Arquivos

domingo, 27 de agosto de 2006

Equipa de equívocos...

Este ano até tinha prometido a mim próprio não comentar os aspectos tácticos dos jogos do Beira-Mar. Tenho o Augusto Inácio em boa conta e considero-o um bom treinador, mas, se porventura as palavras que eu profiro por estes lados lhe chegam aos ouvidos, é provável que ele já nem me possa ver à frente. No entanto, quero deixar bem claro que os meus comentários e os meus reparos têm sempre em vista a manifestação de um sentimento, o de que algo poderia e deveria ter corrido melhor. Gosto muito do Beira-Mar e das piores coisas que me podem acusar é a de usar este espaço para destabilizar o Clube.
No entanto, permitam-me que faça agora todas as observações que tenho a fazer, quando ainda vamos a tempo de corrigir erros. Depois, oxalá que corra tudo pelo melhor e possamos estar a salvo de qualquer "surpresa" menos agradável. É que nas alturas de desespero, as críticas têm que ser colocadas numa gaveta e todo o apoio é fundamental. Só quem não gosta do Clube é que não consegue afastar a razão nesses momentos, deixando prevalecer a voz do coração. Sempre foi esta a minha postura, mesmo quando liderei os Ultras Auri-Negros e fui muito criticado quando, por exemplo, há algumas épocas atrás fui o mentor de uma frase bastante crítica em relação à postura da equipa de António Sousa, ainda no início do campeonato. Depois o tempo veio a dar razão às minhas preocupações e o Beira-Mar acabou essa época com as calças na mão. Estou a recordar a época 2002-2003, em que modéstia à parte, os UAN foram importantíssimos no apoio à equipa que só se salvou da despromoção na última jornada, vencendo em casa o Marítimo.
Serviu esta introdução para clarificar a minha posição. Infelizmente, não têm sido raras as vezes que me sinto obrigado a fazê-lo. E isso desgasta e desmotiva. Por vezes, invejo aqueles que vão ao futebol porque têm convites para os camarotes, lancham e convivem com os políticos e industriais da nossa praça e, no final, mesmo que o Beira-Mar não ganhe ou jogue mal, para eles é indiferente. Estiveram lá e fizeram-se notar. O resultado do jogo, a exibição da equipa, a situação do Beira-Mar é lhes quase indiferente. Têm essa capacidade de sair do Estádio sempre bem dispostos. E venho eu para casa amargurado, triste por não termos ganho, triste por achar que temos uma equipa equivocada, triste por só termos três mil espectadores num Estádio para trinta mil... e essa tristeza perssegue-me até à véspera do jogo seguinte, altura em que se renova a esperança num bom resultado, numa boa exibição e, talvez, numa "casa" melhor...
O jogo de ontem
Não me vou alongar muito em relação ao jogo de ontem. A edição online do jornal O Jogo tem uma boa peça sobre o mesmo que sintetiza a ideia geral que igualmente partilho.
No entanto, sinto-me tentado a dar algumas opiniões que têm o valor que cada leitor lhes quiser atribuir.
Apesar de não ter tido culpa nos golos sofridos, continuo a não gostar do guarda-redes Todor. Pode ser razoável entre os postes mas não me inspira confiança. Parece uma estaca à frente da baliza que quando vê a bola lhe ser atrasada com os pés entra em curto-circuito e treme por todos os lados. Gritante a passividade dele num lance, já na segunda parte, em que o Alcaraz fica a fazer a cobertura para que ele saia da baliza e agarre a bola. Ao constatar a inércia do seu guarda-redes, o Alcaraz lá se decidiu e bem por aliviar a bola...
