Arquivos

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Posição de força

A União Desportiva de Leiria, Futebol SAD, deu ontem a conhecer a sua intenção de deixar de jogar no Estádio Municipal de Leiria Dr. Magalhães Pessoa, na próxima temporada futebolística. Em causa está o descontentamento em relação às actuais práticas de gestão levadas a cabo pela administração da empresa municipal Leirisport. (conferir aqui)

14 comments:

Susana disse...

Fazem falta ao futebol posições como esta.

Anónimo disse...

Pois, mas aqui se vê a diferença é que a União de Leiria pode jogar em Faro que tem os mesmos adeptos e mesmo assim vai abandonar o Estádio por estar a ser mal tratada pela sua edilidade. No caso do Beira Mar os dirigentes passados e actuais não defendem os interesses do clube, tanto se lhes dá ter as bancadas vazias, e o divórcio do clube com a cidade, continuam é a fazer o frete politico de jogar no EMA, que ninguém quer, ainda mais com o brinde da Portagem para lá chegar, em vez de voltarem ao estádio antigo. Devem ter muito dinheiro em caixa para prescindirem de quotas, bilheteira e publicidade que perdem por jogarem ao lado da lixeira.

PN disse...

Ora aí está um exemplo que deviamos seguir.

Anónimo disse...

Não nos queiramos comparar com os senhores de Leiria - e estranho que o meu caro Nuno embarque nesta - é que os senhores
de Leiria e em especial os presidentes do Clube, da SAD e da CMA (refiro-me à senhora Ex-Presidente) foram considerados e vistos por muitos como??? Não me quero comprometer om o adjectivo. Gente dessa laia não interessa a ninguém.
Meu caro Nuno pareces-me agora ressaibiado por não teres um pezinho na Direcção do Beira ou quiçá o teu pai - eu votava em vocês - e agora é só bota-a-baixo nesta Direcção eleita democraticamente e só não se candidatou quem não quis.
Por favor Nuno - e agora propositadamente estou a tutear-te - é favor que a família Martins deixe esta direcção trabalhar e daqui a 3 anos candidatem-se e por favor façam melhor.
Não sou comuna, sou apenas um sócio com quotas em dia há mais de 40 anos.
O anónimo, Jeremias

Nuno Q. Martins disse...

Em resposta ao "O anónimo, Jeremias":

O que parece, nem sempre é.

Só por não me conhecer, nem à minha vida actual, é que pode pensar que estou ressaibiado com alguma coisa. Não vá por aí que vai mal.
Se tivesse afirmado que se nota nos meus escritos alguma desilusão com um conjunto de pessoas e circunstâncias relacionadas com o Beira-Mar, aí já teria de assentir. Quem me conhece sabe que não sou hipócrita e desde há muito que tenho habituado quem comigo convive a partilhar e a assumir as minhas convicções sem rodeios. Bem sei que as pessoas preferem "palmadinhas nas costas" e palavras simpáticas de circunstância, mas deixo isso para quem se sente mais à vontade nesse tipo de comportamento.

O facto de ter aqui colocado um post sobre o que se passa em Leiria deve servir para todos reflectirmos. Tão só. Não acrescentei qualquer comentário à informação, pelo que, deduzir deste post qualquer crítica implícita ou explícita à actuação da direcção do Beira-Mar é uma interpretação (que eu classifico como abusiva) exclusivamente sua. E se acreditasse mesmo nela, com a mesma convicção com que eu defendo o que penso, certamente não teria qualquer problema em identificar-se, o que não é o caso.
Quanto a isto, estamos "conversados".

Quanto à questão de fundo e sobre a qual se deve reflectir...
Já há vários meses escrevi aqui, no Bancada Norte (e até tive, uma vez, a oportunidade de transmitir pessoalmente ao actual presidente Mário Costa) que sou da opinião que o SC Beira-Mar devia regressar ao antigo estádio Mário Duarte enquanto a autarquia não aceitasse rever o protocolo assinado em 2008, reconhecendo a dívida e os compromissos que ainda tem para com o seu principal clube da cidade. Quanto a este aspecto, não há aqui nenhuma novidade. Pelo menos, da minha parte.

Por último, referir que interpreto esse apelo ao jeito de Aníbal Cavaco Silva há uns anos - "Deixem-nos trabalhar!" - como um apelo ao silenciamento das opiniões quando as mesmas são dissonantes em relação à direcção do clube. Se me conhecesse, saberia que rejeito em absoluto tais apelos e que, jamais - repito, jamais - deixarei de escrever ou dizer o que penso quando assim entender.
Esta foi a formação que recebi, prezando os valores da liberdade e do direito à opinião. Nasci depois do 25 de Abril, mas cresci a beber os seus valores.

Julgo que nada do que aqui escrever impedirá a direcção do clube de tomar as decisões que legitimamente entender.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Os acólitos destes comunas estão em força, tanto o Nuno cmo o pai só querem o bem do Beira-Mar, foram usados e traídos por esta direcção, assim como muitos bons Beiramarenses. Ainda se vão arrepender por não verem o que está á vista, estes senhores logo que gastem a massa da sportv e da Diatosta vão fugir como ratos, pois são incapazes de arriscar um centimo em prol do Clube.

Anónimo disse...

