Arquivos

sábado, 24 de junho de 2006

Reflexão

Quando criei o Bancada Norte tinha por objectivo proporcionar um ponto de encontro de Beiramarenses na internet. Penso que durante muito tempo esse desiderato foi conseguido. O blog foi sendo actualizado na medida do possível e a secção de comentários esteve sempre aberta à participação de todos sem qualquer tipo de censura ou moderação prévia. Acontece, porém, que dois indivíduos que se identificavam como adeptos do Leixões resolveram vir para aqui largar as suas frustrações e conspurcar os comentários do blog. Depois de muito tolerar, decidi-me a reactivar o sistema de comentários do blogger por forma a moderar previamente os comentários. A medida resultou e afastou os referidos indivíduos. Finalmente, parecia que a paz voltava ao BN. Discretamente, desactivei a moderação prévia pois tais indivíduos "desapareceram" e senti que tal medida já não se justificava. O blog poderia voltar ao seu funcionamento regular (pensei eu...).
No entanto, nas últimas semanas, surgiram vários comentários insultuosos para com actuais dirigentes do Beira-Mar, com a agravante de tais comentários partirem de anónimos e outros sob a capa de pseudónimos. Qualquer pessoa de bom-senso compreenderá que não poderei continuar com o blog nestes termos. Não tenho vida para moderar os comentários "um a um" e é algo que vai contra os meus princípios, da mesma forma que não posso aceitar que se ataque por essa via a honra e o direito ao bom nome de pessoas.
Pelo exposto, os comentários dos posts anteriores foram apagados e, num futuro próximo, a aceitação de comentários ficará novamente sujeita a cuidada moderação (de acordo com a minha disponibilidade).
Apelo vivamente a uma reflexão colectiva sobre o modo de estar na blogosfera de alguns dos visitantes do BN. Estejam conscientes que da produtividade dessa reflexão depende a continuidade deste blog.

35 comments:

sergiol disse...

Decisão que peca por tardia. Aliás, meu caro Nuno Q. Martins, não posso deixar de repudiar o facto de teres pactuado tanto tempo com esse conspurcar que tem havido, ultimamente, na secção de comentários do teu blogue. É pena que o clube e inocentes, aos olhos de outros, saia tão mal-tratado.

Um abraço,

Sérgio Loureiro.

Arauto da Ria disse...

Venham visitar o Arauto.

Nuno Q. Martins disse...

Sérgio, aceito com humildade a tua crítica.

Admito que demorei a tomar uma atitude e já me obriguei a reflectir sobre isso.

Confesso que não dei a devida atenção à secção de comentários nos últimos dias. Pelos motivos que sabes, estas últimas semanas têm sido intensas para mim e a minha disponibilidade para a blogosfera é menor. A dada altura, uma pessoa "habitua-se" (mal, reconheço) aos comentários anónimos ou pseudónimos e já nem lhes liga. Nem sequer merecem a minha atenção.

Aquilo que, de facto, não tinha passado pela minha consciência é que as pessoas visadas em muitos desses comentários não estão (nem têm que estar) familiarizadas com este ambiente de permanente "má língua" cujas secções de comentários dos blogues são expoente. Com toda a legitimidade, sentiram-se ofendidas na sua integridade. Alguns dos comentários anónimos visavam sobre qualidades humanas e "estórias" que não sendo devidamente provadas (e este não é, de todo, o espaço apropriado) só servem para difamar e caluniar.

Esse é o ponto de reflexão. Quem efectua um comentário em anónimo ou com pseudónimo está automaticamente a condicionar a credibilidade daquilo que venha a dizer. Determinado tipo de insinuações só poderei permitir caso as pessoas se identifiquem e respondam por aquilo que afirmam. Caso contrário, ao admitir no meu blog comentários anónimos que atentam ao bom nome de terceiros estou a ser conivente com essa situação. Algo que nunca esteve nas minhas intenções.

Gosto demasiado do Beira-Mar para alinhar em polémicas e discussões estéreis que culminam em acusações graves que ultrapassam em muito o âmbito da discussão temática sobre o clube.

Sou apologista de discussões livres, onde as pessoas não tenham receios em dizer o que pensam e o que sabem, mas, devem identificar-se. De agora em diante recuso-me a assumir o ónus dos comentários anónimos ou pseudónimos cujo conteúdo seja insultuoso em relação a terceiros.

Um abraço.

Anónimo disse...

