Arquivos

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Ambiguidade vs Liderança

Decidi escrever sobre isto a propósito de um esclarecimento que solicitei ao Sérgio Loureiro, no seu blog, relativamente à interpretação que deverá ser dada à resposta de António Regala, na entrevista publicada no post anterior, sobre a questão da SAD (pág.29 do Diário de Aveiro).
Ao ler a entrevista e por saber que António Regala assumiu, em Novembro de 2009, a Comissão Administrativa do clube suportada num documento designado por "Acção Estratégica" que, entre outras linhas de acção, contemplava a constituição de uma SAD para o futebol profissional, interpretei a resposta do provável candidato à presidência do clube como favorável à constituição de uma SAD que permita ao Beira-Mar ter maior "visibilidade" e não perder "competitividade", segundo as palavras do próprio que afirma, inclusivamente, que "o Beira-Mar não pode continuar a funcionar sem ter em conta o que permite a lei das Sociedades Desportivas".
No entanto, para minha surpresa, o que o provável candidato quis dizer não era exactamente isto, segundo afirma o Sérgio Loureiro que conduziu a entrevista. Escreve o Sérgio que "o agora assumido candidato, não vê como boa solução a implementação de uma SAD no clube".
Fiquei confuso...
Vai daí que decidi pedir um esclarecimento ao Sérgio sobre esta questão. Ele, melhor do que ninguém, saberá o que Regala quis realmente dizer na entrevista. Na secção de comentários, o Sérgio respondeu-me o seguinte: "Nuno, a primeira frase do entrevistado, sobre essa matéria, julgo que dissipa a tua dúvida. Isto é, ele, António Regala, rejeita a constituição da SAD no clube. No entanto, e se essa for a a vontade dos sócios, obviamente que não se oporá. À medida que foi feita a (longa) entrevista e filtrando tudo sobre o que se disse relativamente às SAD`s em Portugal, fiquei com a ideia que António Regala não vê com bons olhos uma SAD no Beira-Mar.".
Ora, o que eu espero de um líder é que tenha propostas concretas, seja mobilizador e que tenha uma ideia clara do que defende e pretende para o clube e não alguém que se limite a ir atrás da vontade dos outros. Essa postura não a identifico como liderança.
Por isso, para que não fiquem dúvidas, espero que António Regala tenha a oportunidade de esclarecer esta questão publicamente até às eleições. Se for um defensor da SAD para o Beira-Mar, é fácil perceber as suas motivações face à fundamentação que apresentou na entrevista. Se for contra, penso que deve esclarecer o que o fez mudar de opinião depois do compromisso que assumiu em Novembro de 2009 com todos os órgãos sociais do clube.

19 comments:

Anónimo disse...

Continuas a desgastar-te.
Há muita gente que não sabe o que é um programa, um projecto, eventuamnete tem ideias, mas alinhar ideias a uma estratégia não sabem e depois é uma no pé e outra na ferradura.
Estive a ler e reler e até o Sergio Loureiro me pareceu que não percebeu as questões.
SAD? Em principio não, depois logo se vê.
Mas é disto que o meu povão gosta.
Santa Paciência

Nuno Q. Martins disse...

Caro anónimo, discutir o Beira-Mar, desde que com elevação, não me desgasta nada. É com gosto que o faço.

Anónimo disse...

Só errou numa coisa, devia ter trocado o Rui Varela pelo Devic.

C. Sá disse...

Parecia que o NUno, no último post, fianalmente apoiava o Regala, vejo agora que afinal o seu "veneno" não se esgota.
Que raio de liberdade é esta quando um líder não segue a vontade do seu "povo" entenda-se sócios e quer impôr a sua vontade (digo ditadura)
Obrigado pela atenção

PN disse...

tentem o empréstimo do caneira.

Nuno Q. Martins disse...

C. Sá:

Veneno? Enfim...
Não deixa de ser interessante esta forma de tentar condicionar quem coloca questões tentando denegrir. Já vou estando habituado.

Quanto à questão da liberdade, ainda que descolocada do que escrevi, esclareço que ninguém deve impôr nada a ninguém, por isso se convocam eleições e se devm submeter programas eleitorais a sufrágio, mas se o meu caro nem isto consegue entender...

Emídio Martins disse...