Na defesa. Vou repetir-me em relação à ideia que sempre defendi e, inclusivamente, uma vez tive oportunidade de transmitir ao Luís Campos quando este esteve em Aveiro. Já serve para dar uma noção do amadurecimento desta minha convicção. Sou um apreciador das qualidades do Jorge Silva e do Alcaraz. No entanto, continuo a afirmar que os dois não devem jogar juntos no eixo da defesa. Ambos são bons na posição de "líbero", em linguagem futebolística, a "fazer as dobras" e a liderar a defesa. Acontece, porém, que nenhum é central de marcação. Nenhum dos dois tem as características essenciais para fazer essa posição, velocidade e capacidade de antecipação. Logo, ambos jogam lado-a-lado, numa defesa à zona aos avançados contrários. É um sistema ruinoso quando o adversário tem jogadores rápidos na frente que se movimentam bem nas costas dos centrais. Como não há uma marcação em cima, homem-a-homem, o central que no início da jogada não tem ninguém para marcar é surpreendido nas costas pelo avançado adversário que se encontrava no raio de acção do colega. E assim apareceram vários jogadores do Desportivo das Aves isolados à frente da baliza do Beira-Mar. E até mesmo nos foras-de-jogo, para que funcionem, a movimentação deve estar dependente do líbero que tem por missão comandar a defesa. Colocar Alcaraz e Jorge Silva juntos na mesma defesa, é como colocar dois galos na mesma capoeira. Já na Liga de Honra, jogos houve em que a defesa tremeu, mas o imperial Diakite ou o experiente Torrão davam uma ajuda à qual se juntava a fragilidade ofensiva da maioria das equipas. Agora, novamente na Liga principal, defrontando equipas com avançados rápidos e experientes, o receio confirma-se. Claro que se pode sempre colocar o "trinco" a funcionar como "terceiro central" quando a equipa perde a bola, mas esse é o primeiro passo para fazer recuar a equipa no campo e perder capacidade de efectuar a chamada "pressão-alta".
Em relação aos laterais Ribeiro e Tininho. O que eu disse sobre o jogo-treino em Rio Maior frente ao U. Leiria, na final do torneio que se realizou na pré-temporada, aplica-se. Apesar de algumas desatenções defensivas, aquilo que me choca particularmente é falta de qualidade dos cruzamentos que ambos efectuam. E se os alas derivam para o meio no sentido de abrir espaços para os laterais subirem, se os cruzamentos não saem ou saem mal, então não há sistema que resulte para a cabeça de Jardel ou Jorge Leitão.
Em relação ao meio-campo, Diakite continua a ser o melhor e o Torrão, ainda que mais discreto, é essencial nas compensações e a "fechar espaços". Os jornais têm insistido nessa tecla e sou levado a dar-lhes razão. O Ratinho é muito "bom de bola" mas ainda não atinou com o "timing" no passe. Espero que tenha capacidade para evoluir pois o talento está lá.
No ataque, o Rui Lima tem sido dos elementos mais activos. Ontem esteve algo desinspirado. Acaba por aparecer poucas vezes a cruzar - o que é pena - porque deriva para o meio, no sentido de libertar a linha para as subidas do Tininho.
O Jorge Leitão é o mesmo de sempre. Muita luta e não desiste de nenhum lance. No entanto, gosto muito mais de o ver na área do que a receber bolas na linha. Não é jogador de criar desiquilíbrios em drible ou em velocidade no "um-para-um". A sua maior utilidade neste sistema é aproveitar os espaços que o Mário Jardel possa criar ou vice-versa.
