Arquivos

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Esperemos que não tenha sido um tiro no pé...

Esta é uma opinião discordante da maioria. A Comissão Administrativa lançou ontem um comunicado referindo que o SC Beira-Mar não se calará perante as adversidades e as suspeitas de apoio a outros clubes.
Até aqui, tudo bem. Mas Leonardo Jardim extravasou este discurso e apontou o dedo a Hermínio Loureiro num acto que não faz o mínimo sentido e que poderá ser prejudicial à nossa equipa.
Primeiro, porque Hermínio Loureiro, para além de ser presidente da Liga tem sido um amigo do clube, participando inclusive em reuniões entre CM Aveiro e SC Beira-Mar no auge da nossa crise. Depois, porque esteve em Aveiro, acompanhando os jogos televisionados desta época do SC Beira-Mar, num papel institucional de grande nível. E por fim, entendo que nesta altura o treinador extravasou, de uma forma pensada ou somente irreflectida o seu próprio papel  e passou, em termos comunicacionais, uma mensagem de desresponsabilização para a equipa.
Uma outra frase dessa conferência de imprensa é que o SC Beira-Mar perdeu os jogos porque "quis ganhar". Bem, se todas as crónicas forem fidedignas, perdemos o jogo com o Fátima por um mero acaso, um daqueles lances fortuitos que acontecem no futebol. E descontando os alegados erros de arbitragem, perdemos o jogo da Oliveirense... no último lance. Mas a verdade é que, e a estatística confirma, "não sabemos empatar": somos a equipa da Liga Vitalis que menos empates tem (3) e da frente, e curioso, temos mais derrotas do que o quinto ou o sexto classificado. Há alturas...
E esperemos que o nosso técnico não veja, por aquilo que disse, um ou dois jogos finais desta maratona na bancada... Vamos ganhar amanhã!

10 comments:

Francisco Dias disse...

Tens razão nas tuas observações, mas há uma coisa que de uma vez por todas tem que acabar: a que propósito, o presidente da liga, que só por acaso é presidente da CM de Oliveira de Azemeis tem que estar no túnel de acesso num jogo de capital importância?? Sinceramente não percebo! Alguém imagina o presidente da liga espanhola nos túneis em espanha? Ou da liga inglesa? Então porque raio isto se passa cá??

Não digo que o tenha feito com alguma intenção, mas é óbvio que é fonte de distracção para jogadores e árbitros!

Tenho muito respeito pelo Dr. Hermínio Loureiro, mas acho que neste caso, o Leonardo Jardim tem razão nas críticas que fez.

JMO disse...

Também concordo contigo. Se há regulamentos e regras, são para todos.

Daniel disse...

Oh João, tu é uma no cravo e outra na ferradura.
Primeiro escreves um texto (com o qual não concordo em absoluto) em que basicamente dizes que do Dr. Herminio Loureiro, por ter feito o seu papel de presidente da Liga num passado recente em episódios em que "supostamente" tentou ajudar o Beira-Mar no diálogo com a Camara de Aveiro, pode ser desculpado por estar no tunel de um jogo desta importancia, com todas as condicionantes que se conhecem.
Depois aparece o Francisco, que mais uma vez apresenta uma visão com bom senso e inteligencia, a discordar de ti e tu afinal concordas com ele?

Decide-te senão perdes credibilidade e os teus textos tornam-se irrelevantes.

Sobre o assunto em si, só quem não tiver a minima noção do que se passa no fenomeno desportivo e do tipo de pressão a que os seus intervenientes estão sujeitos, é que pode pensar que a presenção do Dr. Hermínio Loureiro no tunel é irrelevante e não coloca pressão adicional na equipa de arbitragem.

Também eu o considero um homem inteligente e honesto; estou certo que se arrepende de ter estado onde esteve e que se fosse hoje não o faria. Mas fez e o Beira-Mar saiu prejudicado e como nem eu, nem o Leonardo Jardim, nem como a maioria dos Beira-Marenses gosta destas infelizes coincidencias, há que reagir e defender os nossos interesses. Mais uma vez reafirmo... ENORME LEONARDO JARDIM!

Do teu texto só se aproveita o fim... Vamos ganhar amanhã!

Anónimo disse...

O Herminio já percebeu a merda que fez.
Até a equipa de arbitragem (nem toda) se sentiu constrangida.
Pena foi não reconhecer e teve que mandar uma "fonte" responder ao Leonardo Jardim.
Saraiva

JMO disse...

