Arquivos

domingo, 18 de março de 2007

Vontade... imaturidade...e empate.

Os jogos sucedem-se e o Beira-Mar não consegue superar os seus adversários. Se o pecúlio nos jogos fora é paupérrimo (ainda nem sequer vencemos...), nos 11 jogos disputados em casa esta época, o Beira-Mar conta com apenas 2 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. Uma performance negativa que não deixa antever um final feliz...

No jogo de ontem, o Beira-Mar até entrou bem no jogo e teve alguns minutos de completo domínio. André Leão e Diakité estavam imperiosos no meio campo, permitindo a Ratinho, Borko, Tininho e Edgar libertarem-se e criarem algumas situações de perigo para a baliza maritimista. Ao intervalo, o Beira-Mar vencia com inteira justiça mercê de um grande golo de André Leão.

Na segunda parte o figurino do jogo alterou-se. O Marítimo foi atrás do prejuízo, o Beira-Mar foi deixando de conseguir criar perigo até que perdeu por completo o domínio do meio campo. Nesse período, a supremacia do Marítimo foi evidente e o guarda redes Eduardo foi evitando como podia o empate dos forasteiros. No banco, Soler revelava apatia perante a avalanche ofensiva do adversário. A saída de Ratinho para a entrada de Matheus enfraqueceu o meio campo auri-negro e retirou capacidade de posse de bola à equipa. Quando vi que Makele se preparava para entrar, pensei que o jogador a "sacrificar" fosse Edgar (nesta altura já se encontrava completamente esgotado e as bolas já nem chegavam ao ataque). Pensei que Soler iria apostar na velocidade de Borko (direita) e Matheus (esquerda) para tentar surpreender o Marítimo no contra-ataque, reforçando o miolo com a entrada do Makele para auxiliar os já fatigados André Leão, Diakité e Tininho. Só que Soler não alterou a estrutura da equipa e, por isso mesmo, também não mudou o cariz do jogo, ou seja, o Marítimo continuou a dominar o jogo e a criar muito perigo.

Os dois golos da equipa insular acabaram por ser consequência natural de uma segunda parte quase de sentido único para a baliza auri-negra. As facilidades que o Beira-Mar concedia permitiam ao Marítimo organizar bem as suas jogadas, variando os flancos e conseguindo cruzamentos e remates com bastante liberdade. Achei, ainda, negiligente a ausência de marcação individual ao Mbesuma que tem sido ao longo desta época o jogador mais influente do ataque do Marítimo.

Mal o menos, o desespero final permitiu chegar ao empate... Um alívio tremendo! A derrota, nesta altura, seria um resultado absolutamente desastroso.

Inexperiência
Apesar das minhas críticas em relação a algumas opções do treinador, compreendo que seja difícil para o treinador gerir alguns aspectos deste plantel. Nessa medida, reafirmo o que disse aquando da chegada dos jovens jogadores colocados pela Inverfutbol. Estes podem ter muito valor e um elevado potencial, mas na situação que o Beira-Mar se encontra, a experiência é uma mais-valia essencial. A incapacidade de manter a posse de bola face à pressão do Marítimo é sintomática da inexperiência de jogadores como o Makele (perdeu infantilmente a bola no lance do segundo golo do Marítimo e noutros lances...), o Borko, o Matheus ou o Edgar...
A imprevisibilidade e qualidade técnica destes jogadores pode ser muito útil, mas para "segurar" um jogo é preciso mais estofo.

Arbitragem
Quando se fala em Paulo Paraty, os adeptos Beiramarenses estremecem. O passado não muito longínquo dá razões para isso. No entanto, em abono da verdade, nos últimos jogos do Beira-Mar que Paulo Paraty interveio até nem existem razões de queixa. Ontem, a equipa de arbitragem dava garantias de não prejudicar o Beira-Mar... A equipa tinha uma oportunidade de ouro para jogar tranquila e afastar os fantasmas recentes. Neste cenário, a não vitória torna-se ainda mais gravosa.

