Arquivos

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Desportivamente nosso PARA SEMPRE TOZÉ!


Na quinta-feira antes do jogo da subida ficámos a saber que o "golo, golinho, golão" do Tozé Bartolomeu só se ouviria pelos altifalantes do EMA dado que ele iria ter uma operação que o impossibilitaria de estar, ao vivo, na Terranova a relatar a nossa subida de Divisão. Nessa altura, o Francisco Dias aqui escreveu "O Tó-Zé é daqueles beiramarenses de corpo e alma, que merecem o nosso reconhecimento e admiração. Tenho a certeza que, mais do que ninguém, ele gostaria de nos trazer as emoções do jogo mais importante da época.
Deixamos votos de rápidas melhoras ao Tó-Zé, e esperamos todos que o próximo "golo, golinho golão, a bola entrou, o Beira-Mar marcou" seja feito já no regresso ao escalão maior do nosso futebol."

A doença dele era conhecida da maior parte dos que privavam mas todos sabíamos do seu apego à vida e acreditávamos numa recuperação total. A operação de há dez dias atrás era mais um passo.

É com enorme pesar que se soube hoje de manhã que o To Zé Bartolomeu faleceu. Faleceu um amigo do seu amigo, um verdadeiro apaixonado pelo Sport Clube Beira-Mar, o seu "Beiramarzinho", um Homem que ia à luta, dizia o que pensava e lutava por aquilo que queria.

Não vale a pena dizer muito mais. Apenas querer ouvir para sempre, para toda a eternidade, no Estádio, o "golo, golinho, golão" do "desportivamente seu, To-Zé Bartolomeu". Deixamos um abraço e palavras sinceras de amizade à família.

As exéquias fúnebres serão realizadas amanhã, pelas 17 horas, na Igreja Matriz de Cacia.

20 comments:

Daniel disse...

Uma perda enorme para a Família, para a Terranova e para o Beira-Mar que fica muito mais pobre. Conto com os Dirigentes do Clube e os fieis Ultras Auri-Negros para nos representarem numa última homenagem.
Abraço ao Eugénio neste momento especial de dor.
Boa viagem e até um dia Tó Zé Bartolomeu.

Rui Nunes disse...

Que posso eu dizer?
Ainda estou um pouco em choque.
Tive o privilégio, a honra e o prazer de junto dele fazer os comentários para um jogo do beira-mar esta época. Aí pude confirmar todo o seu amor, carinho, profissionalismo, não só ao jornalismo mas sobretudo ao Beira-Mar.
Tive o privilégio de com ele aprender.
Tive o privilégio de com ele ver e viver o Beira-mar de modo diferente.
Ficam para sempre o “golo, golinho, golão”, o “tgv de Aveiro”, o “rei Artur”, o "Desportivamente seu...Tozé Bartolomeu".

Obrigado Tozé. Até sempre

João disse...

Estou incrédulo.
Um abraço sentido aos seus familiares.

João Roldão

Amílcar Tavares disse...

Não sou de Aveiro mas acabei por começar a ir ao Mário Duarte e depois me tornar sócio depois de tanto ouvir "golo, golinho, golão" nos relatos e os gritos, que da janela do meu quarto nas residências da Universidade, ouvia. Perdeu-se um grande beira-marense. Que descanse em paz.

Anónimo disse...

ESTOU prefundamente chocado como é possivel eraum grande homem e um grande amigo meu , uma pessoa que eu estimava muito , as minhas condolençias a sua familia uma grande perda para todos os beiramarenses. Kuando souberem kuando é o funeral informem porque eu kero ir


Márcio Pinto

lobo disse...

O Tó Zé deixou-nos temporariamente. Um dia todos nos iremos encontrar, ouvindo o "golo, golinho, golão", que foi a satisfação de muitos beiramarenses.
Como colega da CMA e amigo do Tó Zé, curvo-me perante a sua memória, deixo um sentido abraço para toda a família e acredito que o Tó Zé vai continuar entre nós.
Por que não será esquecido.

CM

José Ribeiro disse...

Habituei-me enquanto pequeno a ouvir o To-Zé nas deslocações do nosso Beira-Mar e foi um choque tremendo abrir o Bancada Norte e deparar-me com uma triste noticia como esta.
O Beira-Mar fica mais pobre com uma perda de um adepto como o Sr. To-Zé! Que o "golo, golinho, golão" se imortalize e que para sempre tenhamos o To-Zé a gritar a nosso lado!

Sentidas Condolências à familia!

Francisco Dias disse...

Estou profundamente consternado com esta notícia. O Beira-Mar ficou mais pobre. À família, em especial ao Miguel, as minhas sentidas condolências.

Anónimo disse...

Um grande beiramarense!


GT

José Manuel Henriques disse...

Vinha de carro quando a rádio deu a notícia que confesso, me apanhou de surpresa. É certo que a incerteza da vida é uma constante, mas nunca estamos muito bem preparados para o desaparecimento de um amigo. O Tozé foi-o e é isso que me leva a parar no tempo e a escrever, em sua homenagem, este desabafo sentido, de alguém que sempre o admirou.

Homem simples, sempre prestável, conheci o Tozé nos tempos da rádio Terra Nova, a sua sempre rádio Terra Nova, que era já quase uma imagem de marca, a par das frases feitas, como o "golo, golinho, golão" daquele homem de coração enorme e para quem a amizade não tinha preço. Fui disso testemunha ocular, das causas e das coisas que o Tozé defendeu, muitas vezes na sombra e no quase anonimato, sem pedir ou exaltar protagonismos.

