Arquivos

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Apenas um repto...

Noutros locais, os políticos são capazes de reconhecer a importância das suas instituições para o desenvolvimento das suas comunidades. Percebem a relevância das instituições de solidariedade, das instituições que promovem a cultura, o desporto, etc...
Apenas dois exemplos, entre tantos outros, para ilustrar o apoio público, seja estatal, seja autárquico, ao desporto nos Açores e em ílhavo.
Para que se tenha uma noção, o apoio de 2,2 milhões de euros que o Governo Regional dos Açores dá ao Santa Clara daria para pagar o orçamento geral do Beira-Mar (todo e não apenas futebol profissional!) durante uma época e meia!
Numa sociedade cada vez mais individualista, é cada vez mais difícil encontrar quem sacrifique a sua vida e ainda o seu património para assumir cargos directivos nas colectividades. No caso do Beira-Mar, é legítimo que se aponte o dedo à péssima gestão dos últimos anos que empurrou o clube para o buraco financeiro que conhecemos. No entanto, o Sport Clube Beira-Mar não é do Artur Filipe, do Mano Nunes, do José Cachide... É uma instituição de Aveiro e dos Aveirenses! Quando eu nasci, já o Beira-Mar existia há 60 anos. Gostava de poder partilhar, nos dias que correm, a convicção de que a esperança de vida do Beira-Mar é muito superior à minha. Mas não posso. Face à situação do clube, este dificilmente sobreviverá com enormes pesos em cima: O passivo herdado, em grande parte, as dívidas aos ex-dirigentes e o crédito sobre a CMA/EMA.
Mais do que nunca, depois de conhecer o clube por dentro, passei a defender uma efectiva "separação das águas". Assuma ela a forma (SAD, Fundação ou outra) que tiver de assumir. Futebol profissional para um lado, formação desportiva para outro. O que não pode acontecer é as "loucuras" do futebol profisional colocarem em causa todo o papel social que uma instituição, quase nonagenária, desenvolve junto da sua comunidade.
Para se salvar, no imediato, o Beira-Mar necessita de dinheiro fresco para fazer face aos compromissos assumidos. Não sei como sem se recorrer, mais uma vez, a mais empréstimos de particulares. É que até o próprio património (pouco) do clube está penhorado pelos ex-dirigentes impedindo qualquer operação de financiamento.
No entanto, para sobreviver e prosperar no futuro, o Beira-Mar precisa dum projecto mobilizador, no qual a comunidade lhe reconheça valor. Talvez aí os nossos políticos se sintam forçados a olhar para o Beira-Mar com mais respeito. Talvez aí se consigam mobilizar mais apoios do tecido empresarial. O futebol profissional terá de caminhar pelas suas próprias pernas.
Mas esse caminho é longo e sinuoso. Quem assumir percorrê-lo tem que estar preparado para ser mártir e ainda se sujeitar a ser enxovalhado na praça pública.
E neste quadro, é cada vez mais difícil que apareçam voluntários para prosseguir esta luta constante. Pelo caminho, quem se mete nela, sujeita-se a prejudicar a sua vida, a sua família, o seu trabalho e ainda o seu património pessoal.
Podem aparecer os "salvadores" todos. Podem trazer o dinheiro todo que é bem preciso. Mas tragam também um projecto que acautele a sustentabilidade e o desenvolvimento da actividade do clube. Sem isso, continuaremos a assistir à morte lenta do "clube mais representativo do distrito". É que não se cura uma doença crónica com paliativos.

12 comments:

Anónimo disse...

Caro

leio com atenção os seus posts mas não entendo como são possiveis tais financiamentos por parte de entidades públicas.
o Governo http://www.portugal.gov.pt/pt/GC17/Governo/ConselhoMinistros/ComunicadosCM/Pages/20090805.aspx
faz leis dizendo entre outras coisas;
Consagração do princípio segundo o qual os clubes desportivos participantes em competições desportivas de natureza profissional não podem beneficiar, nesse âmbito, de apoios ou comparticipações financeiras por parte do Estado, das Regiões Autónomas e das autarquias locais, sob qualquer forma, salvo no tocante à construção ou melhoramento de instalações ou equipamentos desportivos com vista à realização de competições desportivas de interesse público, como tal reconhecidas pelo membro do Governo responsável pela área do desporto;

O que diz dos Açores é na minha opinião ilegal. Não digo que não o tenham feito, mas é no mínimo complicado de justificar com obras.

