Arquivos

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Hugo: grande capitão

Ser capitão de equipa não é apenas o jogador que transporta a braçadeira durante o jogo. O capitão pode estar no "banco" ou até no balneário. No SC Beira-Mar, felizmente, quem ostenta no seu braço o símbolo da liderança, costuma andar dentro das quatro linhas. Hugo, um profissional exemplar, um defesa de grande categoria, sabe o que é "ser capitão". Tem-no provado nos bons e maus momentos.
No jogo "para não esquecer", frente ao Fátima, o nosso capitão demonstrou que sabe como agir em momentos delicados. A mim não me surpreendeu, pois tenho pelo Hugo uma grande admiração como profissional de futebol, há já muitos anos. E, se calhar, o que vou dizer de seguida passou desapercebido à maioria dos adeptos. Mas eu vi, registei e não fiquei surpreso.
Quem estivesse atento à saída cabisbaixa dos jogadores no final da partida de má memória, tinha verificado que Hugo, o capitão, vinha junto de...Bruno Conceição. Parece um pormenor sem importância, mas, acreditem, não é. Naquele momento, tinha que ser assim.
Imagem de unidade e solidariedade, protagonizada por um grande capitão.
Uma palavra para os sócios beiramarenses que, sem excepção, aplaudiram os jogadores no final. Estes, seguramente, sentiram o gesto. E acredito que nos próximos jogos vão estar muito mais concentrados e, jamais, durante a época, encararão com sobranceria uma partida, seja qual for o adversário que tiverem pela frente.

8 comments:

Anónimo disse...

Foi um golo atípico, incaracteristico, um acidente de percurso que acontece aos melhores.São Os desaires da BOLA." No melhor pano cai a nódoa.
A ATITUDE de Hugo foi bem visível.
Mas também a de António Cruz e Leonardo Jardim, Palatsi e outros que na passagem de Bruno Conceição o cumprimentaram.
Parabéns a todos, à equipa e aos adeptos.

Grande Comentário Jorge Santos.
Futebol não é só critica negativa
e resultados
Vamos a isto continuar em frente.
BEIRA BEIRA!!!!

frightful_rui disse...

"Uma palavra para os sócios beiramarenses que, sem excepção, aplaudiram os jogadores no final."infelizmente nao foi bem isso que aconteceu..estava na bancada dos socios,e no final do encontro vi alguns "paraquedistas" a criticar os jogadores,e a mandar bocas do tipo " e depois querem gente no estadio" quem aplaudiu os jogadores foram aquele grupo de 500\600 pessoas que esta sempre,sempre mesmo,no estadio.Força beira,sou socio desd 1998 e nunca vi um grupo de jogadores e treinadores assim,nao tenho o direito nenhum de criticar esta equipa,por isso tambem nao admito que ao pe de mim alguem a critique,revolta.me o adepto portugues,por estas e por outras so ha 3 clubes em portugal,n digo grandes,porque de grandes nao tem nada! Rui Almeida

Jorge Santos disse...

Caro Rui Almeida

Esses que você refere, não contei com eles. Porque, com certeza, só lá estão nos bons momentos. Contei, isso sim, com os que estão SEMPRE. E é pena que sejam só 500 ou 600. Mas são bons... do melhor que há!
Saudações beiramarenses

S.Cruz disse...

a e tal não admito...
O futebol vive da critica e a critica do futebol, se não as houver não há jornais... publicidade... share... futebol industria... e vivemos num país que no estádio ainda se pode criticar, bem ou mal, seja quem for. digo.
quanto aos 500 e 600 se sempre... bla bla bla... isso são tretas pq à muita boa gente que quer ir e por um motivo ou outro não pode e os outros +500 são bem vindos com ou sem bilhete, desde que venham seja para ver o Beira-Mar, reciclados ou a reciclar.
Quanto ao Hugo espero que fique mts anos no clube. Quanto ao Grupo de trabalho ninguem esquece o que ja passaram, que a união faz a força e como já o demonstraram. Desaires destes acontecem e à que continuar a lutar. mas foi friu ;)

Anónimo disse...

Conversa fiada essa dos 500 que aplaudem e dos outros que criticam. Então se há jogadores que não se esforçam, eles devem ter o mesmo tratamento daqueles que até comem a relva para ganhar??? Já fui jogador, hoje sou adepto, aplaudo quando devo aplaudir e critico quando devo criticar, o resto é conversa para encher chouriços, se só fossem esses 500 ao estádio podiam ter muitos aplausos mesmo quando não jogam nada, mas faltavam lá os outros que também ajudam a fazer entrar os euros e os euros parece que são aquilo que faz mais falta ao BM e aos jogadores. Quanto ao Hugo, é um jogador muito tarimbado, foi uma boa escolha para capitão, mas na altura não faltaram aqui críticas dos tais que agora só aceitam os que aplaudem. O futebol é assim, hoje és bestial, amanhã és uma besta, não é um mundo perfeito, há lugar para tudo, para os aplausos e para os assobios e digo mais, os jogadores gostam de aplausos mas também precisam de assobios. E isto digo eu com a experiência de 18 anos a jogar oficialmente.

Anónimo disse...

os verdadeiros beiramaristas aplaudiram os que assobiaram sao os das borlas e os dos 3 grandes mais vale poucos e bons do que muitos e fracos como os que foram a feira e os que vam a oliveira,beira rumo a primeira.

Quotas Pagas disse...

O comentador do Hertha-Benfica na SIC disse a determinada altura, referindo-se ao fraco rendimento do meio-campo benfiquista: há ali jogadores a mostrar tiques de campeões. Foi exactamente isso que eu achei no nosso jogo contra o Fátima, a partir dos 15 ou 20 minutos. Não aponto nomes, não assobiei, mas não gostei e acho que a derrota foi muito injusta mas passou também por esses tiques de campeões que ainda o não são. Decerto que o treinador também o notou e amanhã lá estarei para voltar a ver os jogadores do Beira Mar a dar tudo para vencer.

frightful_rui disse...

eu nunca fui contra a critica,referia.me mais precisamente a esse jogo..eu ja critiquei a equipa em outras alturas,so acho que neste momento,e neste caso no ultimo jogo,a critica e determinadas coisas que certas pessoas disseram,foram pessoas que nao vivem o beira mar,nem fazem nada para o ajudar.dou so um exemplo,estava um adepto ao meu lado que quando o rui sampaio fez um mau passe disse "mas que raio de jogador é este?"esse adepto era o que costumo chamar um paraqudista,prpvavelmente nem um jogo do beira mar tinha visto este ano.Rui Almeida