Caro Nuno!Tu és o administrador do teu blogue e concordo que os comentários ofensivos e com palavras menos pr´prias devam ser iliminados.Mas nunca te esqueças que quem semeia ventos colhe tempestades.Neste caso,os primeiros insultos,foram dirigidos ao Ex-Presidente,não num blogue,mas nos jornais nacionais e regionais pela entidade máxima do nosso Clube,pelo que é normal as reacções dos sócios.Embora eu subescreva muitas das acusações que foram feitas,sem ser ofensivo.
O que mais me magoa,foi o método utilizado contigo,que se calhar foi o mesmo que os funcionários se viram confrontados,com a ameaça da queixa á Policia Judiciária,só porque algumas das mentes tacanhas que fazem parte da Direcção lhe passou pela cabeça,que teria sido alguns deles que passou informação para o artigo que deu esta polémica.Sou amigo da maioria e já não falo com eles hà quase um ano,com excepção de um deles, por fazer parte do meu grupo de amigos, mas para quem oconhece está acima de qualquer suspeita, pelo seu profissinalismo e honestidade e porque álem de tudo as minhas conversas com ele são sempre presenciadas por outros amigos e sócios,que ao falar-se do Beira se resumem á mera discursão de vulgares sócios,em que nós somos pouco interventivos,pela responsabilidade,que ele tem e e eu tive no clube.
Quando quero falar sobre a vida do clube,ou o faço com2 ou 3 amigos em privado ou então recorro aos artigos,as poucas fontes de informação que tenho estão fora do clube,ou a amigos de Directores mais desbocados que não tem pejo em pôr a vida do Clube na praça pública,para se valorizarem e descrebiliar as minhas Direcções.
A esse teu amigo,que tambem fêz um comentário não respondo porque toda a gente sabe o que ele é.Resumindo é como a folha do àlamo.
Apagaste todos os comentários e não devias,porque alguns não eram anónimos e as pessoas são responsáveis pelas afirmações que fazem e não tem medo.
Caro Nuno,sabes a estima que tenho por ti,sabes o quanto gosto do nosso Beira,mas para demonstrar isso não tenho necessidade, de dizer «amen» a tudo e de ser politicamente correcto,seja com quem for e muito menos com pessoas que a todo o momento tentam denegrir o meu nome e o meu trabalho,tu sabes o quanto desejo que façam melhor que eu."Vou andar por aí" e brevemente se for obrigado,vou intervir novamente, para demonstrar que sei algumas coisas,fora de Aveiro sobre o Clube
e aí a Direcção já não pode acusar inocentes.
Continua com oteu blogue,ajuda os S´cios a falar sobre a vida do Clube(sem insultos)e verás mais tarde,que a dizer bem ou mal,estamos a ajudá-lo.
Vou estar atento como sempre ao teu blogue,mas esta será a minha ultima intervenção nele.
Um abraço.MANO NUNES.
P.S. espero não ter violado as tuas regras, se as violei não públiqes,para mim já é importantes que tu leias.

Anónimo disse...

Poi é. Tiveste que "refletir"... ou obrigaram-te a tomar esta decisão? Devias esclarecer com verdade.
Rui

Nuno Q. Martins disse...

Caro Mano Nunes;

Quero começar por esclarecer que as suas intervenções no Bancada Norte são, pela minha parte, muito bem-vindas. Além da consideração pessoal que me merece, que agora não vem ao caso, o seu historial como dirigente do Beira-Mar confere-lhe crédito para se pronunciar sobre o Clube sempre que entenda.

Feito este ponto prévio, correndo algum risco de me repetir em relação ao post e ao comentário de resposta ao Sérgio Loureiro, reafirmo que a essência da “reflexão” reside nos comentários anónimos ou pseudónimos cujo conteúdo seja ofensivo para terceiros. Mesmo sendo o autor/administrador deste blogue, considero que não me compete a mim efectuar juízos de valor sobre o conteúdo de comentários cuja autoria esteja devidamente identificada. Penso que qualquer pessoa razoável entende que a secção de comentários se destina à participação dos visitantes do blogue, logo, se os comentários estiverem devidamente identificados, o autor/administrador do blogue não deve ser responsabilizado pelos mesmos. Este é o meu entendimento.

No entanto, aquilo que se verificou e indignou os visados em relação à minha pessoa prende-se com os comentários ofensivos por parte de anónimos ou sob a capa de pseudónimos cuja identificação dos autores não é possível apurar.

Eu não posso aceitar que recaia sobre mim a responsabilidade por comentários que não são da minha autoria e que, analisados a frio, podem realmente ser entendidos como difamatórios.

O sistema do blogger permite várias formas de controlo dos comentários. Francamente, não gosto de nenhuma e sempre preferi deixar a secção de comentários aberta à plena participação de todos os interessados e da forma que entendessem. Agora, fui “obrigado” a optar pela “moderação prévia” em que os comentários são enviados para o meu e-mail e cumpre-me aceitar ou recusar a sua publicação nesta secção. Como é fácil de compreender, assumo um papel de “fiscalizador preventivo” que não aprecio. Esta é uma situação que pretendo que seja provisória e resulte numa reflexão colectiva por parte dos utilizadores que usaram o expediente do anonimato para proferir comentários de índole difamatória e caluniosa.

Sou um defensor da liberdade de expressão mas com regras. E a regra básica aqui é que comentários cujo conteúdo seja susceptível de pôr em causa terceiros, terão que ser devidamente identificados, pois, como já o disse anteriormente, não posso aceitar que recaia sobre mim a responsabilidade pela publicação desse tipo de comentários.


