Arquivos

quarta-feira, 20 de julho de 2005

Fusco, o nosso capitão!

Ontem, ao visitar o blog do Sérgio Loureiro, tomei conhecimento que o Fusco se encontra desempregado e a treinar no Sindicato dos jogadores de futebol. Enquanto jogador do SC Beira-Mar, o Fusco sempre foi uma referência, dentro e fora do campo. Humilde, simples, acessível, simpático e inteligente... o Fusco distinguia-se dos vulgares jogadores de futebol. Como pessoa, é um "fora de série". Como profissional, todos testemunham a sua entrega e empenho. O Fusco chegou naturalmente a capitão de equipa numa altura em que já era, também naturalmente, o líder do balneário do SC Beira-Mar. No início da época passada, após ter renovado contrato com o clube, pediu à direcção para sair pois tinha uma proposta interessante do clube da sua terra, o Pinhalnovense. Sabendo que teria poucas oportunidades de jogar no SC Beira-Mar (António Sousa nas últimas duas épocas em que esteve no Beira-Mar praticamente não contava com ele para jogar), o Fusco pretendeu dar um novo rumo à sua carreira, num clube onde pudesse jogar assiduamente e, simultaneamente, envolver-se num projecto estimulante. O Pinhalnovense falhou a subida de divisão nas últimas jornadas, acabando por subir o Barreirense. Não sei o que se passou para o Fusco ter saido mas, para ser franco, pouco me interessa. A verdade é que ele é uma referência do SC Beira-Mar e deu muito ao clube como jogador e como homem. Foi o capitão que ergueu a Taça em 19 de Junho de 1999. Como posso esquecer?!

O SC Beira-Mar não é uma instituição de caridade. No entanto, penso que o Clube (dirigentes e sócios) deve ser grato àqueles que vestiram, de facto, a camisola. O Fusco, porque é um homem digno e naturalmente orgulhoso, dificilmente pedirá emprego ou outro tipo de ajuda ao SC Beira-Mar. Como jogador, acredito que não tenha lugar no plantel. Contudo, pelas suas qualidades humanas e profissionais, acho que é daqueles valores que o SC Beira-Mar não pode desperdiçar. Gostava que a actual direcção do SC Beira-Mar contactasse o Fusco e soubesse, pela voz dele, as suas intenções profissionais. Em tempos tive o seu número de telemóvel. Se ainda o tivesse, não hesitaria em ligar-lhe já e saber o que se passa de facto com ele. Se alguém puder fazê-lo, que o faça. Indivíduos com a qualidade e o carisma do Fusco são raros no futebol. Fico a aguardar notícias.

0 comments: