Arquivos

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Um novo rumo!

A Assembleia Geral de ontem à noite marca o arranque de um novo ciclo na vida do SC Beira-Mar. Tal como tive oportunidade de transmitir na minha intervenção aos mais de trezentos sócios presentes, fiquei muito satisfeito com o facto da direcção do clube ter apontado este rumo (constituição de uma SAD para o futebol profissional) para a resolução dos problemas mais prementes, mas também, como via privilegiada para o desenvolvimento do Beira-Mar.

No entanto, chamei a atenção para os elevados riscos que a decisão de se avançar para uma SAD acarreta. Riscos esses que, pessoalmente, não me assustam desde que o processo seja bem conduzido e sejam salvaguardados um conjunto de mecanismos que sejam indutores de uma boa gestão futura da SAD e duma relação profícua daquela estrutura com o clube.

Nesse sentido, lamento profundamente a atitude pouco democrática e construtiva como foi conduzida a Assembleia. Gostei da presença e de ouvir as palavras do Sr. Majid e a apresentação da proposta da direcção, da mesma forma que gostaria também de ter ouvido e discutido a proposta do Eng.º Mano Nunes, pois a mesma se inseria perfeitamente na ordem de trabalhos estabelecida. Confesso que não percebi o receio da Mesa em submetê-la à discussão (foi preciso reclamar à Mesa a sua divulgação!), tendo tal facto gerado na sala um ambiente de intolerância que me entristece profundamente, ainda mais, porque induzido pelo próprio Presidente da Mesa (uma pessoa idónea e por quem nutro a maior amizade e consideração) que não soube enquadrar a referida proposta.

Como resultado, a direcção fez aprovar uma resolução de constituição de uma SAD na qual o SC Beira-Mar será um accionista minoritário (o modelo de distribuição do capital social inicial não consta da deliberação aprovada pelos sócios), com a qual estou absolutamente de acordo. Contudo, depois de aprovada a referida resolução, preferia que aos sócios presentes tivesse sido dada a possibilidade de apresentarem propostas que vinculassem a direcção para as negociações que se seguirão. Essa seria, na minha modesta opinião, a fórmula mais democrática, mais elevada e mais construtiva de participação dos sócios neste momento decisivo para o futuro do clube, o que lamentavelmente não aconteceu. A própria Mesa (penso que articulada com a direcção) passou um atestado geral de menoridade aos sócios, o que lamento profundamente.

A direcção pediu um “cheque em branco” aos sócios e nós, sócios, acedemos. Demos (ainda que por omissão) a maior prova de confiança que podia ser dada à direcção. Contudo, que se clarifique desde já que a responsabilidade em negociar um bom acordo para o clube será da exclusiva responsabilidade da direcção, já que a mesma não quis, intencionalmente, partilhar essa responsabilidade com os sócios na definição de um conjunto de pressupostos mínimos da negociação que, em minha opinião, deveriam ter sido aprovados em Assembleia Geral e constar da resolução final. Parece-me que houve medo de "espantar" o investidor com eventuais propostas emanadas pelos sócios, quando se devia saber que, na vida empresarial, quando partimos para uma negociação com alternativas, tal facto só fortalece a nossa posição negocial e, por conseguinte, penso que só beneficiaria o clube não o colocando numa posição de completa subjugação ao investidor. Neste ponto, penso que a direcção podia ter actuado doutra forma e valorizado o clube e os sócios.

Assim sendo, confiemos então no trabalho da direcção que, espero, para bem do clube, das modalidades e dos sócios, tenha em consideração o conteúdo da proposta (ver aqui) do sócio Eng.º Mano Nunes que, lamentavelmente, viu o seu contributo impedido de ser discutido na Assembleia.

Por último, uma palavra para os sócios do Beira-Mar. Ainda bem que compreenderam a importância do momento e foram em peso a esta Assembleia, mas teria sido bom que também tivessem compreendido a importância doutras Assembleias, designadamente, aquelas em que o fim do clube esteve iminente (a partir de Maio de 2008) e as subsequentes em que as sucessivas comissões administrativas lutaram como puderam pela sobrevivência do Beira-Mar, possibilitando chegarmos vivos ao dia de ontem e podermos tomar esta decisão estratégica tão importante. Provavelmente, se tivessem vindo a essas Assembleias, alguns sócios e funcionários (eu identifiquei-os) estavam melhor informados e não tinham tido comportamentos tão tristes e tão pouco dignificantes na Assembleia de ontem relativamente a pessoas que contribuíram imenso para não deixar morrer o clube e que, inclusivamente, garantiram durante largos meses o pagamento dos salários dos funcionários com recurso a dinheiros próprios.

