Arquivos

domingo, 3 de julho de 2011

Objectivo Cumprido!

Crónica elaborada a pedido do blog ForaDeJogo, a quem agardeço o convite!
.
Sob o comando de um dos mais promissores técnicos portugueses, Leonardo Jardim, o Beira-Mar manteve a estrutura e organização que o fizeram sagrar-se campeão da Liga de Honra. Num inicio de época promissor mas onde faltaram concretizar as oportunidades criadas, à excepção do jogo com o FC Porto e Benfica, o clube aveirense mostrou sempre maior caudal ofensivo pecando apenas na finalização. Para os adeptos auri-negros havia sempre a sensação de que, fosse qual fosse a equipa, poderíamos alcançar a vitória perante a fantástica dinâmica de equipa implementada por Leonardo Jardim.

E foi sem surpresa (para quem acompanhava), que surgiram vitórias perante Braga e Guimarães, entre outras menos sonantes, que catapultaram o Beira-Mar para a luta pela Europa (embora não estivesse inscrito). Uma época onde o objectivo foi cumprido (manutenção), pena porém que tivesse ficado aquém do que todos os adeptos do Beira-Mar chegaram a sonhar!

O momento: transferências de Kanu e Ronny
O momento chave da época que culminou com a descida de rendimento do Beira-Mar, não foi a chegada de Rui Bento ou a saída de Leonardo, foram as saídas de Kanu e Ronny (sobretudo este último). Enquanto o primeiro foi ao longo do tempo, bem substituído por Yohan, o segundo não tinha no plantel um elemento a altura. Sem ser um finalizador por excelência, Ronny trabalhava muito, tinha uma boa capacidade técnica e encostava-se muito à esquerda do ataque auri-negro, procurando movimentos interiores que muito baralhavam as defesas adversárias. Perante a falta de soluções e a cómoda saída de Leonardo Jardim, Rui Bento foi chamado para “improvisar”.

A estrela: Djamal
Num onze rotinado, sobressaiu um gigante no meio-campo, Djamal Bindi. O jogador internacional líbio manteve uma regularidade exibicional de alto nível ao longo de toda a época. Irrepreensível do ponto de vista táctico, Djamal foi fulcral para o equilíbrio da defesa e do meio-campo, valendo-lhe as suas exibições uma saída para Braga.

As revelações: Rui Rego, Renan, Tatu e Artur
Num onze com muitos estreantes, de primeira liga, as revelações foram várias. Rui Rego, um gigante com 1.76m, guardou as redes auri-negras com classe e mestria, chegando a ser colocada em praça pública, o apoio a uma sua chamada à selecção. Renan, jogador brasileiro emprestado pelo Vitória de Guimarães, foi competente onde quer que tivesse jogado e apresenta um remate fulminante. Leandro Tatu, conseguiu a afirmação no primeiro escalão do campeonato português, o melhor marcador dos aveirenses saiu posteriormente para o Steaua. Artur, é prata da casa e certamente um dos melhores jogadores do Beira-Mar nos últimos anos, sobressaiu pela qualidade com que foi servindo ao longo da época os seus companheiros.

A desilusão: Wilson Eduardo
Quem vê jogar Wilson Eduardo, é com estranheza que lhe viu associado o interesse do Manchester United, ou mesmo a possibilidade de fazer parte do plantel do Sporting esta temporada. O jovem leonino, apesar de grande velocidade, apresenta lacunas do ponto de vista técnico nomeadamente na recepção orientada. No que toca à finalização Wilson ao longo da época foi um desastre!

4 comments:

Anónimo disse...

Uma correcção, o Leandro Tatu saiu para o Steaua de Bucareste.
Abraço.

José Ribeiro disse...

Corrigido, obrigado!

Abraço

Anónimo disse...

No caso do Wilson Eduardo também não consigo perceber o que é que um clube com pretenções como o Sporting vê. Um verdadeiro flop!

Anónimo disse...

http://www.beiramar.pt/scid/webscb/defaultArticleViewOne.asp?articleID=1071&categoryID=853

já viram que o plano de treinos é datado de abril? LOL