Daniel,

Não temos que concordar em tudo. Como eu não concordo com grande parte do que dizes. Reconheço que a questão de ele estar no Tunel pode ser uma falha mas nada disso tem a ver com a análise que faço do que o Leonardo JArdim disse. E não devia ter dito aquilo. Pelo menos ele. Se fosse a CA, eu não tinha escrito o que escrevi.

Nuno Q. Martins disse...

Meus caros,

Penso que a Comissão Administrativa fez bem emitir o comunicado nos termos em que o fez, demonstrando razoabilidade quanto à aceitação dos erros que têm acontecido em manifesto prejuízo do Beira-Mar, mas deixando o alerta de que está atenta e não se calará se o clube continuar a ser lesado da forma como tem sido. No entanto, penso que o que todos devem compreender, é que cada vez que os adeptos sentem que há "forças" que se unem para levar ao "colo" determinado clube, ou para prejudicar determinado clube, é o futebol em si que se descredibiliza. É mau para todos!

Relativamente à presença do Presidente da Liga na zona dos balneários, para ser franco, não me choca. Nos termos dos regulamentos, tem direito de acesso à "área técnica" e isso não deve ser perspectivado com anormalidade. Anormal, isso sim, é o clima de subserviência que os árbitros, delegados, observadores, etc têm em relação ao Presidente da Liga. Isso é que é bacoco e revelador da "pequenez" que reina no futebol.

Depois do jogo que vi, permito-me achar que o árbitro-assistente que actuou do lado da bancada dos sócios da Oliveirense não entrou em campo despido de constrangimentos.

pn disse...

Todos ao estádio amanhã! É importante o apoio de todos!

Soares de Castro disse...

Caro JMO
Os vivaços aproveitam sempre a ingenuidade dos puros. Por mim, já há muito que a vida me fez perder a ingenuidade e é por isso que não concordo com o teor do seu post. O presidente, o superior hierárquico, não precisa de dizer nada, de pedir nada. O simples passar na zona dos balneários e de se mostrar já é uma forma de influenciar e os homens do apito sabem de que clube o senhor é... Para além disso, se nós deixarmos até os cães nos mijam nas pernas...

Anónimo disse...

Não resta alternativa à comissão disciplinar da liga, mais um inquerito ao que se passou no tunel.

Anónimo disse...

ESCRITO NUMA NOITE DE INSÓNIA EM QUE ME DEU PARA VISITAR NA INTERNET OS SITES AFECTOS AO MEU CLUBE
O Sr.”HM” é director de um colégio com duas turmas.
Uma de elite a turma “S” e outra de alunos mais medianos a turma “V”.
Para além de ser director do colégio, o sr.”HM” é igualmente pai de um menino da turma V, o menino “O”.
Aqui há algum tempo, um dos meninos da turma “V”, o menino “BM”, colega do menino “O”, andou com problemas de saúde, chegando-se até a temer pela vida do pobre pequeno.
O sr. “HM”, na qualidade de director do colégio, analisou a situação, chegou à conclusão que o definhamento do menino “BM” tinha muito a ver com os maus tratos que lhe eram dados em casa e trata de marcar uma reunião com o seu padrasto, o senhor “EM”.
Afinal de contas era a reputação do colégio que dirige que estava em jogo.
A reunião foi tão bem sucedida, que o menino “BM”, não só melhorou a olhos vistos como até, dadas as suas inegáveis capacidades, rapidamente se colocou à frente do quadro de honra da turma.
Aqui é que a porca torce o rabo. O sr. “HM”(o mesmo que tivera aquele acto de caridade, ajudando a salvar o menino “BM”), que também é pai, não conseguiu manter o distanciamento exigido pelo cargo que exerce no colégio e trata de, às claras, falar directamente com um dos professores da turma a fim de que os pontinhos para o quadro de honra que estavam em disputa naquela semana fossem atribuídos ao seu querido filhinho, o menino “O” e não àquele enjeitado, que até leva “porrada” do padrasto, o menino “BM”.
O menino “BM”, que de tapado não tem nada (já vimos naquela turma é até o mais dotado), não podendo queixar-se em casa (o padrasto mandava-o dar uma curva) queixa-se na vizinhança do tratamento diferenciado que lhe está a ser dado no colégio, nomeadamente pelo seu director.
O senhor HM sente-se ofendido por aquele ingrato e lembra que até ajudou a prolongar-lhe a vida.
MORAL(es) DA HISTÓRIA:
A lei e/ou a ética não deviam permitir que a mesma pessoa exerça ao mesmo tempo os cargos de director de um colégio e de pai de um aluno do colégio.
PS – eu sei que pai não é um cargo. Mas como diria D. António Policarpo ao José Saramago: - Isto meu amigo, é uma parábola, não é para ser levado à letra.