Um abraço.

Nuno Q. Martins disse...

Respondendo ao comentário do "Rui", penso que já fui suficientemente esclarecedor no post e nos meus dois comentários que antecederam este.
Não faltei à verdade em nenhum momento.

sergiol disse...

Meu caro Mano Nunes:

acredite que não era desta forma que gostava de me dirigir a si. Tenho andado à espera de encontrar a oportunidade mais adequada para lhe falar cara-a-cara e, de uma vez por todas, esclarecer alguas coisas. Tenho esperado, esperado sem que o tal momento se proporcione. Aliás, ja me conhece o suficiente para perceber que da minha parte quando há algo a esclarecer tenho este saudável hábito de me dirigir à pessoa em questão e tirar tudo a limpo. Não mando recados por ninguém nem, muito menos, lanço indirectas na blogosfera. Esta é a minha maneira de ser e de estar da qual não mudarei nunca.

Mas este é o momento! É o momento de dizer basta e esclarecer alguns assuntos, porque a opinião pública da blogosfera começa a ficar inquinada sobre alguns factos que eu e o senhor sabemos que não são verdade.

Começo por lhe perguntar, se souber a resposta, porque motivo "cospe" tanta raiva e tanto ódio pela minha pessoa? Diga-me, se souber a resposta, que mal lhe fiz para, de um momento para o outro, destilar um ódio de estimação que ultrapassa o limite do bom senso imperativo num ser humano?
Eu ajudo-o a encontrar as respostas: será, por exemplo, pelo facto de eu ser um homem de palavra quando o senhor me pediu para não escrever no Diário de Aveiro que encontrei o Rui Lima, nas instalações do velhinho Mário Duarte, quando estava em negociações para ingressar no Beira-Mar? Que jeito dava ao Diário de Aveiro ser o primeiro a noticiar tal facto. Mas não, eu prontifiqui-me a aceder a um pedido seu e, desse modo, não prejudiquei as negociações. Ou será pelos meus artigos de opinião, publicados gratuitamente no Diário de Aveiro na temporada de 2003/2004, que mereceram um agradecimento especial de um ex-jogador que ajudaram, e muito, a não descer de divisão pela força que davam à equipa? Terá sido, por outro lado, pelas inúmeras vezes que procurei, através do Diário de Aveiro, acalmar as hostes nos associados do Beira-Mar quando o clube vivia, nessa mesma temporada, uma crise de resultados? Diga-me, terá sido alguma destas possibilidade.

Provavelmente o senhor não irá aludir a nenhuma delas. O que quererá avivar a memória das pessoas é a acção na sua última temporada como presidente. Quando eu, assumuo sem rodeios, critiquei abertamente a política seguida pela sua direcção no trágico acordo com o Stellar Group. Mas se foi, meu caro, terá de largar ainda mais ódio porque como eu pensavam, e pensam, muitos e muitos sócios. Até o senhor admitiu que tal acordo não foi benéfico para o Beira-Mar. Sabe porquê? porque nos custou a permanência na Liga om a colocação de jogadores de duvidosa qualidade no Beira-Mar e de comportamentos menos próprios enquanto atletas de alta competição.

Mesmo assim, o senhor não me perdoou. Por eu ser frontal e ter uma opinião diferente da sua. Chgou a escrever, com honras de publicação no Diário de Aveiro, um célebre artigo de opinião, enquanto presidente do Beira-Mar, onde pela primeira vez usou a expressão "papagaio esverdeado". Logo nesse momento, ligaram-me dando conta que o senhor se estava a referir à minha pessoa. Porque não acreditava que o visado era eu, de imediato fui ter consigo. À sua empresa junto à Guarda Fiscal. Lembra-se? Claro que sim! E lembra-se qual foi a sua resposta quando lhe perguntei se o "papagaio esverdeado" era eu? Estou certo que se lembra. Mas se não se lembrar, eu ajudo-o. Disse-me que era uma pessoa que se tinha demitido da sua direcção, que tinha um carro verde e era adepto do Sporting (dai o esverdeado) e que só falava em repetição ao que o outro elemento, também demissionário da sua direcção, dizia (dai o papagaio). Lembra-se, caríssimo? Mas lá está, uma mentira tantas vezes é dita que acaba por ser tornar verdade. Enfim, tenho levado "porrada" vezes sem conta, qual saco de pancada, sem possibilidade de defesa. Só que o senhor, e alguns que o apoiam, vinham e ainda vêm para a blogosfera catalogar-me como "papagaio esverdeado". Sem que eu tenha qualquer culpa no cartório. Apenas me preocupei com o Beira-Mar alertando, com a legítma autoridade de sócio, para os riscos que o clube estava a correr. Infelizmente, o tempo veio dar-me razão.