Quanto ao Jardel, tenho gostado da sua evolução. No entanto, e isso não será culpa dele, não gosto de ver o Beira-Mar a jogar exclusivamente para ele. As defesas contrárias estão muito atentas ao Jardel e tanto em cruzamentos como em lances de bola parada, seria muito útil ao Beira-Mar explorar outros jogadores que possam aparecer, como fez (e bem) o Diakite algumas vezes. Gostei do Vasco Matos. Arrisco-me a dizer que partiu dele o melhor cruzamento em toda a segunda parte. Quanto ao Farah, alguém que lhe ponha "nitro" porque a jogar àquela velocidade nem em matraquilhos tem lugar. O Jorge Vidigal entrou para segurar o resultado mas não chegou...
Em jeito de conclusão, sou da opinião que o Beira-Mar tem um bom plantel e tem condições para praticar um futebol muito agradável e eficaz quando alguns dos equívocos do actual sistema forem resolvidos. Tenho esperança que o Danrlei seja bem melhor que o Todor e agarre a titularidade nos próximos tempos. Já em relação à defesa, acho pouco provável que o Inácio proceda a alterações e seja o que "Deus quiser...".
Quanto ao ataque, exige-se mais mobilidade. Mais penetrações dos médios, mais jogo à linha e cruzamentos, pelo menos, "reciclaveis".
O Mário Jardel
Já tive oportunidade de o dizer neste post. Estou a gostar de o ver em campo. Lamento apenas que alguns jogadores só vejam o Jardel em campo e tentem colocar balões disparatados na frente. Esse tipo de futebol não resulta. Uma coisa são cruzamentos efectuados a partir do bico da grande-área, outra são balões que morrem na cabeça dos defesas ou nas mãos do guarda-redes adversário.
A propósito, gostei das palavras de Augusto Inácio sobre o Jardel numa entrevista recente ao Diário de Aveiro que pode ser lida por esta via.
Três mil e poucos...
Nos minutos que antecederam o início da partida fiquei desolado. O Beira-Mar estava prestes a iniciar a "Liga Bwin", num jogo televisionado, com uma assistência idêntica à maioria dos jogos da Liga de Honra. Nem o efeito "Mário Jardel" trouxe mais gente ao estádio. Ou melhor, secalhar até trouxe, o que realça ainda mais a minha preocupação.
A bancada poente estava bem composta. Os camarotes e as tribunas também. A bancada norte e a nascente muito despidas e, no topo sul, a bem organizada Força Avense (claque do Aves) fazia-se ouvir muito bem.
Sobre esta questão do público e da ausência de apoio à equipa, uma temática que constantemente é desvalorizada e que a mim tanto me diz, tenciono voltar noutro post no decorrer desta semana.
Os equipamentos
Tenho, propositadamente, desvalorizado esta questão aqui no BN. E a culpa é de alguns anónimos que utilizam sistematicamente esse assunto para apedrejar a actual direcção do Beira-Mar.
Foi muito oportuno o comunicado no site oficial que justificou a utilização do equipamento alternativo da época passada neste jogo.
Confesso que também eu já estou farto de ver o Beira-Mar a actuar de branco e tenho saudades da camisola amarela e dos calções pretos. Essas são as cores estatutárias do Clube e são as cores com as quais sempre me identifiquei. Acho que o branco combina bem com elas, mas não pode substituir nenhuma delas. A identidade do Beira-Mar, que actua num estádio "multi-cor" e quase "neutro", necessita de factores de revitalização. A descaracterização do equipamento principal é mais uma machadada nos elementos de identificação dos adeptos com o Clube.

