marketeers da treta não façam nada para que o pessoal vá no Domingo à Bola. Tantas promessas tanta basófia e nada! Contra o belém puseram os bilhetes à venda na 2ª feira pq estavam à espera duma enchente.
Para o jogo do nacional proponho que os directores venham vestidos á maneira e façam uma sessão de strip para ver se as gaijas lá aparecem, eh, eh, - é só tansos!
Koça-Koça

Anónimo disse...

Espanta-me que estes Marketeers da treta não façam nada para que o pessoal vá no Domingo à Bola. Tantas promessas tanta basófia e nada! Contra o belém puseram os bilhetes à venda na 2ª feira pq estavam à espera duma enchente.
Para o jogo do nacional proponho que os directores venham vestidos á maneira e façam uma sessão de strip para ver se as gaijas lá aparecem, eh, eh, - é só tansos!
Koça-Koça

Anónimo disse...

Vai haver surpresas...

Anónimo disse...

Nuno sobre o Jardel, tens mais alguma informação acerca da possivel saida dele em Janeiro e para que clube vai?

Anónimo disse...

Segundo parece ele está interessado em voltar para o Ka-Ka, onde por cada minuto no snack mais próximo lhe pagem 5 mines.
Tó Tolo

Anónimo disse...

Jardel a sair do Beira é para um grande.

Anónimo disse...

Para o clube grande que o Inácio treina na Grecia, para esse é que ele vai bem, enganar outros.

Anónimo disse...

O jardel a sair deve ser para uma grande Mer.... V. pensam que são todos Toinos com os artololas dos diregentes de Marquetingue do Beira. Valha-nos S. Cristóvão
Mà-lingua

Anónimo disse...

Com o penteadinho a arbitrar o Beira no Domingo estamos lixados. Oxalá me engane.
Bamos a eles Veira.
Zé Mixelhão

Anónimo disse...

TODOS AO ESTADIO.
Esta direcção merece o nosso esforço.

Anónimo disse...

O beira merece, mereceu e merecerá.

Anónimo disse...

Pensem e acordem,o SCB corre grande perigo de desaparecer, nós não vamos permitir, por isso vamos todos á Assembleia e pedir responsabilidades á direcção, não há desculpas, eles atropelaram tudo e todos para chegar ao poder.

Anónimo disse...

Todos ao estádio porque o NOSSO Clube merece ... a DIRECÇÃO NÃO MERECE NADA!