Muito bem Nuno, o muro já foi derrubado há muitos anos, mal vai uma instituição em que os seus sócios não podem ter opinião.
A direcção tem o caminho livre e facilitado, facilitado até pela disponibilidade financeira que lhe deixaram nas mãos, esperemos que a saibam gerir.
Continua, o clube é nosso, dos sócios e não de quem em cada momento tem a responsabilidade de o gerir.
Rui Silva (socio 347)

Nuno Q. Martins disse...

Ao penúltimo anónimo (das 16:01):

Agradeço o seu comentário, mas peço alguma moderação relativamente aos termos utilizados.
Ainda que não considere a expressão "acólitos comunas" injuriosa (daí que tenha publicado o seu comentário), não me parece que as opções político-partidárias das pessoas seja para aqui chamada.

Quanto ao conteúdo do seu comentário, por razões óbvias, não vou comentar, mas isso não significa que concorde com o que afirmou.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

O afastamento dos elementos que da ex-Comissão Admistrativa/Mano Nunes por parte da actual Direcção/ex-Comissão Administrativa/Regala, deriva de imposição da ex-Direcção/Filipe, que utiliza as penhoras à laia de chantagem sobre a direcção.
É só usasr as célulazinhas cinzentas para interpretar os factos.
Hércule Poirot

Anónimo disse...

Hércule Poirot:
Descobriu a polvora, sabe que esta, então CA, mandou as colaboradoras do Clube ao Cachide, para tentar convencê-lo a vir liderar esta direcção? Pois assim evitavam as penhoras, mas esqueceram-se que Manuel Madail e Mano Nunes tambem podem penhorar.
São uns iluminados e passam-se por vitimas.
Napoleão

Anónimo disse...

Caro Napoleão!
Mas se não fossem as vítimas, o B-M já era. E se o M. Madail e M. Nunes penhorassem, não se estavam a pôr ao nível dos Filipes e Cachides?...
Se assim é, mais vale fechar a loja, porque esta está à mercê de duas paredes que penhoram quando haja qualquer coisa que não lhes desagrade.
Mesmo assim parece-me que você, Napoleão, tem M. Madail e M. Nunes em muito má conta, o que para as minhas celulazinhas cinzentas, à data, ainda não encontra demonstrado!
Até demonstração em contrário, todos são bem intencionados, e M. Nunes pela sua postura até à data assim deve ser considerado, bem como a actual direcção.
Um sincero abraço beiramarense! Hercule Poirot

P.S. na última frase só mencionei M. Nunes porque M. Madail está acima de qualquer suspeita.

Anónimo disse...

O anónimo das 23.08, que se não fossem as vitimas o Beira-Mar já era, desconhece em absoluto que o mérito não é dessa gente, pois o Mano Nunes se não tivesse dado garantias eles nunca terião coragem de se responsabilizar.
Sobre a honoribilidade e beiramarismo, não sei porque o M. Madail está acima de qualquer suspeita e o M. Nunes não. Conhece mal os dois e fique sabendo que o Mano foi sempre mais corajoso e voluntarioso, para salvar o Clube

arriscou a sua vida financeira pela vida do Beira, o M. Madail saltou logo de inicio e deixou o homem a enterrar-se.
Sobre honestidade, tenho dúvidas que um seja mais honesto de que outro, mas como não se pode medir esta qualidade, eu acho que mais honesto que o Mano, não deve ser.
Vasco.

Anónimo disse...

Caro Vasco!
Como pessoas como você (anónimo das 20.40) o B-M fecha as portas e não vale a pena continuar a tentar.
Temos portanto uma direcção emparedada entre duas ex-direcções e que num acto de equilibrio sem rede sobre o fio da navalha pretende levar o barco a bom porto.
Você não entende isso, como também não entende que um homem de provecta idade que deu provas do seu beiramarismo em épocas em que M. Nunes ainda não tinha aportado à cidade de Aveiro não podia, por falta de forças, remar, contra ventos e marés, como outros que, em relação a si, têm a seu favor a frecura dos sessenta.
Não entendeu também que se M. Nunes embarcar nessa de penhoras, como aventado no post a que respondi (não sei se o Vasco e o Napoleão são a mesma face da mesma moeda) se coloca ao n´vel de cachides e Filipes, mas penso que pelo seu passado não o fará!
Quanto a M. Madail, se o fizesse, seria para mim uma enorme desilusão...
Um abraço
Hercule Poirot

Anónimo disse...

HERCULE POIROT:

Não sou face de nenhuma moeda, sou o que sou e não gosto tal como o senhor de me expôr.
A idade pode refinar as qualidades das pessoas. Embora M. Madail tenha uma respeitosa idade o Mano Nunes tambem já não é menino. Por tal motivo acho essa justificação despropositada.
Já lá vão mais de quinze anos quando MN e MM estiveram juntos no Clube como dirigentes, MM nunca quis a liderança e emporrou sempre MN para ela, por confiar e se ter apercebido das qualidades dele como gestor.
Tanto um como outro são generosos e são incapazes de fazer algo que prejudique o Clube, mas não gostam de ser usados e que acima de tudo lhe mintam. Duvido que tanto um como o outro sejam capazes de se deixar espesinhar por alguem e esta direcção terá tudo deles se souber comportar-se e honrar a palavra.
Mas para começo e por aquilo que leio, esta gente que dirige o Clube, está a portar-se muito mal com MN e por arrasto com MM. Se assim for e conhecendo o MM,
é muito capaz de tomar uma posição de força e MN nunca o deixará sózinho, pois a amizade deles é grande.
Cumprimentos,
Napoleão.