13 comments:

Filipe Queirós disse...

Bom post e muito bom blog! Já linkei no meu e espero que possa contar com a tua visita!

Saudações Desportivas do Na Bancada Central

Anónimo disse...

Não me prece que tenhamos pantel, ou antes, em quantidade sim mas qualidade...muito pouca.
Reforços, só Jardel.
Mais uma nota, o "speaker" envergonhou-nos.
Kim

Anónimo disse...

Voltaste aos bons velhos tempos.
Bôa reflecção sobre o jogo e a vida de alguns assuntos do clube.
Sobre o comunicado em relação aos equipamentos não acredites, já na epoca passada,os equipamentos já escolhidos em amarelo e preto,pela anterior direcção foram devolvidos
por o preto ter relevancia habitual e estatuária, depois foi a vergonha que se viu em toda a época.
Espero que venha o Amarelo e Preto,
mas duvido,pois eles são teimosos e julgam que pôem e dispôem no Clube.Os Sócios só tem importância para eles na altura dos votos.
Helder Sousa.

Anónimo disse...

só esoero que estes 2 pontos perdidos não nos façam falta mais tarde..se não conseguirmos ganhar em casa com equipas do mesmo campeonato que o nosso e ainda com um jogador a mais..podemos arrumar as botas!

quem parece que arrumou as botas foi a nossa claque??..onde estava ela ontem..estará de férias??

não venho aqui só para falar mal, venho enaltecer que junto das bilheteiras e entradas do estádio a mudança surtiu efeito para melhor..mas num jogo com apenas 3000 espectadores (onde andam os beiramarenses?) também não dá para testar nada..a ver vamos se a nossa sorte muda..

Rui Silva disse...

Foi o primeiro jogo que vi do Beira-Mar nos últimos tempos, mas permite-me que discorde em alguns pontos.

O Todor é, de facto, um guarda-redes demasiado fraco. Dizia ontem em tom de brincadeira que nem serve para fazer exibições de encaixe contra o Benfica. Tecnicamente mais que limitado e um perigo para o próprio Beira-Mar.

Quanto à questão do miolo, sinceramente vejo mais culpas nos posicionamentos do Diakité e do Torrão do que nas características dos centrais. Por exemplo, no lance do golo, o Torrão e o Diakité estão a jogar lado a lado e falham a transição ofensiva. Quando se joga lado a lado no meio-campo, uma perda de bola, um passe transviado é uma jogada perigosíssima na defesa.
Nesse lance deu golo, mas repetiram esse posicionamento débil frequentemente.

Não sei até que ponto não será prudente actuar com o Emerson no lugar do Torrão. A propensão ofensiva do Diakité deu excelente resultado no ano passado e em alguns períodos do jogo de ontem, mas as suas subidas nunca foram devidamente compensadas como deveriam ter sido. O Torrão é bastante experiente, mas não me parece o jogador ideal. Alguém com uma área de acção mais fixa e que dê mais liberdade ao Diakité poderá trazer mais benefícios ofensivos e menos calafrios defensivos.

Por último, o modelo de jogo é ainda muito confuso. O Beira-Mar não consegue chegar ao último terço defensivo com a bola controlada. Na primeira parte, houve precipitação nos cruzamentos, sendo muitos deles efectuados a 20, 30 metros da área. Na segunda parte, esta precipitação foi corrigida, mas quando Rui Lima, Leitão ou mesmo o Tininho chegavam ao enfiamento da área não conseguiam sacar o cruzamento.

No entanto, aprecio bastante o Inácio e acredito que nos próximos três, quatro jogos estes mecanismos estejam mais imbuídos no estilo de jogo da equipa.

sergiol disse...

Caríssimo Nuno Q. Martins:

estou tentado a concordar com a tua análise. Para quem vê o Beira-Mar, pela primeira vez esta época, dirá que o clube certamente não tem equipa para aguentar o campeonato principal. Houve demasiados erros que no futebol, lá vem uma verdade fria, acabam por ser pagos muito caros.

De um modo geral, meu caro amigo Nuno Q. Martins, o Beira-Mar deve ter feito a pior exibição desde que Augusto Inácio pegou na equipa. Os jogadores pareciam que tinham receio em receber um passe de um colega; escondiam-se para que o passe não fosse feito; enfim, quando a bola lhes chegava dava a sensação de que a recebiam com picos. Este não é o Beira-Mar que se quer mostrar a quem o vê pela primeira vez.

Ao contrário da tua análise, não me parece que Todor seja assim tão mau guarda-redes. Certamente estiveste atento ao jogo e já tivestes a oportunidade de ver um resumo, por mais pequeno que seja, na televisão. Como tal, meu caro amigo, não será necessário recordar-te de uma ou outra intervenção do Todor que nos safou do golo mais que certo. Mesmo assim, se me permites, recordo-te o lance em que o Tininho deu de bandeja a bola a um adversário e o Todor defendeu o remate; ou até mesmo quando um jogador do Aves apareceu estranhamente solto no lado esquerdo e o Todor fez impecavelmente a mancha. Outras situações poderia dizer-te, mas espero que o tempo me dê razão de que o Todor não é assim tão mau. Já agora, aqui entre nós, não me importava mesmo nada que o Pavel ficasse.