Muito mais havia para lhe dizer. Que o direi, mas pessoalmente. Como o célebre abaixo-assinado que fiz, juntamente com outro sócio que o senhor tnto aprecia, apelando ao Conselho Geral para que promovesse uma Assembleia Geral onde se discutiria o rumo que o clube estava a tomar. Tão simples, como colocar as pessoas em diálogo. Dei-lhe conta, uma vez mais pessoalmente, dessa minha intenção. O senhor não se opôs. Antes pelo contrário. Pediu-me para ter confiança em si, e no treinador Luís Campos, alegando que o clube se iria salvar. Acreditei, uma vez mais em si, e vim para o Diário de Aveiro e para o meu blogue apelar ao espírito beiramarense dos sócios e adeptos para apoiarem o clube nos jogos finais. Inclusivamente, veja bem o quanto o seu ódio mordaz pela minha pessoa é injusto, que parei com o tal abaixo-assinado. Porque simplesmente lhe disse que podia contar com os meus humildes préstimos para o ajudar na não descida de divisão do Beira-Mar.

Mesmo perante tudo isto, dias mais tarde fizeram-me cessar as minhas funções de treinador das camadas jovens do Beira-Mar. Uma situação de tal forma embaraçosa que me obrigou a mentir aos miúdos. Pergutaram-me porquê? Porque é que me ia embora a meio da época? Não lhes podia dizer que essa era decisão da direcção para calar alguém que não alinhava nem dizia amen a tudo o que essa mesma direcção pensava. Não queria que eles acreditassem que um qualquer regime totalitário estivesse à frente do clube. Nasceram e crescem num país livre e democrático, pelo que não seria de mim que iriam ouvir qualquer alusão a atitudes anti-democráticas de um clube que eu sempre lutei que fosse deles. Como úncio clube que amassem.

Sinto muito, senhor Mano Nunes. Sinto muito que a minha desilusão em relação à sua pessoa seja enorme. Sinto muito que o senhor não entenda a minha qualidade de colaborador do Diário de Aveiro no qual, durante as últimas eleições no Beira-Mar, entrevistei alguns ex-presidentes tendo manifestado desagrado relativamente à sua actuação como presidente do clube. Seria tão fácil não assinar a peça. Mas não! Sou frontal e assumo o que faço. Tal como fiz outras entrevistas cujos entrevistados o aplaudiam.

Estou cansado, senhor Mano Nunes. Cansado de tantas e tantas injustiças e calúnias sobre a minha pessoa. Humildemente, acho que não mereço. Mas a vida é assim. E quem não souber viver nesta vida de enganos e traições não se dá bem. Talvez por isso é que sofra tanto com as atrocidades cometidas sobre mim. Tudo porque eu, um dia, ousei discordar de algo relacionado com o meu clube e tive a frontalidade de o dizer.

Não vou alimentar mais esta polémica. Esclareci o que queria para, ao mesno, minimizar alguns enganos que alguns (felizmente poucos) pensam sobre mim.

Ainda assim, receba um abraço

Sérgio Loureiro.

Anónimo disse...

Está a equipa quase completa. O Papagaio Esverdeado, agora identificado e em coligação estratégica contigo no combate à critica (diga-se alguma com piada, outra justa, outra parva e até outra de nivel pessoal e de franca falta de gosto) à gestão do nosso clube.
Não te estava a vêr nesta equipa de bajolice sem limites. Será medo? Medo de quê e de quem?
Quando lá estava o Sr. Mano Nunes ainda se faziam assembleias, agora só ia sabendo de noticias através deste blog e dos comentadores.
Passou a existir a tesoura.
O Papagaio é determinante.
Alexandre Santos

Anónimo disse...

CAro Nuno:Um proverbio popular diz:
"branco é galinha o põe" Para mim está limpido e justificável a tua posição,mas espero que não te deixes amordaçar.A verdade e o amor ao nosso clube,dão-nos responsabilidades que nos obriga a expôr e a vir a público, dizer com fundamento coisas que se estão a passar,que possam pôr em perigo a sobrevivência,ou a sua independência.Foi o que fiz,porque me obrigaram a isso.
Se me permites,aproveito este comentário,para dizer ao teu amigo Sergio,que a maior parte das coisas
são fruto da imaginação dele,reconhecendo como verdadeiras, a do papagaio e a do Rui Lima,em relação ao resto,nada é verdade para mim,pois até á sa´da do pavilhão,foi-me dito que ele tinha vindo embora de livre vontade.
Sobre as criticas à minha Direcção, eram legitimas e dava-lhe a importância que mereciam. Só lamento que agora só veja virtudes e que não fique preocupado com as afirmações faz um antigo Presidente,que na minha modesta opinião são mais graves do que uma descida de divisão.Enfim são pontos de vista que registo e que na A.G.de aprovação de contas, vou estar curioso á sua análize se a souber ou a quiser fazer.
Mas ele que anda e escreve tanto sobre o Clube,Será que não sabe de situações gravissimas, que se passaram durante a época e até agora,se não sabe,abstenha-se e dedique-se ao seu blogue.
Caro Nuno, Diz ao teu amigo,que já tenho um filho da idade dele,que foi educado,com valores elevados, de educação,honestidade e principios mais que suficientes, para não vomitar ódio por ninguem e que seria o primeiro a criticar o pai se o visse a ter uma atitude dessas.Revolta e amargura são sentimentos naturais num HOMEM,ódio é qualquer coisa que deve existir nos primatas ou em alguns seres,tremendamente mal formados e que eu pura e simplesmente ignoro.
O artigo do teu amigo não rossa a ofensa á minha pessoa?!
Eu senti-me ofendido com algumas inverdades e com a terminologia.
Espero que acabes com esta novela.
Um abraço.Mano Nunes.
P.S. Conheces-me o suficiente, para não deixare escrever ninguem com o meu nome.Eu não volto se voltar telefono antes,Faço este aviso porque já utilizaram as minhas iniciais,para comentários no teu blogue e noutros.