Acabei de ler a entrevista do António Regala e felicito-o pela clareza da sua exposição. É claramente uma pessoa que fez o seu caminho, compreendeu a complexidade do Clube e não deixou de integrar um possivel quadro organizativo que a legislação contempla. Neste particular não existem duas interpretações,a menos que o entrevistador tenha obtido declarações em off ou que não transcreveu,refere e bem" Beira-Mar não pode continuar a funcionar sem ter em conta o que permite a lei das Sociedades Desportivas, sob pena de poder começar a perder competitividade no percurso que vai tendo juntamente com os seus adversários directos.", para depois referir o enquadramento que esta estrutura para o futebol profissional deverá ter no ambito do Clube. De um nim à constituição da SAD evoluiu para um sim,nenhum dirigente quer ver o seu clube perder competitividade. Sabemos pela história recente do clube que o futebol profissional mobiliza em absoluto toda a estrutura directiva, não dando espaço à implementação de uma estrategia de ecletismo e de formação consistentes. Não necessitei de passar por uma CA do SCBM, para o perceber, senti esta incompatibilidade enquanto dirigente do movimento estudantil na AAC, no final dos anos 70, quando a minha direcção assumiu a responsabilidade pela saída do Fut. Profissional que mais tarde deu origem ao Clube Académico de Coimbra, foi assim possível desenvolver uma actividade centrada no movimento associativo, nas modalidades amadoras e nos organismos culturais, o que até então era fortemente prejudicado pela partilha de um mesmo orçamento.Resta-nos esperar que se reunam as condições para que forme uma lista concorrente à Direcção e inscreva no seu programa a constituição de uma Sociedade Desportiva e a alteração dos estatutos num quadro de legitimação e enquadramento do ecletismo. E espero que uma vez eleito assuma uma postura clara na sua defesa porque os verdadeiros lideres assumem projectos e não uma posição ambigua. Não será um caminho fácil, mas o Clube tem que regressar"de facto" ao movimento associativo e a SAD pode ser o instrumento da sustentabilidade do Clube não em razão de receitas directas, mas pela estabilidade e espaço de trabalho que pode dar ao clube e às suas direcções. Uma ultima palavra para o reconhecimento público da acção de dois grandes Beiramarenses, Mano Nunes e Alberto Roque, que enfatizou nesta sua entrevista, foi da mais elementar justiça.

Anónimo disse...

caneira e saleiro reforçam beira-mar

Anónimo disse...

ainda vou ver o mano nunes "empurrado por muitas famílias" a aparecer na segunda-feira

Anónimo disse...

Oh Nuno, mas se SAD e assim tão boa, e vem resolver tudo, porque é que há oposições??? Eu pergunto isto porque muito sinceramente não sei o que é uma SAD. Mas se for bom para o clube, também será bom para nós adeptos e sócios..

Nuno Q. Martins disse...

Caro anónimo das 17:13, a SAD resolve tudo. Se há algo que a vida me tem ensinado, é que o sucesso, para ser sustentado, requer trabalho. Não há fórmulas mágicas.

Relativamente ao posicionamento das pessoas relativamente à SAD, não se pode pode "meter tudo no mesmo saco". Penso que este assunto ainda não foi devidamente debatido no seio do clube. Espero que possa vir a ser novamente debatido, sendo certo que, aqueles que formulam opinião exclusivamente com base em interesses pessoais serão sempre opositores a qualquer projecto de SAD.

C. Sá disse...

Se bem se lembro em Aveiro havia uma loja cujo nome era "Veste Pais e Filhos" (cujo o proprietário até era comunista), no Porto havia uma banda chamada "Pais e Filhos", agora aparece em Aveiro os Posts PaiConfirmo agora quem´foi um dos propmotores da génese dos Coimbrinhas, cujo Presidente actual (Zé Eduardo) está Bem (?) cotado na praça.
Obrigado pela atenção e publique lá mais esta sr Nuno

Filipe Neto disse...