Para quem viu pela primeira vez o Beira-Mar, também concordaria contigo que Jorge Silva e Alcaraz são incompatíveis no centro da defesa; que o Tininho e o Ribeiro não são jogadores para uma equipa da primeira Liga; que o Jorge Leitão não rende encostado à linha.

Mas a minha eficácia de não concordar, de momento contigo, deve-se ao facto de nós, meu amigo Nuno Q. Martins, que debitamos as nossas análises aos jogos do Beira-Mar não vimos o nosso clube ontem pela primeira vez esta temporada.

Reconheço que a final de Rio Maior não nos correu muito bem. Mas Nuno, este Beira-Mar, na sua grande maioria, é o mesmo que "limpou" com categoria a exigente Liga de Honra no ano transacto. A dupla de centrais, na minha modesta opinião, funciona bem junta. Alcaraz (mais rápido) complementa bem com Jorge Silva (um pouco mais lento). Tininho foi somente o único jogador que fez o pleno das jornadas na temporada anterior. O único problema do Tininho é jogar sempre com os olhos postos na bola. Não consegue levantar a cabeça quando conduz o esférico pelo seu lado. É demasiado macio dentro do terreno de jogo. Falta-lhe, como é que direi, garra e poder de explosão. As vezes, quando o vejo, digo para comigo "eh pá!, se eu fosse colega dele dava-lhe um valente estalo na cara para ver se ele ficava com raiva. Dizia-lhe: oh Tininho, estes fulanos com quem estamos a jogar disseram, entre eles, que o melhor é jogar pelo teu lado porque não vales nada". Podia ser, assim, que ele "acordasse" para a realidade de um jogo de futebol.

No caso concreto do Ribeiro, compreende isto: houve uso e abuso de jogo dos colegas sobre o lado direito. O homem não pode aguentar tanto jogo sobre a sua faixa. E depois, um pormenor importante: foi daquele lado que jogou o Xano, simplesmente a melhor unidade avense.

Aquilo que eu vi foi um Torrão irreconhecível; um Luciano Ratinho que demorar uma eternidade para soltar a bola; um Rui Lima e um Jorge Leitão que estão em grande forma; um Jardel a corresponder ao que os mais optimistas esperam dele; e um Diakité simplesmente fabuloso.

Por último, o Vasco Matos. Está ali uma pérola. Olha o que te digo, meu amigo, aquele jogador não engana. Assim como o André Leão. Outro que vai dar que falar.

Para já, para já foi o primeiro jogo. Sempre recheado de algum nervosismo e ansiedade. Temos equipa, meu amigo. E jogar diante de uma equipa com todos lá atrás à espera de um deslize adversário não é fácil.

Dia 11, vamos ganhar a Leiria. E mostrar, aqueles que viram o Beira-Mar pela primeira vez, que este jogo foi... uma anormalidade.

Um abraço,

Sérgio Loureiro.

Anónimo disse...

Eu tenho que disser umas palavras ... eu concordo com o que disses Nuno ... mas tamos com uma grave problema de falta de concentraçao ... o tininho a oferecer a bola aos avançados ... se nao fosse o todor a cobrir a dobra seria a desgraça do jogo ... e o ribeiro ... nao aguentava mais ... na segunda parte ele ja só conseguia andar ... e nao acompanhava os atacantes ... precissa de mais folego, o pulmão que ele tinha no final da epoca passada ...

Outro assunto que fikei triste de ver foi a claque cada vez menor ... como ex auri-negro fico triste por ver k a claque do aves tinha mais gente que a nossa ... eu sai da claque ... como é conhecimento de todos ... por desavenças com membros da mesma ... mas sempre fui beiramarense e a minha paixao ferve como sempre ferveu ... e trago para o nosso clube novos socios ... e um futuro k ainda está pa nascer ... que é filha do meu irmao e que se vai chamar Maria Duarte ... tal é a forma como eu e o meu irmao vivemos o clube =)

Abraço a todos os AN e BM

Rúben Marinho (aka R0nin)

rui nunes disse...