Anónimo disse...

Bom comentário o do senhor Alexandre Santos.
"Quando lá estava o Sr. Mano Nunes ainda se faziam assembleias...", tem toda a razão.
"em coligação estratégica" não abriram uma vaga para um director de comunicação?

sergiol disse...

Fruto da minha imaginação?! Inverdades?! Ofensa à sua pessoa com a terminolgia usada?! Onde? Por favor, diga-me onde é que encontra motivo, ou motivos, para escrever tais coisas?

Ainda assim, fico feliz e satisfeito por reconhecer como verdadeiras as origens do "Papagaio esverdeado" e do Rui Lima. como fico feliz por agora, só agora, dar legitimidade e importância às minhas críticas sobre algumas actuações da sua direcção.Afinal, a razão sempre me assiste. Mas isso não significa que um dia, se Deus quiser, falarei consigo pessolmente. Porque também fui educado a respeitar os elevados valores morais.

Quanto à minha saída de treinador dos Iniciados do Beira-Mar, o senhor Mano Nunes foi mal informado. Porque a verdade, e jamais me confrontará com uma mentira minha, é que fui chamado pelos dois responsáveis pelo basquetebol do Beira-Mar. Se quiser, e só se quiser, procure saber quem eram (e presumo que ainda sejam) e questione-lhes sobre o teor da conversa que tiveram comigo no Pavilhão. Procure saber e verá que o meu último comentário é verdadeiro.

Sérgio Loureiro

Nuno Q. Martins disse...

Caro Mano Nunes;

A amizade e a consideração que nutro por ambos leva-me a abster de tecer considerações. Por diversas vezes manifestei a minha opinião em conversas pessoais. Aqui, neste espaço “público”, não o vou fazer.

O comentário do Sérgio fez está devidamente identificado, pelo que, ele próprio assume o seu conteúdo. Como fiz questão de sublinhar nos meus comentários anteriores, evito efectuar juízos de valor sobre comentários identificados, desde que, como é óbvio, não sejam insultuosos. Interpretei o texto do Sérgio Loureiro (dirigido a si) como uma vontade da parte dele em lançar uma ponte para um esclarecimento definitivo. Julgo que este não é o local próprio. Aveiro é uma cidade “pequena” e certamente não será difícil encontrarem-se, assim haja vontade mútua.

A vida são dois dias e nós, seres humanos, somos seres voláteis. A razão não tem poiso e quem se julgue seu “dono”, anda enganado nesta vida. Reafirmo a minha esperança e a minha vontade de ver esclarecido esse “diferendo” que, em minha opinião, só existe porque permitiram que terceiros interferissem. Ainda tenho esperança de um dia me sentar à mesma mesa com os dois…

Em relação ao “post scriptum”, penso que pode estar descansado. Se alguma vez ficar na dúvida sobre a verdadeira identidade de algum comentário, eu próprio lhe ligo antes de o publicar.

Um abraço com estima.

Nuno Q. Martins disse...

Ao "Alexandre Santos" e ao anónimo que o aplaude:

Como podem constatar, a "tesoura" não vos cortou a opinião.
Não percebi mas também não me quero dar ao trabalho de perceber a boca da "coligação estratégica".
Penso pela minha cabeça e dou a cara e o nome pelos meus actos. Não ando em coligação com ninguém.

Pensem o que quiserem...

Helena Thadeu disse...

Não me querendo meter muito, porque são assuntos que apesar de sócia do BM não me dizem muito respeito, visto parecer tratar-se de questões mais pessoais que clubisticas, tenho pena que um blog pessoal sobre o beira-Mar seja palco de guerras virtuais que nada têm a ver nem com o autor do blog, nem com os objectivos que me parecem eter este blog. Um tipo de blog destes não devia ser moderado, nem os srs do Beira-Mar deveriam utilizar um blog de um sócio do Beira-Mar para se insultarem uns aos outros como se o Beira-Mar tivesse petrólio algures no estádio. Petrólio ou gaz natural (relembrando um pouco de Timor aqui).
Se são todos do Beira-Mar e todos Aveirenses não deveriamos lavar a roupa suja em casa e caminhar todos para o mesmo lado? Não será este tipo de diferendos que faz um clube ser "pequeno" ou "grande"? Não deveriamos todos pensar: Onde isto nos vai levar? O que pretendemos com este bate boca num blog? Pessoalmente e como sócia do beira-Mar a admiração e o respeito que eu tinha por qualquer interveniente aqui está a cair... apetece-me dizer o que no mundo ultra diz-se muito: Menos net e mais estádio! Ou por outras palavras, menos conversa e mais acção!
Saudações Beira-Marenses

Anónimo disse...