Público
O ecrã (da Bancada Norte, porque o da Sul não funciona) indicou 3233 espectadores. Um número interessante tendo em vista a carreira da equipa esta época na Liga Bwin. No entanto, todos temos a consciência que os convites distribuídos é que permitem atingir este número. O que começo a duvidar, face à incapacidade da equipa, é se mesmo com convites seremos capazes de aguentar este número de assistência. Não sei se todos o sentem da mesma forma, mas sair do estádio amargurado começa a tornar-se uma rotina muito desagradável...

14 comments:

Arauto da Ria disse...

Olá Nuno!
Olha nem sei que diga, estou desolado, mas vamos ter fé, no fundo está tudo na mesma, mas receio pelos poucos jogos que faltam, temos que ganhar.
Um abraço.

Anónimo disse...

INCOMPETENCIA. Muita incompetencia tecnica, o treinador perde o jogo no banco.
Depois de um ano com 50 jogadores e 3 treinadores é desesperante esta total incompetencia directiva. Todos percebemos que o treinador é simpatico, fala com todos, fala de futebol, foi jogador de futebol, pode vir a ser um grande treinador, mas não está preparado para esta situação.
Assim não vamos lá.
LSD

Anónimo disse...

Será que ninguém viu 2 golos em claro fora de jogo, do Maritimo? Se pensarmos no jogo contra a Naval... parece que o Beira-mar agora joga em casa sempre com um handicap de 2 golos dado pela arbitragem...

Se a isto adicionarmos o facto de a equipa ter recuado demasiado... dando o dominio total de jogo ao Maritimo... Acho que ninguém no estádio acreditava que o Beira-mar conseguisse segurar a vitória!!

Anónimo disse...

2 golos em fora de jogo? LOL caro anonimo a k jogo assistiu?

Anónimo disse...

Os dois golos sofridos vieram direitinhos do banco. A substituição do Tiniho deixou um buraco do lado esquerdo.

Daniel disse...

Como sempre uma boa ana'lise... pelo que percebi, o erro principal foi a saida do Tininho que deixou o flanco esquerdo demasiado coxo.

Nao quero justificar a derrota com a arbitragem, mas aproveito para deixar em defesa do segundo anonimo que comentou este post este link, para ver se o terceiro anonimo ve que o anterior se referia mesmo ao SCBM vs CSM deste fim de semana. Admito que possa faltar gente nas imagens, mas nao me parece...

http://www.youtube.com/watch?v=leYxlZZPPXU&eurl=http%3A%2F%2Fwww%2Etvtuga%2Ecom%2Ffutebol%2Fgolos%2Ephp%3Fsubaction%3Dshowfull%26id%3D1174270166%26archive%3D%26start%5Ffrom%3D%26ucat%3D1%26sea

Anónimo disse...

Para que! tentar arranjar culpados.
Não ganhou, paciência agora nâo á nada a fazer. Temos é que apoiar o
clube. porque é nestas alturas que
precisam de força para continuarem a lutar. E como sócio confiante que sou, continuarei a acompanhar
esta grande equipa que é o
Beira-Mar. FORÇA BEIRA-MAR!!

A.AGUIAR

PSousa*Bancada Directa* disse...

Pois e o mais grave, é que cada vez o tempo e os pontos são menos para recuperações...O milagre que pode acontecer e estou vendo,é que descem só duas equipas, pois se são 3/4, neste momento o carimbo estava passado.

Vamos ver o que esta paragem vai trazer, pois recuperando um outro jogador, que podem fazer diferença na equipa, se dá para fugir deste lugar, mas os jogos que se adivinham, nao deixam margem para sonhar muito, mas sonhar é viver..
Mas por Favor, meter culpas no treinador, quando já passaram por Aveiro nos ultimos anos uns tantos e todos sem grande sucesso, penso que não é o mais sensato, apesar de reconhecer em alguns ,alguma incapacidade para estas andanças, mas não é por aí que está o problema.
o problema vem de trás...intranquilidade que se sobrepôs a equipa, gerada pelas mudanças, classificação, gestão, e principalmente da revolução que houve, que dá mais qualidade, mas tira as rotinas tacticas, que claramente esta equipa não tem...

