Arquivos

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Uma oportunidade de ficar na história do clube

Após o decurso de 18 jornadas, o Beira-Mar ocupa a 9ª posição da tabela classificativa com 24 pontos, mais 14 pontos do que os "aflitos" Naval e Portimonense. Um dado curioso reside no facto da equipa auri-negra ser aquela que regista mais empates (9) na presente edição da Liga Zon Sagres, tantos quantas as vitórias (5) e as derrotas (4).
Dos nove empates já referidos, em três (que me lembro), foram mal (?) anulados golos ao Beira-Mar que podiam ter resultado em vitórias auri-negras nesses encontros (Marítimo em casa, Rio Ave e Académica fora). Seriam mais 6 pontos (+ 2 em cada jogo), que colocavam o Beira-Mar actualmente em 4º lugar com 30 pontos e, mais importante, já com a manutenção garantida.
Parece-me que a arbitragem nas Ligas profissionais, em termos globais, tem registado algumas melhorias. No entanto, continuamos a assistir a jogos com constantes interrupções em que são marcadas faltas "por tudo e por nada", são mostrados cartões sem critério e o anti-jogo (incluo neste conceito as simulações e as perdas de tempo) é tolerado pelos árbitros. Outro aspecto que se continua a sentir é o proteccionismo aos "três grandes", bastante sentido esta época pelo Beira-Mar no jogo no Dragão (livre do 2º golo do Porto?) e em casa com Benfica (penalty sobre o Cardozo?) e Porto (penalty sobre o Hulk?), apenas para citar lances com influência directa no resultado.
Apesar de todas estas adversidades (não me lembro de nenhum jogo em que o Beira-Mar tenha sido manifestamente beneficiado pela equipa de arbitragem), a equipa está a realizar um excelente campeonato, proporcionando aos adeptos alguns jogos empolgantes, deixando uma marca de inegável qualidade e é, ainda, a equipa mais disciplinada da prova.
Mesmo sem a perspectiva de lutar pela participação nas competições europeias, pelo percurso que tem efectuado, esta equipa merece ficar na história do clube. Nesse sentido, lanço o repto a Leonardo Jardim para que consiga alcançar a melhor classificação de sempre do clube na 1ª Liga. Há precisamente 20 anos (como o tempo passa!), corria a época 90-91, que terminou com o Beira-Mar em 6º lugar, com os mesmos pontos (36) do Salgueiros que foi 5º. Recorde-se que, na altura, o sistema de pontuação era diferente (apenas 2 pontos por vitória).
O Salgueiros apurou-se para a Taça Uefa pois tinha vantagem no confronto directo com o Beira-Mar. A nossa equipa, treinada por Vitor Urbano, conseguiu ainda apurar-se para a final da Taça de Portugal, tendo perdido no Jamor por 1-3, após prolongamento, com o FC Porto. Como a equipa portista foi vice-campeã nessa época, não foi à Taça dos Campeões Europeus tendo, por isso, ocupado a vaga na Taça das Taças, deixando o Beira-Mar, também por essa via, fora das competições europeias.
Contudo, recordo com saudade essa grande época do nosso clube. O "velhinho" Mário Duarte estava quase sempre cheio, a equipa esteve durante muito tempo no 4º lugar da classificação e brilhavam no plantel alguns jogadores que ainda hoje recordo: Hélder, Zé Ribeiro, Oliveira, Redondo, Petrov, China, Jarbas, Abdel Ghany, Tó-Zé, Sousa, Dino, Penteado, etc...
Tenho a expectativa que, daqui a 20 anos, ainda me lembre com a mesma facilidade da maioria dos nomes dos jogadores que constituem actualmente o plantel do Beira-Mar. Façam história!

10 comments:

Anónimo disse...

Belo texto. Relativizemos no entanto a classificação teórica baseada nos pontos roubados: estou certo de que outras equipas saíram prejudicadas de outros jogos, e que também elas teriam ganho pontos. Só uma análise global a todas as equipas permitiria alterar a classificação.

Duas perguntas de quem está longe do país e não consegue seguir tudo com a devida atenção :

1) a saída de Kanu poderá prejudicar a ambição aqui expresso pelo Nuno? Quais são as expectativas e as primeiras indicações dadas por Yohan, por exemplo?

2) a questão do estádio, já que o Nuno se referiu ao velhinho Mário Duarte (que eu adorava): gostaria muito que o Nuno escrevesse um dia destes um balanço desportivo, financeiro, etc., tendo passado vários anos, da mudança de estádio (a não ser que já o tenha feito e eu não tenha visto...)? O Beira-Mar, visto de longe, parece ter sido fortemente prejudicado pela construção e uso do novo EMA, mas além da "ideia", um balanço global mais pormenorizado seria óptimo. Calculo que tenha sido feito a nível interno no clube.

Abraço
Miguel

PN disse...

Nuno, falta referir o golo anulado na jornada inaugural contra o Leiria. COmo estamos do outro lado do estádio nunca saberemos se foi bem ou mal anulado. Ficará sempre a dúvida visto que a imprensa desportiva Portuguesa muito mal trata as equipa de menor dimensão.

O que é mais espantoso na carreira do Beira Mar é o facto de a equipa não se deixar ir abaixo com um resultado mais adverso. Vejamos: Paços, Rio Ave, Olhanense, Guimarães e agora com o OAF.

Nuno Q. Martins disse...

