Arquivos

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Velocidade de decisão na justiça desportiva


Desta vez não trago aqui nenhum assunto que diga directamente respeito ao Beira-Mar. Mas parece-me que o tema, apesar disso, merece alguma reflexão no Bancada Norte.
Tendo presente o “caso” do túnel do Estádio da Luz, jogo disputado em Dezembro, antes do Natal, e que, até ao momento, não teve qualquer desenvolvimento a não ser a suspensão preventiva dos jogadores do F.C.P., e o “caso” de Cristiano Ronaldo no jogo do Real Madrid do passado fim-de-semana, fica a pergunta a quem de direito (e, já agora, a quem de Direito), qual é a dificuldade de aplicar em Portugal um sistema igual ao espanhol.
Para aqueles que desconhecem o caso “Cristiano Ronaldo”, tudo começou no passado fim-de-semana, quando o CR9 foi expulso do jogo do Real Madrid por ter aproximado demasiado o seu braço do nariz do seu adversário, com se vê facilmente na imagem, causando-lhe uma fractura.
Na 3ª feira, o jogador foi castigado pelo Comité de Competição, órgão de primeira instância da justiça futebolística em Espanha, com 2 jogos de suspensão.
O Real Madrid recorreu da sentença e, na 5ª feira, o Comité de Apelação apreciou e recusou o recurso do Real Madrid.
Recorre novamente o Real Madrid, desta vez para a última instância possível, o Comité Espanhol de Disciplina Desportiva, o qual reúne hoje, 6ª feira, e cuja decisão permitirá saber se o CR9 poderá ou não jogar no Real Madrid de amanhã. Ou seja, numa semana, assunto arrumado, com 3 instâncias jurídicas a pronunciarem-se e a decidirem definitivamente a situação.
Em Portugal é quase igual...
A pergunta que fica é simples. Custa assim tanto copiar este modelo que funciona bem? E, já agora, a quem interessa que em Portugal os assuntos não sejam resolvidos em tempo útil?

10 comments:

Anónimo disse...

E o que tem isto a ver com o nosso beira-mar...!?

Anónimo disse...

Tens razão.
Mas mesmo assim a nossa justiça desportiva quando comparada com as dos tribunais comuns está muitissimo melhor.
olha é o país que temos. Não te conformes luta dia a dia para inverter este tipo de atrasos de desenvolvimento.

Pedro Neves disse...

Caro Jorge Greno, independentemente de concordar consigo, nao me parece de todo que seja tema para o Bancada Norte.
Cumprimentos.

Nuno disse...

Caro amigo. Acredito na tua boa fé, mas tu que já por lá andaste, sabes bem que os que mandam no futebol gostam disto assim, demoradinho. Para justificarem o trabalhão e para terem tempo de pensar. São lentos e normalmente incompetentes. Um abraço
Barata

Anónimo disse...

Em Espanha existe profissionalismo, por cá ganha-se como profissional e trabalha-se como amador.
Outra diferença é a arbitragem, o CR9 foi bem expulso e bem castigado, por falta pior, hoje, o Carlos Martins viu o cartão amarelo, por cá existe e persiste a protecção aos grandes, em Espanha existe rigor.
Como o Manel Machado prefaseou, ganhar aos grandes só nos matraquilhos.
O Braga vai ser 3º, e não é quarto porque o Sporting está a 15 pontos.
É Portugal.

Anónimo disse...

Agrada-me que existam reflexões sobre o desporto em geral e o futebol em particular.
Os membros deste blog tem capacidade para isso e parece-me desajustado o comentario do Pedro Neves.O BM não é um caso isolado, faz parte do mundo desportivo.
Continuem.

Jorge Greno disse...

O anónimo das 23h35 percebeu perfeitamente o sentido desta publicação.
Aos que não perceberam, será que é preciso que o BM venha a ser parte num processo deste tipo para que venham a perceber?

Anónimo disse...

O comentário é de todo propositado e justificado. Acredito que não o seja para mentes mais limitadas, que só acham que o BM deve ser discutido dentro de campo. Claro que pedir essa abertura de mente ao Pedro Neves será pedir demais...

O mais recente caso do Braga ilustra perfeitamente o que se passa no nosso futebol.

Pedro Neves disse...

Não está em causa o teor do texto, aliás, com o qual concordo, penso é que num país onde tão pouco se fala dos clubes «pequenos», este deve continuar a ser um espaço onde a temática deverá ser unica e exclusivamente o Beira-Mar. Mas é só a minha opinião. Assumida, como sempre. Sem anónimatos que, claro, tinham que vir dizer mal de mim. Mas, bolas, pq nao o dizem qd estao a meu lado?
Isto não muda...

Jorge Greno disse...

Caro Pedro Neves
Se um dia o Beira-Mar se vir confrontado com uma situação deste tipo, aí já concorda, não é?
Mas, como o Beira-Mar, apesar de estar à beira-mar, não é uma ilha, parece-me que todos os assuntos, mesmo aqueles que não digam directamente respeito ao clube, podem e devem ser tratados neste espaço.