Arquivos

domingo, 29 de outubro de 2006

Análise por Filipe Guerra

Não vale a pena estar a descrever ou a tentar adjectivar a emotividade que o jogo teve. Qualquer pessoa que o tenha visto sabe que foi sem dúvida um bom jogo. Foi daqueles que em que vale a pena dizer “presente”. Maliciosamente, pode-se questionar se houve mérito dos ataques, ou, demérito das defesas.
O Beira-Mar entrou mal no jogo. Por duas ou três vezes nos primeiros minutos o Sporting podia ter chegado ao golo. Caso tal tivesse acontecido o rumo do jogo teria certamente sido diferente. A referência à “sorte” feita por Inácio ao longo da semana, pelos vistos compensou.
No seu primeiro lance verdadeiramente perigoso, o Beira-Mar conseguiu marcar. Naturalmente, até ao fim da primeira parte, salvo um remate perigoso do Beira-Mar, o Sporting foi para cima, sendo que a equipa do Beira-Mar teve grandes dificuldades para segurar a bola e construir qualquer tipo de jogada. Felizmente, a meu ver, Paulo Bento apenas apostou tudo na segunda parte. As entradas no onze inicial de Farnerud e Romagnoli não deram em nada.
Com as entradas de Carlos Martins, Yannick e, ainda, de Nani, com o Sporting a apostar tudo, o Beira-Mar passou a ter mais espaços, tendo dois ou três contra-ataques (até ao primeiro golo do Sporting) perigosos. Com estas alterações o Sporting expôs-se.
A segunda parte do Beira-Mar vale acima de tudo pela garra e querer que a equipa demonstrou (ao contrário do jogo com o Braga, por exemplo). Registaram-se exibições individuais bastante boas, nomeadamente de Diakité e de Rui Lima.
A equipa demonstrou boa-vontade e entrega. Não há um jogador que tenha estado em campo que se possa acusar de falta de entrega. Por exemplo, Jorge Leitão não fez um grande jogo, mas esforçou-se, o mesmo se pode dizer de Torrão, Vasco Matos ou Ratinho. Aliás, como já tinha referido algumas semanas atrás, a entrada de Vasco Matos para o “onze” é fundamental para abrir as referências ofensivas do Beira-Mar.
O problema, mais uma vez, é a defesa. A defesa entrou mal no jogo e não esteve por aí além. Marco e Buba não estiveram particularmente bem defensivamente e falharam diversas vezes na marcação a Liedson e Alecsandro. Ricardo apenas esteve aceitável até à entrada de Carlos Martins (os três golos do SCP saem do seu lado). A defender, valeu Tininho que até não esteve mal. Ao fim de 6 jogos, e depois de Inácio já ter experimentado quase todos os quartetos defensivos possíveis, o Beira-Mar já leva 17 golos sofridos. São demasiados golos.
Ofensivamente, o Beira-Mar teve dificuldades óbvias em sair no contra-ataque, sendo que, só quando o Sporting se abriu em busca do golo, o Beira-Mar conseguiu subir com perigo ganhando livres e cantos.
O Beira-Mar tem mérito em marcar três golos de bola parada, mas houve grande demérito\“impreparação” do Sporting. Quem viu os lances com atenção reparou que o Jardel nos lances de bola parada estava a ser marcado por Nani… (este deve ter para aí 1,70m no máximo) e as três “torres” do Beira-Mar (Buba, Diakité, Jardel) foram extremamente mal marcadas.
Destaque:
Buba – obviamente… marcou três golos (não me lembro de alguma vez um defesa-central ter feito esta proeza) e, sem dúvida que fez o que pôde para o Sporting não marcar. Em boa verdade, diga-se, defensivamente entrou muito mal no jogo.
Outros aspectos...
Já há algum tempo que tenciono escrever sobre isto mas ainda não será hoje (ficará para outra oportunidade). Ainda assim, gostaria de dizer que a imprensa desportiva portuguesa, de facto, está de rastos. O tratamento jornalístico dado ao longo da semana ao Beira-Mar foi uma “pouca vergonha” despudorada. Então, se comparando com o tratamento dado ao Sporting, mais grave se torna a situação. Também os próprios comentadores do jogo na TVI deviam reflectir um bocado sobre a figura que andam a fazer…
Filipe Guerra

3 comments:

jqam disse...

Achei uma piada foi a um dos comentadores que estava a relatar o jogo na TVI, dizer:

"E no Beira-Mar estão a aquecer Artur, André Leão e Wegno..tudo, apostas defensivas"

Que eu saiba, o Wegno é avançado, o Artur é medio avançado direito/esquerdo... o unico mais defensivo era o Andre Leão... que ainda assim, é médio defensivo.

Estas e mais calinadas, são de gente que vai comentar um jogo de futebol sem conhecer propriamente as equipas que vão jogar... neste caso o Beira-Mar!

Um abraço

Anónimo disse...

VÃO VER AS CONTAS DO NOSSO CLUBE ANALIZADAS NA RUA DO VENTO; PELO DR.JOÃO DE SOUSA

Anónimo disse...

Por acaso lembro-me na Liga Portuguesa de um central a marcar 3 golos, Filgueira ex-central do Belenenses onde na póvoa marcou 3 golos.

Quanto ao jogo, já foi dito muita coisa, mas acrescentar que o Jardel apesar de só entrado aos 82´conseguiu mexer com o jogo e quem sabe o Jardel em janeiro ou no fim da época tenha alguma proposta de um grande. (acho pc provavel mas quem sabe nunca esquece e ele já provou mesmo "gordo" está sempre no sitio certo para marcar.