Vivia o Beira-Mar de forma intensa, num equilíbrio sempre delicado entre a isenção e a paixão e lembro com saudade as vezes em que me ligava e de forma subtil, fazia sempre valer o seu apego pelo clube aurinegro, influenciando, sem o querer, o alinhamento do jornal de desporto que tantas vezes fiz com a sua colaboração e ajuda preciosa.

Mas também alinhámos, numa luta silenciosa, pela construção da pista de tartan de Aveiro e bastava as perguntas inquietas, para, que de forma subtil e inteligente, não fossem esquecendo um dossier que esteve tantas vezes e tanto tempo encalhado. Muito disso teve a mão do Tozé, que sempre com o seu sorriso, de barba grisalha, lá ia metendo a colherada na defesa dos interesses de Aveiro.

Menos conhecida, mas ainda assim interessante, era a sua ligação à medalhística, de que o Tozé era autor de algumas peças verdadeiramente belas, que revelavam a sua astúcia e sensibilidade.

Era um amigo... E os amigos deviam estar proibidos de morrer, mas a vida é isto mesmo, por muito que nos custe a aceitar a vil realidade.

Fica a saudade e acima de tudo a imagem de um homem invulgarmente bom, agarrado a valores nobres e universais e esses sim, que me fazem deixar um Adeus Até Sempre.

Desportivamente teu... amigo...

Anónimo disse...

Conheci o Tozé Bartolomeu há 12 anos tantos quantos levo de jornalista a acompanhar diariamente o Beira-Mar e, principalmente, os jogos em casa, primeiro no Mário Duarte e agora no Municipal. Foram doze anos em que ouvi o Tozé a relatar como ninguém os jogos do clube por quem sofria como poucos e que amava como raros. Nem sempre era isento mas ninguém levava a mal a costela auri-negra que orgulhosamente tinha e fazia questão de dizer que tinha.
Ao longo dos doze anos foi inspiração para muitos. Muitos gritaram com ele os golos do Beira-Mar, muitos faziam palavras suas as que tinham ouvido do Tozé numa qualquer emissão na Rádio Terranova. Foi um exemplo de dedicação a uma causa, foi um exemplo de perseverança, foi para mim, mais um mestre nesta difícil arte de escrever e transmitir noticias.
Deixa-nos a celebre frase “golo, golinho, golão, a bola entrou, o Beira-Mar marcou”, mas também nos deixa um sentimento puro de amizade, de bondade, de companheirismo, de ajuda ao próximo. Obrigado Tozé, por tudo. Espero conseguir vir a ser um exemplo como tu. Um abraço sincero, deste teu amigo de sempre.
Zé Alexandre

Pitarma Matos disse...

Foi com enorme consternação que recebi esta triste notícia. Um grande homem e grande Beiramarense.
Um sentido abraço ao Miguel e ao Eugénio.

Jorge Santos disse...

Soube desta triste notícia, agora, quando abri o blogue.
Levei um autêntico "murro no estômago". Ainda não estou em mim...
Pelos comentários, sobre o Tozé já todos disseram tudo ou quase tudo.
Os meus mais sinceros pêsames à família.
Descansa em paz, Tozé e até já...

S.Cruz disse...

perdeu-se bons momentos junto do rádio, nas a vida é um ciclo e as alegrias continuam.
Espero continuar a ouvir o "golo, golinho, golão, a bola entrou, o Beira-Mar marcou", no estádio ou onde o Beira-Mar jogue, pois tem muito significado para a familia beiramarense. Devia continuar a ser ouvido e adoptado como um hino ao golo, como "A Música do Festejo" em Aveiro, sempre que o clube joga. Nada é impossivel.

PN disse...

O Beira Mar de luto.
As sinceras condolencias para a familia.
E que para o ano oucamos muitas vezes no estadio o golo golinho golao!!! Ele ia gostar...

GMVN disse...

Gladys
Inacreditável!
Não somos mesmo nada.
Quem diria que o seu relato na Vila das Aves seria o último!!!
Será que o Beira-Mar vai manter gravado o seu "golo, golinho, golão" e vamos ouvi-lo enquanto existir o SCBM?Em sua homenagem, ouvir-se-á eternamente a sua voz no estádio onde o Beira- Mar jogar.
Estará sempre presente na história do SCBM, nas nossas mentes e nos nossos corações.
A toda a família e à família beiramarense os meus sinceros pêsames

Anónimo disse...

Boas... e concordo com o Sérgio Loureiro em a nova direcção do clube: atribuir o nome do Tó-Zé Bartolomeu à sala de imprensa.

RIP

Anónimo disse...

Os meus domingos de tarde nunca mais vão ser os mesmos.

Que falta já estou a sentir da sua voz e daqueles pregões ditos na rádio TN durante os jogos do nosso BM e que ele tão bem sabia, cativar um ouvinte na rádio.

Duas horas a andar de carro sem perder uma única palavra por Ele preferida.
Que onde estejas a aguardar-nos nunca te esqueças nós.

Sentidas condolências à sua família e amigos beiramarenses.
DM

Anónimo disse...

è um enorme beiramarista que se perdeu...
a sua dedicação a causa beiramarista era inquestionavel, querido de todos com um lugar especial dentro daquele clube axo que a melhor homenagem que se lhe pode fazer é que a sua voz para sempre ecue nos autifalantes do Mario Duarte...

As sinceras condulencias a familia

Pedro Domingues

Ricardo Rodrigues disse...

Os relatos do Beira-Mar nunca mais serão o mesmo.

Em jeito de saudação - "Golo golinho golão!", até sempre Tó Zé Bartolomeu!