Arquivos

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A passagem de Eusébio pelo Beira-Mar...

... 318, 319 e 320. E pronto, Eusébio fechou a loja. A 6 de Março de 1977, o melhor jogador português de todos os tempos marcou o seu 320º e último golo no campeonato nacional, ao longo de 17 épocas, desde Junho de 1961. O incrível é que não foi pelo Benfica, mas sim pelo Beira-Mar. O adversário, esse, só poderia ser o eterno rival Sporting, do qual Eusébio disse há um ano que "não gostava como clube", porque o tentou raptar nos tempos de Lourenço Marques.

Mas Eusébio jogou no Beira-Mar? Sim senhor, de Setembro de 1976 a Março de 1977! No Verão de 1976, o Pantera Negra aterrou em Lisboa como campeão da NASL (liga profissional do futebol dos EUA), pelo Toronto Metro Croatia, com 18 golos em 25 jogos. "Na altura, fiz um contrato de cinco meses nos EUA e outros cinco de férias mas não queria descansar tanto." Quando chegou a Portugal, falou-se num regresso ao Benfica.

"O Toni, capitão, e o Humberto Coelho, vice-capitão, puxaram-me mas havia uma pessoa dentro do Benfica que não me queria [Romão Martins, chefe do departamento de futebol]. Ao mesmo tempo, choviam propostas, a mais importante do Sporting, através do presidente João Rocha." Mas era melhor não ir por aí... O Belenenses interessou-se mas não aceitou as condições de Eusébio. Já o Beira-Mar, sim. "Sugeri um esquema que foi aceite: treinava-me no Benfica e só ia para Aveiro ao sábado, onde ficava hospedado no Hotel Imperial."

AVENTURA NA VENEZA DE PORTUGAL
-
Eusébio começou a jogar pelo Beira-Mar, ao lado de Manuel José, esse mesmo, o treinador do Boavistão dos anos 90 e pentacampeão africano pelos egípcios do Al Ahly, e Sousa, esse mesmo, o homem do pontapé canhão de FC Porto e Sporting. Dos três golos Eusébio destaca um no Bonfim, ao V. Setúbal. "Num livre ali entre o meio-campo e a grande área, o Vaz [guarda-redes], em tom brincalhão para ver se me desmoralizava, gritou-me da baliza que o meu tempo já passara. Acertei tão bem na bola que nem lhe dei hipótese." Foi o 2-2 aos 70' mas o Vitória ganhou 5-3.

Houve mais um golo, em casa, no Estádio Mário Duarte, ao Portimonense, antes da despedida oficial, com o Sporting, também em Aveiro, com Matos, na ausência de Conhé, por lesão, a levar com o último balázio de Eusébio. Foi o 320º golo na 1ª divisão e o 24º ao Sporting.

"Foi um golo à Eusébio", lembra Manuel José. "Eu já me tinha cruzado com ele no Benfica em 1968, e é claro que oito anos depois havia diferenças físicas, mas ainda era o Eusébio. Empatámos 1-1 com o Sporting e ele marcou a 30 ou 35 metros da baliza. Ele puxou do pé esquerdo e cá vai disto."

Do que Manuel José mais se lembra é de uma digressão do Beira-Mar pela Venezuela. "Estava eu, o Abel e o Eusébio a dar um passeio e entrámos numa rua meio manhosa. Parámos numa loja de relógios, porque o Eusébio adorava vê-los. Estávamos fora da loja quando o dono se pôs à porta, a olhar fixamente para o Eusébio. Perguntou-lhe se era ele. À resposta positiva, ele sacou de uma máquina fotográfica e chamou a mulher dele para lhe tirar uma fotografia. Depois ofereceu-lhe o relógio, que tinha máquina calculadora e tudo. O Eusébio reconhecido na Venezuela, numa rua daquelas? Quem poderia imaginar? Mesmo eu que já o conhecia, fiquei espantado."

Dessa aventura aveirense, Eusébio também guarda recordações de um Beira- Mar-Benfica. "Estava 2-2 aos 90 minutos e havia um livre directo no limite da área do Benfica. Não sei o que se passou comigo, mas comecei a tremer com aquelas camisolas vermelhas todas à minha frente, aquelas caras familiares. E recusei bater o livre. Passei a bola ao Sousa, que atirou por cima. Esse falhanço foi esquisito pois senti-me aliviado pelo Benfica não ter saído derrotado de Aveiro." Sousa confirma. "Havia três marcadores de livres: o Eusébio, o Manuel José e eu. Nesse momento, o Eusébio recuou e passou-me a bola." Ficou 2-2, o Beira-Mar desceu de divisão, mas o Benfica foi campeão nacional, para contentamento de Eusébio.
In Jornal I de 06-03-2010

6 comments:

S.Cruz disse...

Destaco que o Beira-Mar naquela altura era um grande...tinha um monte de gente conhecida, fazia digressõs pelo estrangeiro e era falado por outras razões. Olhando para hoje questiono-me... o que nos aconteceu?

Rui Almeida disse...

alguem me sabe dizer,quantos pontos faltaram ao beira mar nesse ano para se manter na primeira divisao?é que se for 1 ou 2,o eusebio tem de ser considerado "persona non grata " :)

Neuza disse...

Este Eusébio - grande jogador - mas pouco profissional pois afirmou quando veio á gafanha da Encarnação inaugurar uma bomba de gasolina que tinha combinado quando esteve no BM, nunca marcar golos ao Benfica: Ontem na gala só falou do Benfica - este jogador da seleção portuguesa - nem BM nem União de Tomar.Uma pobreza franciscana - comp disse o Artur Agostinho " cresceu por fora, mas na cabeça continua um menino".
Fora com as vedetas - viu-se que naquela época o BM com tantas vedetas desceu de divisão.
BM Sempre e Só!

Irmã do Cristiano Ronaldo disse...

O Eusébio roubou o Beira-Mar. Assinou o contrato e recebeu a pronto...cumpriu só metade...e não devolveu o dinheiro...
Depois ainda dizem que é um embaixador do futebol português..

Neuza disse...

O Sr Angelino Apolinário, já falecido, é que soube o negócio que fez

Anónimo disse...

é pá fonix deixem o Eusébio em paz...se vocês se dessem ao trabalho (que não concordo porque eu era logo apanhado) de desenterrar actos e atitudes de quem hoje vos rodeia fonix então é que era...isso é baixaria...é criticar por criticar...isso é destrutivo...pensem assim: é um GRANDE que passou pelo Beira- Mar. Ponto final eeeee parágrafo. pôrra se não é do cu é das calças se não é das calças é do cu...fonix haja carradas e peletes de paciência