A "coligação estratégica" não era para ti Nuno

Nuno Q. Martins disse...

Esclareçam-me que eu já não percebo nada! :s

Anónimo disse...

A Helena tem razão. Está tudo Ok. O Beira Mar está bem gerido.
As pessoas só dizem disparates etc etc etc... mas como é nova nestas coisas não deve saber que algumas destas pessoas deixaram o clube na miséria á cerca de 12 anos ....pois é....tambem nesse tempo não se dizia nada. Olhe tambem nesse tempo existiam papagaios e ratos...
Evaristo

Anónimo disse...

Fez bem o antigo Presidente,ao ignorar parcialmente o teu amigo,na minha opinião,até lhe deu mais importancia do que merece,mas a vontade de afirmação dele e´gritante.Ele não passa de um simples sócio,a quem deixam escrever umas calinadas no D.A.e deturpa ou tenta distorcer, o que escreveu ex.Pres em relação ás criticas e a outras coisas é só saber ler,ele já se dá como dono da verdade,quando não é isso o que ohomem quer dizer.
Tenho pena que tivessem cortado o pio aos socios,através de si.Eu já não posso descarregar a bilis, como fazia,mas sempre cm verdades.
Delfim Costa

Anónimo disse...

Nuno!Estive uns dias fora e só hoje me apercebi da lei da rolha.
Para mim acabou.Eu sou socio mas pobre e como o meu trabalho, corre perigo se for descoberto,prefiro cantar com revolta:
Todos nos roubam
Todos nos calam
A quem cantarei!
ha! não deixes esse...Sergio vir para o teu blogue,ele quer protagonismo, que escreva no dele que ninguem o lê,não sabia que eras amigo dele...!
Só um recado ao Ex.PRESIDENTE, vou-lhe fazer chegar das fresquinhas,
um dia vai-me conhecer eu confio em si.O método é o mesmo.
O ex Prof. Dr.Bitaites

Anónimo disse...

O Ratinho, vem ou não vem,pelo que diz o v. chefe,nem carregado de ouro.Mas atenção o Inácio ainda não disse nada.
Hugo Cunha

O Bom Malandro disse...

caro sergio. SÓ te peço que tenhas tanto fervor a criticar a actual direcçao como tentavas fazer com a anterior. E quanto a mano nunes destilar odio, acho que dizes isso porque nao o conheces, ele apenas diz o que lhe vai na alma e se em momentos diz algo menos politicamente correcto é porque tem estatuto para isso, o que não é o teu caso. O mano ao te estar a responder na minha óptica está a dar te confiança a mais. Aliás ao estar a dar a palavra num blogue que é de um "miudo" que esteve á frente da claque do nosso clube, mostra como é uma pessoa simples e democrata.Porque o mano nunes sabe o sigificado de lutar pela democracia, de lutar por tudo. Mano nao peca tempo com conversas de putos á volta da fogueira.

O Bom Malandro
(Fiquem atentos ao blog obommalandroblogspot.com)

Helena Thadeu disse...

Sr Evaristo, realmente sou muito nova nestas coisas do Beira-Mar, mas já sou velhota em relação a colectividades e associações, desportivas ou não. Desde pequena que o meu pai me levava às reuniões de assembleias, quer do Lisboa Ginásio, quer do Ginásio Clube Português, quer de outras associações, que nós, os Thadeuses sempre tivémos muita mania disto do associativismo. E há algo que aprendi com o meu pai, que foi sempre que este tipo de discussão não se discute em praça pública. E quem o insiste em fazer é porque precisa desesperadamente de fazer-se ouvir. Sempre temi o pior das pessoas que estão desesperadas por uma verdade exposta na rua.
Continuo a achar que um blog pessoal não deve ser palco de discussões dos Beira-Marenses porque não é o blogue do Beira-Mar, mas um blog de um ultra que fala sobre a sua paixão de sempre, como tça para além dos Beira-Marenses que visitam o blogue há uma série de outras pessoas que não tem absolutamente nada a ver com o clube que o visitam diáriamente. E sinceramente, prefiro que os "meus" não fapçam figuras tristes como tantos anónimos andam a fazer!

Nuno Q. Martins disse...