Boas tardes, penso que o grande problema desta indefinição da constituição ou não de uam SAD, é esse facto de há muito se falar numa SAD e nunca nenhuma direcção ou comissão ter apresentado um plano aos sócios em assembleia de quais seriam os beneficios de uma SAD para o futebol do Beira-Mar, falo às vezes com outros sócios e apercebo-me da ignorância relativa que alguns têm em ralação hà constituição de uma SAD, para muitos era a mesma coisa que a seccção de futebol profissional do Beira-mar deixasse de ser do clube e que eles não teriam voto na matéria isto aliado às noticias que se ouve de outros clubes que possuem SAD's e ao final do ano apresentam passivos astronómicos retrai e muito a maioria dos sócios, mas sejamos sinceros as SAD's não oficialmente sempre existiram, o que se pode chamar a um membro da direcção que injecta capital para beneficio do clube, os clubes forçosamente vivem do futebol por isso um director de departamento do futebol não é senão um investidor ou accionista desse mesmo clube(Vejamos os casos anteriores só para dar exemplo e sem tomar partidos de Silva Vieira e Cachide), vivemos numa zona abundante em pessoas com capital muito capital, que até já fizeram parte algumas de antigas direcções, o Beira-Mar pé forçosamente um clube interessante do ponto de vista de investimento, bandeira de uma região e distrito, a autonomia financeira do Futebol no nosso Beira era e muito benéfico não só para o futebol mas para o ecletismo do clube, porque neste momento temos modalidades que mesmo que queiram não podem aspirar a voos muito altos porque o clube não paresenta sustentibilidade financeira para tal, ser grande não é ser grande só no futebol, é ter equipas de basquete , futebol, andebol, futsal, natação, tuod o que nós possamos imaginar nos principais palcos nacionais e einternacionais e uma data de miúdos a praticar todas as modalidades impulsionados por verem os seus ídolos a envergarem a camisola do seu clube , quando tivermos este tipo de espirito em alguem que venha para o Beira o Beira cresce, agora quando sistematicamente a maior parte de percentagem dos integrantes das direcções só procurarem reconhecimento público e contrapartidas financeiras, vamos ter que nos a habituar a ver o nosso Beira em crise, e ai entramos sempre nós os verdadeiros sócios que vibram com todas as vitórias sejam em que modalidade forem

Nuno Q. Martins disse...

Caro Filipe Neto,

Felicito-o pela lucidez do seu comentário. Permita-me, apenas, lançar mais um dado para reflexão. Repare-se no que foram os últimos 40 anos do futebol sénior/profissional do Beira-Mar, sempre num "sobe e desce" quase constante entre a 1ª e a 2ª divisão. Acho que é tempo de todos reflectirem um pouco sobre isto. Mesmo aqueles que nunca exerceram qualquer cargo de gestão do clube, façam o simples exercício de imaginarem que são eleitos directores do clube, cheios de ideias para dinamizar o clube e as modalidades e que, a meio do vosso mandato, têm a infelicidade da equipa de futebol descer de divisão. Sabendo que numa 2ª divisão as receitas são substancialmente mais reduzidas que na 1ª mas, por oposição, os custos são quase idênticos, o que fazer?
Demitem-se?
Ou arriscam injectar o vosso dinheiro (se o tiverem) sem qualquer garantia de o conseguirem recuperar?

Anónimo disse...

O Beira Mar vai ter uma sad para o futebol profissional, não sei é quando, sei é que podia ser feita em clima de tranquilidade mas vai ser feita quando o clube bater no fundo.
Só não foi ainda, porque quando esteve prestes a bater no fundo apareceram mais uns mecenas e a coisa lá se resolveu.
Fernando Santos Pereira

Filipe Neto disse...