Caro Nuno Q. Martins.
Quando falas da ausência de publico, passo a transcrever um e-mail que mandei hoje para vários orgãos do beira-mar. A falta de organização tambem leva à falta de adeptos...:
"Caro S.C. Beira-mar.

Venho por este meio reportar uma situação já vivida nos jogos amigáveis, mas que pensei que estivesse resolvida a tempo do 1º jogo oficial na Liga BWin.

Eu, Rui Nunes, com o nº Sócio ####, juntamente com a Sócia #### e o Sócio ####, adquirimos três lugares anuais (Bancada Lateral 1, Sector A3, Fila #, Lugares ##, ## e ## respectivamente).

Como já verificado em jogos anteriores, ao chegar aos lugares que previamente adquiri, no Jogo Beira.mar-Aves, deparei-me muito naturalmente com pessoas sentadas nesses respectivos lugares.
Ora, o prometido na altura da aquisição dos lugares anuais, era que iriam escrever nas cadeiras o numero de sócio ou/e nome das pessoas!
Não o fazendo foi claro que outras pessoas se sentaram naqueles lugares, recusando de lá sair e causando discussões.

Stewards, nem vê-los, apenas estando dois na zona dos lugares cativos, recusando-se a sair daquele lugar para resolver a situação, reivindicando não poder largar o exercício das suas funções.

Espero que me esclareçam sobre o assunto pois estou tentado a pedir o dinheiro de volta desses mesmos lugares anuais.
Não estou a usufruir de um serviço que tanto foi publicitado, e parece-me que foi apenas mais uma maneira de realizar capitais rápidos.

De referir que esta situação verificou-se com muitas mais pessoas na bancada em que estava, levando a situações muito incomodas e desnecessárias.

Sempre com o Beira-mar... Rui Nunes."

Mais uma coisa.. o speaker envergonhou o beira-mar com a história dos 3 pontos.

Abraços beiramarenses...

BM disse...

É verdade Nuno..
Também senti o mesmo..
Espectadores não há..
Se calhar muitos preferiram ver o jogo na SportTv. Eu também estive a um passo de fazer isso.
A táctica é descarada (mas pode funcionar) não te esqueças dos ditados do "Cântaro".. e da "Água mole".. No entanto se ele se lesiona.. Há! Convém é não esquecer que nos faltou o Roma..
Todor não sabe falar Português, provavelmente não conseguiu falar com os defesas e... achei-o atrapalhado..
A claque fez o possivel para apoiar.. já sei da atrapalhação provocada para se realizarem cartões.. O que me leva a crêr que se fosse por alguma(s) pessoa(s) lá de dentro do Beira-Mar este ano nem havia apoio da claque..
PS: (Sérgio), a equipa +/- é a mesma.. mas o sistema de jogo não é igual...
(Nuno), Não sei se vale a pena ter pena..
Uma pergunta boa para a direcção era: Se já realizaram os objectivos propostos.. não vão pensar em nada mais?! Há tanto por fazer... Para além do que já se escreveu, quando será que vamos ter uma Sede? Um clube dum campeonato profissional há tantos anos sem Sede! Que vergonha... Será que ainda tenho que falar nas cores do estádio para nos humilhar mais?!.. Xiça!! Afinal quem é que gosta do clube? Se não há dinheiro metam processos judiciais a quem deve.. CMA, outros clubes, arranjem patrocinadores.. etc.. Mais se não metem lá pessoas será que pensam que as empresas vão se interessar? Ou será que é para as 33mil cadeiras lerem a pub..?

Joao cardoso disse...

Foi um jogo muito pacáto.
E para quem diz que o Jardel nao faz nada e está gordo, 1º metam os olhos nos GORDOS e LENTOS da nossa defesa..atao aquele Tininho..Jasus!