Utilizo este comentário para:

1. Alertar que por critério pessoal não publiquei alguns comentários devido à deficiente identificação dos mesmos e ao teor que pode ser considerado ofensivo em relação a terceiro. Caso pretendam ver os vossos comentários publicados, agradeço que os reformulem evitando a utilização de termos e considerações que possam ofender a dignidade de terceiros.

2. Avisar o "Prof. Dr. Bitaites" que não tenho à minha disposição qualquer ferramenta para impedir alguém de visitar o BN. O blog é público e tenho todo o gosto que seja visitado por amigos e por quem gosta do Beira-Mar. Aqui dou a cara e o nome. Não escondo que sou amigo do Sérgio há mais de dez anos e sinto-me honrado pelas suas visitas e pelos seus comentários neste blog. Algumas das posições que ele assume podem causar controvérsia, mas, o Sérgio sempre assumiu e deu cara pelas suas convicções. Essa é a grande diferença em relação aos anónimos e pseudónimos. Não admitirei que faltem ao respeito ao Sérgio aqui, muito menos, anónimos.

3. Repudiar a proliferação de blogues cujos autores são anónimos/pseudónimos que usam a blogosfera para insinuar e mandar bitaites. Respeito a opção pelo anónimato quando quem o usa é responsável e sensato. Temo que alguns dos blogues aqui publicitados se tornem em "Casas da má língua cobarde". Dêm a cara, sejam Homens e depois, então sim, sintam legitimidade para chamar aos outros "miúdos".

O Bom Malandro disse...

O anonimato nem sempre é sinonimo de corvadia,nem todos temos os mesmos direito ou deveres e podemos depender de 3ºs. Não é covardia é responsabilidade. Quando usei o termo miudos não foi no sentido prejurativo que no caso do Nuno tenho em muito boa conta ,pois fez com uma claque pobre o muitos nao fazem com mais recursos porque bom caracter nao têm preço, para nao falar deste blog que espelha a sua boa educaçao.Não tenho nada a esconder e não usarei o meu anonimato para fazer má lingua sem fundamento, mas sim para poder dizer o que me vêm a cabeça e as pessoas o poderem ler livres de um nome ou de um rosto. Nuno lembra te que a mão que bate tambem faz carinhos. E já agora eu sei que o sergio é muito bom homem e até acho que escreve bem apesar de eu nao preceber muito da matéria. Eu pessoalmente nao tenho nada contra ninguem,só digo o que penso sabendo que os meus pensamentos não sao mais nem menos dos que os de qualquer mortal.

Anónimo disse...

Caro Nuno concordo com o periodo de reflexão, mas nós estamos sedentos de informação sobre o nosso clube e normalmente tu és dos primeiros a dar essa informação... ficamos todos impaciêntemente a aguardar.

Vitor Peixoto

Nuno Q. Martins disse...

Caro Vitor;

O novo director de comunicação do Beira-Mar deve ser apresentado em breve. Quem vier a ocupar o cargo é que deve gerir a informação produzida pelo clube. Eu não quero confusões.

Eu estou num sério dilema.
Se informo, é porque estou armado em "agência noticiosa".
Se opino, é porque estou armado em "papagaio".
Se me calo, é porque estou com "medo" de alguma coisa...

Eia Avante...

Anónimo disse...

Penso eu que tu ajudas ( e muito) a levar o "nome" Beira Mar mais além e só por isso estás de parabens.

Vitor Peixoto

Elisabete Gomes disse...

Caro amigo Nuno,

Hoje, visitei o teu blog entre outros e fiquei muito surpreendida com o comentário no teu texto reflexão do Sr. Mano Nunes, pelo que vou responder as suas afirmações;

Sr. Mano Nunes,

Gostaria de opinar acerca da sua afirmação: “…os funcionários se viram confrontados, com a ameaça da queixa á Policia Judiciária, só porque algumas das mentes tacanhas que fazem parte da Direcção lhe passou pela cabeça ,que teria sido alguns deles que passou informação para o artigo que deu esta polémica.”.

Senhor Mano Nunes, com todo o respeito, devo dizer-lhe que o termo “os funcionários” é muito abrangente, e significa em português correcto, todos os funcionários. Ora, entendo que funcionários, somos todos aqueles que temos um vínculo, permanente ou não, com o SCBM.
Pois, ou me deu uma amnésia muito grande, ou o senhor nunca me ouviu dizer e, com certeza à maioria dos meus colegas, senão a todos, que alguma vez fomos ameaçados com queixas à policia judiciária.
Mas, vejamos o seguinte: o Senhor afirma “…Direcção lhe passou pela cabeça, que teria sido alguns deles que passou informação para o artigo…” – parece-me que o senhor, mais uma vez, faz uma afirmação como se fosse funcionário do SCBM e a dita Direcção lhe tivesse transmitido o “que lhes passou pela cabeça”. Senhor Mano Nunes, para quem não é “funcionário” do SCBM, o senhor até parece que esteve lá, viu e ouviu! É muito fácil conjecturar quando não se está lá para ouvir, ver e sentir. Que pena a sua memória ser curta e não se lembrar de como é fácil lançar boatos acerca de assuntos que nunca aconteceram.
Para terminar, apraz-me acrescentar o motivo da minha intervenção directa neste blog: defendo esta, como qualquer outra anterior ou futura direcção na medida em que todos os que por cá passaram, passam e passarão sabem muito bem que quem cá está tenta sempre fazer o seu melhor e que muitas vezes é interceptado na sua boa vontade por comentários menos alegres como, por exemplo, o assunto que aqui me trouxe.
Atentamente,
Elisabete Gomes

O Bom Malandro disse...

venham ver um amarelo perdido ao obommalandroblogspot.com

O Bom Malandro disse...