obrigado Nuno e concordo consigo também Fernando,e tocando no ponto que o caro amigo Nuno fala, se acontecesse uma situação dessas perante um verdadeiro gestor de uma possivel SAD ou de alguem economicamente culta, a pior coisa que se pode fazer è abandonar o barco, embora muito recentemente isso tenha acontecido no nosso clube, com a palhaçada de novela que ainda há pouco estava activa e eu penso que ainda vai voltar a ter episódios(que diria o saudoso Eng.Pascoal que tanto dinheiro injectou e mesmo depois do seu falecimento deixou expresso nunca cobrar coercivamente e para mal do clube esse capital)bem mas voltando ao assunto que estávamos a falar, com a constituição da SAD objectivamente os seus investidores de modo a terem proveitos ao fim da época têm forçosamente que investir em qualidade não quantidade, sob pena de sairem prejudicados, a SAD passa a ser como uma empresa, de certeza que qualquer patrão se a sua empresa durante um ano não lhe correr tão bem o negócio não vai logo a correr vendê-la, hà quem o faça, mas também existem pessoas inteligentes que conseguem ver para lá da porta e é desse tipo de pessoas que vaamos querer se a SAD avançar no nosso Beira, eu até dou o exemplo de um clube, com caracteristicas quase gémeas em relação ao beira, a U.Leiria, desceu a em 2008 depois de 10 anos(subiu connosco em 98)maior parte das vezes na primeira metade da tabela, e voltou e em dois anos está na luta pela Europa, a diferença de nós para eles é que nós podemos ainda ser melhores, mas para já chegar ao patamar estabilitativo deles era o primeiro degrau, depois podemos aspirar ao nível de um Braga, mas um passo de cada vez, quanto ao sobe e desce realmente é uma situação esquisita já que desde os setentas o Beira sempre teve técnicos e jogadores conceituados mas nunca evitou essa situação, mas penso que essa situação se deve em muito aquilo que escrevi no final do meu anterior post, reconhecimento(grandes contratações mas equipas mal estruturadas)vejamos o caso da época 2004/05, sem dúvidas que em nomes tinhamos equipa entre os cinco primeiros o pior era o resto segundo comentários na altura, ninguém se entendia no balneário simplesmente no facto de que lingua utilizar, tal eram as nacionalidades diferentes existentes, é verdade que noutros clubes isso resulta mas ao Beira ainda faltam muitos aspectos a nível organizacional para sermos considerados 100% profissionais, em muitos situações o clube ainda apresenta um certo amadorismo, isso estava a ser feito no no último mandato do Eng.Mano Nunes, mas nestes quase 6 anos o clube regrediu sem exagerar quase 30 anos
cumprimentos, sei que muita gente pode ter opiniões diferentes mas estas sõa as minhas e é assim que o Beira cresce se todos nós expormos as nossas ideias e as debater-mos

Jaime Queiroz disse...

O Beira-Mar não tem condições económicas para criar uma SAD para o futebol profissional.

Não tem património (nem se perspectiva que o venha a ter com esta direcção que se adivinha seja a próxima) e apenas tenta aproveitar algum acordo com a Câmara para ganhar património, não tendo qualquer iniciativa própria para conseguir ultrapassar essa dependência câmarária;

Tem um passivo de milhões gerado pelo futebol(nem se sabe muito bem quantos milhões (5 ou 8));

Tem uma assistência nos jogos em casa que em média são 5872 espectadores já com os 3 grandes a visitarem Aveiro (Vamos ver qual a média no fim desta época que tem sido boa desportivamente falando);

Além disso a direcção que se perspectiva, não tem visão estratégica para o futuro, a não ser pagar as dívidas (o verdadeiro estilo mercearia da aldeia ou balcão da CGD).;

Com este cenário qual é o economista que defende a criação de uma empresa para o futebol profissional ? Nenhum.

Anónimo disse...

Sr Jaime Queiroz:

Ainda está a tempo de entregar uma lista por si liderada. Vê-se que é uma pessoa lúcida, inteligente, tem uma visão correcta do que é uma balcão da CGD (o maior banco português). Como conhece o passivo do Beira-Mar até sabe que foi feito por pessoas com visão estratégica do futuro, que, claro, estes candidatos não têm. Estes "infelizes" e "pobres coitados" "só" querem pagar as dívidas feitas por outros. Sr. Queiroz, faça-me um favor: DESAPAREÇA

Jaime Queiroz disse...

Sr. ou Sra. Anónimo:

Felizmente a blogosfera é democrática, permitindo até Anónimos ou Anónimas.
A argumentação utilizada para responder às minhas questões demonstra que neste momento estou a perder tempo, mas tinha que aproveitar esta oportunidade para, o ou a, avisar que não só não desapareço como vou estar cada vez mais interveniente.

APAREÇA !

Pode ser que vá aprendendo alguma coisa, quanto mais não seja a respeitar os outros e conceitos básicos como boa educação e boas maneiras.

PS: Agradeço os elogios.
Lamento não poder retribuir.