Caro Miguel,

Obrigado pelo comentário e pelas questões levantadas, relativamente às quais tentarei dar a minha opinião de forma sucinta:

1. O Kanu e o Yohan são jogadores com características diferentes e a equipa acabará sempre por se ressentir da saída do Kanu, pois este era um jogador mais atlético, mas rápido, com um maior poder de marcação e capacidade de "carregar" jogo do que o Yohan.

2. No entanto, o Yohan Tavares é um central com muita qualidade. É um jogador muito esforçado, muito disciplinado tacticamente e sabe sair bem a jogar. Pode disfarçar muito bem a saída do Kanu, mas "não é a mesma coisa".

3. Já tive oportunidade de escrever sobre a questão da mudança de estádio em diversas ocasiões e sobre diferentes perspectivas. Passando às linhas gerais das minhas conclusões, a mudança de estádio continha oportunidades e ameaças e, ao fim destes anos de experiência no EMA, concluo que o clube, com uma significativa (des)ajuda da autarquia acabou por potenciar as ameaças e explorar pouco ou nada as oportunidades, daí a situação que hoje todos (re)conhecem.

Cumprimentos.

João Branco disse...

Nuno

Confesso que no domingo quando tava a vir do estádio para casa, pensei exactamente nisso. Minto, não pensei exclusivamente nos pontos que as arbitragens nos tiraram mas também nos pontos que poderíamos ter agora caso tivessemos obtido uma pontinha de sorte nos jogos contra o Sporting, contra o Leiria em casa, contra o Portimonense (ainda não consigo perceber como é que eles nos ganharam o jogo) e contra o Setúbal fora onde podíamos ter sacado melhor que o empate.

Continuo a dizer (escrevi-o no post do jogo contra a Académica) que pelo que temos feito esta época, mereciamos o 3º lugar da Liga. Tirando Porto e Benfica, só vejo duas equipas a jogar um futebol tão efectivo como o nosso: o Vitória de Guimarães e o Nacional (a espaços).

Respondendo ao primeiro comentário:

Eu sou da opinião que o Yohan tem talento. Agora com a saída do Kanu e tendo em conta que o jogador ainda é relativamente jovem e ainda possuí margem de evolução, creio que é a oportunidade dele de agarrar o lugar na equipa.
Desconheço por completo as capacidades do Ricardo Rocha. Confiamos na aposta do Leonardo Jardim em ter chamado o jogador para o Beira-Mar visto que trabalhou com ele, mas continuo a ter as minhas reservas num jogador que só aos 28 anos chega à Liga e que denota ser um jogador fisicamente pesado. A ver vamos...

Neves disse...

Grande equipa essa de 90/91.Dava gosto ir ao Mário Duarte com 8000, 10000 espectadores a tornar o campo num autêntico inferno. Velhos tempos, em que o pessoal se deslocava em massa dos arredores de Aveiro(Aradas,Gafanhas,Verdemilho,Cacia,São Bernardo,etc) para ver o jogo ao Domingo à tarde. Sim, porque a grande massa adepta do Beira não é da cidade em si, e faz falta ao futebol os jogos serem à tarde sem transmissão televisiva.Para não falar da fantástica localização do velhinho Mário Duarte.
Foi a melhor equipa de sempre do Beira, apenas 3 derrotas em casa com os 3 grandes. Quem é que passava lá???
Ai tempo, se pudesses voltar para trás...

Anónimo disse...

Onde posso ver mais fotos da deslocação a Coimbra que nao aquelas no facebook?

Abraços. João Pinho

Nuno Q. Martins disse...

Penso que o João Oliveira tirou algumas...

Anónimo disse...

Pois este beira-mar....devia catapultar o sucesso que tem dentro d campo para as outras vertentes do clube... sobretudo o financeiro... se os outros conseguem vendas fantasticas eu acho que o beira-mar devia equilibrar as contas a custa do plantel e contar com as capacidades fantásticas do Leonardo Jardim que nem que se sofresse um pouco para assegurar a manutenção. para então pensar em construir um plantel para atacar quem sabe a europa, ou mesmo um titulo (taça de portugal, ou taça da liga), pk convenhamos o campeonato é utupia.

Filipe Neto disse...

Boas tardes falando um bocado à parte deste assunto mas que directamente está relacionado alguém me sabe dizer se houve da parte da comissão candidata às eleições um programa eleitoral com as ideias claras que vão ter para os três anos de mandato, é que isso de dizer que se quer baixar o passivo é pouco, objectivos desportivos para as modalidades, intenções de tentar o património do clube, modalidades amadoras, qual o futuro?são para manter?é para tentar o regresso da natação,lá por ser certo que vão ser eles a comandar os destinos do nosso beira é preciso de ter objectivos traçados e um caminho a percorrer, porque da minha parte se não hover desenvolvimentos acerca disso no dia 19 voto em branco
beira sempres
saudações aurinegras

Anónimo disse...

Querem muita gente no estádio, ia para comprar bilhetes para mim e para o meu filho que somos sócios, e queria dois bilhetes de acompanhante para dois familiares que estão cá de férias, moram nos EUA, não há bilhetes de acompanhante. Resultado menos quatro bilhetes vendidos, vemos na SPORTV e apanhamos menos frio, e ainda poupamos na gasolina e portagens nas viagens de ida e volta à Taboeira. Grande politica esta para terem 150 pessoas no estádio como no ultimo jogo, acordem...