E ja agora Nuno deixo-te aqui um novo portal dedicado ao mundo beiramarense e gostava que o anunciasses.

www.portal-beiramarense.pt.to

Obrigado!

BaD disse...

Quer me parecer que o Farah não é extremo. Quem faz os movimentos que ele fez junto à linha, não pode ser extremo. Contudo, até gostei do seu toque de bola. Apesar de ser muito lento, pode ser importante a guardar a bola no meio, claramente a sua posição natural.

Nuno Q. Martins disse...

Vou tentar responder a todos os comentadores num só comentário, mas, nestas coisas, quando começo, nunca sei exactamente onde vou acabar. :)

Caro Filipe Queirós;
Registei a visita e já dei uma vista de olhos na "Bancada Central". Agradeço o link que já retribuí na secção "Desportivos".

Caro "Kim";
Estou em desacordo consigo sobre a questão da qualidade do plantel. Acho que no passado, o Beira-Mar não teve muitos planteis que, em termos de qualidade individual do jogadores, fosse superior ao actual. No entanto, como já o disse várias vezes nestas paragens, "bons jogadores" não fazem necessariamente uma "boa equipa". E, para mim, esse é o problema actual. Temos bons jogadores (a maioria) mas não temos - ainda (assim espero) - uma boa equipa.

Caro Hélder Sousa;
Não considero que tenha voltado aos "bons velhos tempos". Eu tenho as minhas opiniões e não deixo de as manifestar quando assim o entendo. Ainda assim, como tudo na vida, a opinião também carece de gestão.
Quanto à questão dos equipamentos, por mais estranha que possa parecer o atraso, não tenho qualquer informação de fonte segura que me faça duvidar do comunicado da direcção do clube, pelo que, até prova em contrário, acredito na posição oficial do clube.
É que, se bem me lembro, no passado com a UMBRO também existiram alguns problemas relacionados com a entrega de equipamentos.

Ao anónimo, que também não deixa de me ser "Caro" pela seriedade do seu comentário;
Em relação à claque e ao público, tenciono pronunciar-me no decorrer desta semana noutro post.
Quanto ao funcionamento das entradas, acho que foi notória a melhoria em relação à época anterior, nomeadamente, no que diz respeito aos portadores de Bilhetes anuais.

Caro Rui Silva;
Apreciei o teu comentário, o qual agradeço e parece-me extremamente pertinente.
Em relação ao Todor, as opiniões divergem entre os adeptos, entre os "bloggers" e até na imprensa desportiva. Penso que é uma demonstração que não convence toda a gente. Mas, nestas coisas, há quem se deixe iludir ou goste de um estilo que eu particularmente não gosto. Enfim, todos temos direito às nossas opiniões.
Quanto ao posicionamento dos médios, eu também sempre afirmei na época passada que o BM não tinha um "trinco" de referência como tivemos num passado recente o Fernando Aguiar, o Sandro ou até mesmo o Beto. E esse tipo de jogador é fundamental numa equipa. O Diakite veio para o Beira-Mar como "médio esquerdo", jogador de ataque. Pelas suas qualidades e resultado das necessidades da equipa, foi adaptado a trinco na época passada. No entanto, apesar de ser um jogador muito útil, verifico que em termos de posicionamento táctico, é um jogador que não tem "escola"... daí que grande parte das compensações fiquem a cargo do Torrão. Confesso que tenho muita esperança que o Emerson se afirme na equipa e permita ao Diakite soltar-se porque é um jogador que aparece muito bem no ataque e isso viu-se na época passada quando o Beira-Mar alterou o seu sistema táctico para um 3x5x2 na parte final da Liga de Honra.
Quanto ao treinador Augusto Inácio, partilho da opinião em relação às qualidades como treinador, embora, na minha qualidade de sócio e adepto discorde de algumas decisões. Mas penso que isso é normal no futebol e não quer dizer que não reconheça os méritos do Augusto Inácio.


Porque este(s) comentário(s) já vai longo, continuo no seguinte.

Nuno Q. Martins disse...