Um grande abraço amigo Nuno.

Anónimo disse...

o Sr. A. Aguiar deveria querer dizer grande clube...! Ai concordo consigo... agora "grande equipa" serei forçado a contestar.. Nem isso nem uma grande direcção (grande só no numero de Jobs for the boys), nem infelizmente um grande preparador fisico... (a equipa quebra passados 60m)... GRANDE GRANDE só a nossa paciencia para os assobios e apupos dos inumeros convidados que estavam na bancada dos socios... Estes que nem o nome sabem dos jogadores.. Quase que andava à pancada com um gajo que so assobiava...

Enfim...

Rui Nunes.
(nuno..preciso de falar ct)

Anónimo disse...

Só existe um culpado. O Sr. Caxide não percebe nada disto. A equipa é débil e sem timoneiro.
A agonia continua e as próximas tres jornadas definem o resto.
Uma época sem honra nem gloria.
AMERICO

Anónimo disse...

O Sr. Rui, têm razão em dizer grande clube, mas isso todos sabemos que o é, mas eu continuo a referir grande equipa, porque é com esta que temos que contar até ao final da época, e em relação aos convidados, pouco importa o que eles pensam, porque esses só lá vão quando é de borla. Porque eu amigo, acompanho o Beira-Mar para todo o lado e não é fanatismo,mas sim paixão por um clube que aprendi a gostar desde pequeno, e por uma equipa que ainda continuo a acreditar.
A. Aguiar

Nuno Q. Martins disse...

Caros;

Intervenho neste mini-fórum apenas para esclarecer dois aspectos:

1º Em relação aos golos do Marítimo e à questão hipotética de terem sido obtidos em fora-de-jogo, as imagens televisivas não me permitem tomar posição. No entanto, relembro que há indicações precisas da FIFA para, em caso de dúvida, os árbitros auxiliares beneficiarem quem ataca;

2º Quanto às críticas ao treinador, no próprio post faço questão de referir que o problema da equipa do Beira-Mar é estrutural e prende-se com decisões directivas que, como sempre defendi, foram erradas. No entanto, cumpria-me analisar as incidências deste jogo e não podia deixar de comentar as opções de Soler.

Apesar das dificuldades e consciente da irracionalidade desta paixão, continuo a querer acreditar na manutenção.

Saudações auri-negras.

Ricardo Pires disse...

Adorei voltar ao estádio e sentir de novo aquele sentimento auri-negro!! A saudade já batia forte!

Pedro Link disse...

Olá Nuno
Tenho lido atentamente o que escreves, assim como também os comentários da maioria anónima que por aqui passa
Hoje não resisti!
O actual momento do Beira-Mar é típico daquele velho ditado:
“ Casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão”
Quando tinha quatro anos de idade o meu pai deu-me como prenda o cartão de sócio de bancada do S.C.Beira-Mar.
Acompanhei-o sempre para todo o lado onde o Beira jogasse.
Muito mais tarde, numa das assembleias do clube entrei num confronto de ideias com a direcção da altura, as coisas não correram bem, bati com a porta e desisti de sócio.
Hoje pago as minhas cotas ao Clube Povo de Esgueira e ao Galitos.
Não me revejo nesta direcção do Beira-Mar, nem tão pouco concordo com a parceria que foi feita.
De parcerias tivemos uma de fraca memoria mas pelos vistos de nada serviu a lição.
Estou convicto que vamos conseguir a manutenção:
Primeiro, porque descem só duas equipas.
Em segundo, porque para os lados de Setúbal o que supostamente era um campo de treino de futebol, virou Ring de Boxe.
Mas continuo a ter muito medo da tal pareceria, se ficarmos na primeira liga como todos ansiamos, qual será a factura que os Espanhóis nos vão apresentar no final?
Espero bem que não seja igual ao do Sporting Clube Farense que neste momento tem o Estádio á venda para pagar as suas dívidas.

Um Abraço