Senhora Elisabete somente com o uso de uma interpretação extensiva da sua parte é que consigo entender a sua intervenção em nome de todos os funcionários e ver o que não está no texto de mano nunes. Ele não precisa de estar dentro do clube para saber o que lá se passa, pois como sabe ele ao longo dos anos criou laços de amizade fortes dentro e fora do mundo desportivo, que ainda o identificam com o clube pois ele têm uma imagem associada ao clube que nunca vai ser apagada porque ESTEVE no clube e não apenas de passagem. Eu acho que quem precisa do clube "para viver" não pode tomar esta posição de uma forma imparcial, se alguem tinha de vir a publico criticar o texto de mano nunes não devia ser um funcionário do clube apesar de todas as qualidades que têm.
O passado só é passado quando deixa de ter reflexos no presente e de influenciar o futuro.

Anónimo disse...

Inacreditavel. Mais uma vez uma empregada, coincidencia, vem em defesa do sr. Filipe.
O teor da defesa até foi discutido entre ambos para queimar alguem.
Usam-se os empregados e eles vão na onda.
Tenho uma duvida e gostaria de saber quem promoveu as escutas telefonicas que deram origem à saida dos médicos, parece-me que foram os empregados. Quais?
Deixem-se de intriguices e trabalhem é para isso que os sócios vos paga.
Valdemar Figueiras

Anónimo disse...

Ei Malta! Estamos ricos. O mano que se cale de uma vez por todas.
O nosso Presidente,disse no D.A. que já não queria o Ratinho nem que viesse carregado de ouro.
Como parece que vêm,julgo que o Filipe só o aceitou,porque o obrigou a vir carregado de diamantes, portanto estamos ricos.
Vamos trabalhar para a Europa!
Somos um Clube pujante!
Temos um grande presidente!
Viva Ratinho e o Ratão!
Cheio de felicidade e sonhos,pensei:
E se o Presidente não manda ou não tem palavra?
Pôrra!!è injusto,continuamos de Tanga!
Nós Sócios não merecemos nem uma coisa nem outra.O nosso clube é tão GRANDE e terá gente tão p,,,
Delfim Costa

Anónimo disse...

D.Elisabete Gomes:
Conheço-a desde o Radio Moliceiro, e fui eu que autorizei a sua entrada no Beira-Mar,como vê não sofro de amnésia até porque se tivesse a sua estrutura moral, muito mais lhe teria para recordar.
Azar dos azares foi logo bater num dos artigos que eu tinha avisado o Nuno que estavam a usar o meu nome ou as minhas iniciais, portanto não sou o autor desse comentário embora o subscreva sem os exageros de Policias e ofensas aos Dirigentes.
Pela simples razão de ser portador da defesa da honestidade e profissionalismo de todos os funcionários,(em relação à senhora se calhar enganei-me)
Se eu estivesse a dirigir o Clube a senhora sabe,que seria punida exemplarmente se tivesse a ousadia de afrontar um SÒCIO,quanto mais um Ex-Presidente.Hoje temos alguns Dirigentes,que provalvelmente ainda lhe batem palmas,porque infelizmente não temos liderança.
A resposta foi-lhe dada pelos sócios Valdemar Figueiras e «Bom Malandro» aos quais agradeço.
Existe um AMANHÃ e é importante não o esquecer.
Caro NUNO agadeço a publicação. Já sou arguido por causa do Beira,tenho que me sujeitar a isto e que mais me irá acontecer..!
Em artigo irei contar a situação de arguído.
Com tudo isto ainda querem Paz.
Eu não tenho medo de uma boa Guerra em prol do nosso Clube
Os teus leitores que me desculpem os erros ortográficos,mas eu não sei eliminá-los sem apagar tudo até eles,Sou principiante nisto como já disse.
Mano Nunes
P.S.Se fizeres o favor de os emendares agradeço.

Nuno Q. Martins disse...

A "tesoura" (como alguns apelidaram) é flexível e vai tolerando alguns comentários...

No entanto, aviso os comentadores Suzy Vieira, Sara Pires, Rosa Figueiredo e Fernando Marques que não publicarei os respectivos comentários por tecerem considerações impróprias ou de índole pessoal sobre as qualidades de terceiro. No entanto, tal como já aconteceu anteriormente, desses comentários darei conta à pessoa visada.

Cumprimentos.