Arquivos

quinta-feira, 15 de junho de 2006

OPINIÃO: A visão de um sócio

Antes, no antigo Mário duarte, costumava sentar-me no topo Norte com o meu pai. Naquela zona mais acima, onde se consegue ver o parque entre os degráus. Havia uma certa sensação de insegurança. Queriamos sempre duas coisas. Primeiro que o Beira-Mar marcasse, depois que a bancada não caísse.
Hoje os tempos são outros. Primeiro quero que o Beira-Mar marque, depois que o clube não desabe.
Algo de muito estranho se vem passando no clube. Uma direcção é eleita e anuncia graves dificuldades financeiras existentes no clube. Ainda assim, faz uma equipa de futebol incomportável (financeiramente) para a 2ª Liga, compra a leasing um autocarro, contrata e a seguir manda para trás jogadores brasileiros e africanos com os custos que isso tem inerentes para o clube. Além de estranhas confusões com empresários ( eu vi, as câmaras podem confirmar, que no intervalo do jogo Beira-Mar-Valladolid um empresário entrou na zona de acesso ao balneário, vindo da bancada, no intervalo do jogo).
Gente que vinha fazendo um bom trabalho nas camadas jovens que se demite, possivelmente, por consequência os resultados desportivos destas camadas são insatisfatórios. Um departamento médico com anos e anos de clube, também se demite. É tudo tão estranho e em tão pouco tempo...
Membros da direcção, que em Junho dizem querer trabalhar no Beira-Mar mas que passados uns meses lançam o clube "ás ortigas" e vão para a câmara. Depois, mais engraçado, o responsável pelo incumprimento da "dívida da Câmara" é um vereador que não passou pelo Beira-Mar, quem o disse foi o presidente. Importa-se de repetir?
Tudo isto é possivel num clube que já nem auri-negro é.
Domingo, no Rossio, por volta das 19.30, depois do jogo Beira-Mar-Vizela, o presidente anuncia que as suas promessas eleitorais estão concretizadas: subida de divisão, autocarro e loja amarela (possivelmente por culpa minha, mas desconhece-se se a dita loja é de direito do Beira-Mar). De qualquer forma o triunfalismo vai sair caro, quanto ao tempo, resta saber se sairá caro mais tarde ou mais cedo.
Quem pagará, como será pago, por quem, pelo clube ou por uma futura SAD, e se for uma SAD?
Na qualidade de blogger, o ex-presidente Mano Nunes (de quem discordei até mais não, como no acordo com a Stellar, na contratação do Luis Campos, incapacidade de modernizar o clube..., mas que também teve vários méritos), tece esta semana um conjunto de considerações, opiniões, e lança também um vasto conjunto de acusações e insinuações. Além das contas e cálculos(preocupantes) que apresenta, a expressão "russos" (para bom entendedor...) não deixa de inquietar na forma e contexto em que está. A quê e a quem se referiria? Serão "russos" á moda de Aveiro?
São demasiadas as suspeições que se levantam, as quais para muita gente parecem ter destinatários claros. A questão porém é quando se concretizam...


Filipe Guerra, in Quotidiano da Miséria
13/06/06