A Granjeia

Anónimo disse...

É tudo uma treta!
Receberam dinheiro dos terrenos das piscinase não chega.
Acabaram com a natação.
As pessaos que andavam nas piscinas estão com enormes dificuldades de continuar a pratica da natação pois a oferta existente não é sufeciente.
Vendão o estádio e os jogadores todos e continuem com o Beira-mar nas outras modalidades amadoras.
Sigam o meu conselho senão fecham e acabem com tudo.
Uma boa tarde

Ex sócio que um dia quando poder garanto que vai falar mais e não falta muito.

Nuno Q. Martins disse...

Caro A. Granjeia,

Desconheço o modelo de atribuição de apoios financeiros ao Santa Clara por parte do Governo Regional dos Açores, mas o Decreto-Lei que estabelece o regime jurídico dos contratos-programa de desenvolvimento desportivo prevê, entre outras coisas, o prévio reconhecimento do interesse público de eventos desportivos como condição para o financiamento público dos mesmos. Estabelece, como bem diz, o princípio segundo o qual os clubes desportivos participantes em competições desportivas de natureza profissional não podem beneficiar, nesse âmbito, de apoios ou comparticipações financeiras por parte do Estado, das Regiões Autónomas e das autarquias locais, mas ressalva os apoios à construção e melhoria de equipamentos desportivos que se destinem à realização de competições desportivas de interesse público, como tal reconhecidas pelo membro do Governo responsável pela área do desporto.
Ora, acredito que, com alguma "criatividade" à mistura, alguns clubes participantes em competições de natureza profissional continuem a beneficiar de apoios públicos. No entanto, quero deixar bem claro, que apenas concordo com este princípio em sede de contratos-programa de desenvolvimento desportivo. No âmbito da promoção de eventos, neste caso desportivos, que tragam retorno directo e indirecto às populações, julgo que qualquer Governo Regional ou Autarquia deve ser livre de apoiar. Não me choca nada. Deve-se é primar pela transparência. O que assistimos, cada vez mais, é a produção legislativa emanada por pseudo-puritanos que convida aos malabarismos, esses sim, nada transparentes e só ao alcance de quem domina muito bem a legislação vigente e as formas de a contornar.

Cumprimentos.

Nuno Q. Martins disse...

Caro "ex sócio",

Começo por lamentar que alguém que vem aqui comentar com tanta "autoridade" assuma que já nem é sócio do clube. Faz parte daquele "clube" de pessoas que nada faz pelo Beira-Mar mas acha-se no direito de criticar tudo e todos. Muito bem...

Quanto à substância do que escreveu...
A CA está a tentar encontrar alternativas para a continuidade da secção de natação. Têm sido feitas abordagens, mas não está fácil. É uma tristeza para todos se, porventura, a secção de natação tiver que suspender a sua actividade. No entanto, a venda do terreno das piscinas era inevitável pelos motivos já referidos em comunicados oportunamente divulgados pela CA. Devia ter estado mais atento aos mesmos.

Quanto ao estádio, o Beira-Mar não pode vender algo que não é seu. E relativamente aos jogadores, se tiver alguém interessado na aquisição de algum, certamente que o clube estará na disposição de o negociar.

Fico, então, na expectativa que fale tudo. Não sei quem ou o quê o anda a amordaçar, mas como a "asfixia democrática" anda na moda, vou admitir que pululam por Aveiro espíritos do tempo da "outra senhora". Peço-lhe apenas que, quando "falar", se o decidir fazer por escrito, tenha mais atenção à ortografia.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Está na altura da "catarse".
O Beira Mar tem de se encontrar com ele próprio e sem arrastar desmesuradamente o "fado da desgracadinha". As coisas não estão mal de agora. Já vêm de à muito. E quem anda pelo Beira sabe disso e há quem saiba muito e continue calado.
Pelo meio as picardias do costume, a Câmara, a EMA, os antigos dirigentes, se calhar os futuros e p mais que se vier a apurar em "liquidação do património".
Acordem e vivam com o que têm. O futebol profissional tem de ser auto-sustentável, se não o é, paciência, acabem com ele. O Beira Mar foi um grande galardão de Aveiro, no tempo do Almeida, do Marçal, do Evaristo, do Nartanga, de tantos e tantos que honraram o clube. Agora temos uns meninos convertidos em "estrelas da paróquia", que nem sequer servem de comparação seja para o que for. É tempo de uma vez por todas "enfrentar o touro" pelos cornos. E deixem a política de lado.
Política e futebol sempre foi uma mistura explosiva, com o alheamento de uns e a conivência de outros tantos.
Pelo Beira, sempre, nem que seja a partir dos distritais. Por vezes é preferível caír de vez, e conquistar "a pulso" o que é de direito. Só assim podem ter o respeito dos outros. E uma mudança de atitude dos aveirenses.

Zé de Aveiro

Nuno Q. Martins disse...

Caro "Zé de Aveiro",

Estou plenamente de acordo consigo.
Efectivamente, o futebol profissional na 2ª liga é altamente deficitário (não é um problema exclusivo do Beira-Mar) e o passivo do clube não lhe permite sobreviver, a curto prazo, com as receitas provenientes das competições distritais e das modalidades amadoras. Só uma conjugação de vontades e factores poderia salvar o clube. Como nem as vontades, nem os factores se conjugam...

Amor à Beira-Mar disse...

Caro Nuno Q. Martins


Escrevemos no nosso blog, Amor à Beira-Mar, aquilo que pensamos acerca deste post e seu conteúdo. Como colocámos algumas questões talvez um pouco direcionadas para sí deixamos aqui apenas um repto de nos visitar e quiçá responder ás questões que colocámos.

Cumprimentos,

http://amor-a-beiramar.blogspot.com/

Anónimo disse...

CARO NUNO TB EU SOU UM EX-SOCIO(EXCLUIDO AGORA NA RECONTAGEM DOS SOCIOS PAGANTES)TU SABES QUEM EU SOU PQ JA TE ABORDEI DIVERSAS VEZES PARA TU TE CANDIDATARES...QUERO TE DIZER QUE DEIXEI DE PAGAR QUOTAS PQ NAO PACTUO COM A CORJA QUE TEM ACTUADO NOS ULTIMOS ANOS ,HA UM ANO ATRAS ERA EU AQUI NESTE ESPAÇO QUE DIZIA-CACHIDE A PRESIDENTE JA!!-E AGORA JA SERVE,NAO E?A SOLUÇAO E SIMPLES NAO HA DINHEIRO ENTAO DEIXEM CAIR O CLUBE A 2 DISTRITAL E RECOMEÇEM DO ZERO!AI EU APAREÇO COM UMA LISTA...E TU ESTAS NELA!!!

Anónimo disse...

Quem é o trol que nem é sócio mas quer ser presidente nos distritais?
"Boa bai ela"
A que isto chegou!...
Vitor Henriques

S.Cruz disse...

Tenho de ir comprar uma camisola do Beira, já as há a venda?...

Anónimo disse...

SOU ALGUEM QUE CONHECE MUITO BEM O CLUBE POR DENTRO, AO CONTRARIO DE SI..SR.VITOR HENRIQUES E VOCE E QUEM??NINGUEM, JA VI...

Anónimo disse...

EU PROPONHO UMA SOLUÇAO VIAVEL..E VOCE???E MAIS UM DOS ZEROS QUE POS O BEIRA NO ESTADO EM QUE ELE ESTA,OU VOCE PENSA QUE EU NAO SEI QUEM E??