Caro amigo Ségio;
Não me vou alongar na resposta ao teu comentário porque em qualquer altura encontramo-nos e debatemos as nossas ideias pessoalmente, que mais me agrada do que responder-te por esta via.

Ainda assim, tiveste uma afirmação que só fará sentido se te estiveres a reportar a esta época:
«De um modo geral, meu caro amigo Nuno Q. Martins, o Beira-Mar deve ter feito a pior exibição desde que Augusto Inácio pegou na equipa.» - É que eu ainda não me esqueci da pobreza exibicional do Beira-Mar na última época que, mesmo tendo sido líder isolado durante grande parte da prova, não foi capaz de atrair mais gente ao estádio. E olha que quando o BM joga bem e consegue bons resultados, isso reflecte-se nas assistências como é bom exemplo o sucedido na primeira volta da época 03-04.

Quanto ao Todor e a outros aspectos que referiste, vou reservar a matéria para debate para a nossa próxima conversa sobre o Beira-Mar, ok?

Caro Rúben, meu companheiro de "curva" noutros tempos;
Fiquei contente por saber que és visitante do BN. Já não te vejo há algum tempo mas sei que acompanhas o quotidiano do Clube, e ainda bem.
Em relação à claque, não me devo alongar em considerações pelas razões que são do domínio público. Deixo para os seus responsáveis o ónus de tomar ou não tomar uma posição pública sobre o que se está a passar. No que diz respeito à que considero ter sido uma fraquíssima assistência neste Sábado, aí terei uma palavra a dizer noutro post, se possível, ainda esta semana.

Caro Rui Nunes;
Tal como o Rúben, fiquei contente por saber que me visitas neste espaço.
Agradeço-te o comentário e registei a tua indignação que chegará ao conhecimento dos responsáveis. Também comprei bilhete anual ao meu pai, ao meu avô e ao meu irmão na Bancada Poente, os três juntos como na época passada. Acontece que eles nunca se sentaram nos seus devidos lugares porque, infelizmente, o estádio nunca encheu e sempre encontram lugares alternativos razoáveis para ver o jogo. Acresce, também, o facto de nunca ninguém lhes ter idicado em pormenor os lugares e eles nem sabem exactamente onde ficam, mas sabem o sector e já lhes disse que procurem.
Mas o mais estranho é que na Bancada Norte andava lá uma senhora da 2045 em serviço que não deixava ninguém estar em pé nas escadas da bancada, nem que fosse só numa conversa momentânea. Ora, esses ARD - "SMNPF"(Assistentes de Recinto Desportivos - "Sem Mais Nada Para Fazer") teriam mais utilidade a indicar os lugares aos portadores de bilhetes anuais, uma situação predominante na Bancada Poente.
Podes ficar descansado que a tua observação chegará aos responsáveis do Beira-Mar. Só não te garanto que a situação será resolvida porque essa parte já não depende de mim, como compreendes.

Amigo "bm";
Tal como disse ao Sérgio, escuso-me a responder ao teu comentário por esta via. Tocaste em assuntos que já foram e são constantemente debatidos nas nossas conversas, mas fazes bem vires aqui e deixares os teus desabafos. Sócios como tu são do melhor que o Beira-Mar tem.

Caro João Cardoso;
Agradeço o comentário e já adicionei o "Portal Beiramarense" à secção "Mundo SCBM". Espero é que dinamizes o espaço porque ainda agora, ao adicionar o teu link, removi o do blog "Curva Auri-Negra" que prometia tanto no seu início e depois eclipsou-se.

Caro "Bad";
Tenho seguido com muita atenção o "Pensar à Beira-Mar". Todos os posts são lidos por mim com a máxima atenção e tenho gostado imenso da vossa participação na blogosfera Beiramarense.
Sempre que tenha essa disponibilidade, vou deixando os meus comentários por lá e já sabem que têm esta casa sempre aberta também às vossas opiniões.

Um abraço a todos e o meu agradecimento pelas vossas opiniões que provam que é possível manter um debate vivo e interessante na blogosfera.