Tenho a expectativa de voltar a estar presente em Assembleias Gerais com muitos sócios para discutir o SC Beira-Mar enquanto emblema eclético, representativo da nossa região, formador de centenas ou mesmo milhares de jovens. Espero que os sócios que ontem se deslocaram ao Auditório António José Bartolomeu só para apupar ou insultar uns e bater palmas a outros também estejam nessas Assembleias dispostos a prestar um contributo mais construtivo ao clube.

VIVA O SC BEIRA-MAR, SEMPRE!

17 comments:

Anónimo disse...

Boas,

perfeitamente de acordo com a totalidade do que aqui escreves.
Achei bastante injusto o que foi feito com a proposta do Eng. Mano Nunes. Fui dos poucos que levantei o braço em favor da sua apresentação. Tal como referiste ontem na AG, o Eng. Mano Nunes já fez muito pelo clube, e isso não pode ser esquecido.
De resto, é de lamentar alguns comentários e atitudes menos correctas de todos, mas em especial de funcionários do clube.

É necessário agora a direcção defender os interesses do Sport Clube Beira-Mar com unhas e dentes, e tentar fazer o melhor acordo. Com o Sr. Pishyar ou outro qualquer. O meu Beira-Mar não são as pessoas, mas sim o clube!

Cumprimentos

Rui Vieira
sócio 652

Francisco Dias disse...

Saí da Assembleia com um sentimento de enorme felicidade, por uma única razão: dê por onde der, sabemos que o Beira-Mar vai continuar vivo independentemente do desempenho da sua equipa de futebol profissional. Concordo contigo Nuno, quando dizes que os sócios deram uma enorme responsabilidade a esta direcção através de um cheque em branco para negociar os interesses do clube. Creio que já deram provas de saber colocar o Beira-Mar acima de qualquer interesse, pelo que espero que estejam à altura do desafio. Entristece-me por outro lado ouvir algumas declarações como "deixamos de ser sócios do Beira-Mar e que o Beira-Mar deixa de ter receitas". É precisamente o contrário! Sabemos que as receitas dos sócios passam a ficar efectivamente no clube, reforçando a sua componente social, ao invés de servirem para pagar a credores ou "investidores" surgidos do nada como a Inverfutbol. Por esse motivo também não posso deixar de lamentar as declarações do Eng.º Mano Nunes a dizer que irá deixar de ser sócio do clube. Subscrevo a tua intervenção na AG e percebo a mágoa de alguém que se sente injustiçado pelo tratamento dos sócios quando tanto deu ao clube, mas a história acabará por recordar a dedicação e esforço pessoal que o próprio assumiu ao pegar no clube quando mais ninguém o queria fazer (e todos sabemos porquê). Espero que tenham sido declarações a quente e que reconsidere a sua posição, independentemente de concordar ou não com a sua visão para o clube.

Olhemos para o exemplo do Portimonense, do Estrela da Amadora ou de outros clubes que descendo para a segunda divisão vão acabar por fechar portas. É acima de tudo isso que estamos a salvaguardar, sendo com um investidor iraniano ou de qualquer outra parte do planeta.
Um abraço.

Filipe Neto disse...

Boa tarde a todos infelizmente por motivos profissionais não pude estar presente na talvez mais importante assembleia dos ultimos anos na vida do nosso clube, finalmente o nosso beira com cerca de 15 anos de atraso dá o passo para a frente em termos do que é o futebol actual, uma máquina económico/profissional inserida numa industria global, isto vai permitir principalmente que o ecletismo do nosso cluba saia reforçado, pelo menos é isso que eu espero, não sendo só o futebol beneficiado embora este passa para outro patamar, continuamos a ser todos sócios do nosso beira,que não é só futebol é muito mais é um simbolo de uma cidade de uma região e um nome importante no panorama desportivo nacional, e os sócios não podem ter medo de a SAD, porque isto é como tudo, nenhum ivestidor lança-se num projecto para perder dinheiro e por isso podemos esperar a tentativa de cada ano vermos a nossa equipa de futebol e a nossa academia melhorar, e também como já referi as modalidades a terem outros meios para enfrentar as suas épocas, se isto correr como eu espero, dentro de cinco anos teremos um beira no futebol para o primeiro terço da tabela nacional constantemente, um basket e um futsal nas divisões principais e uma melhoria considerável nas modalidades individuais

já agora como não estive presente mas sabendo que se pretende oficializar o processo de constituiçaõ da SAD até 31 agosto, foi explicado de que forma é que os sócios podem aceder às futuras acções da Beira-Mar Futebol SAD?

Daniel disse...

Para quem está fora do país, estava à espera deste texto teu, Nuno, para poder verdadeiramente perceber o que se tinha passado ontem na AG.
Obrigado.

Anónimo disse...

Nuno,

A tua intervenção ontem para mim foi a melhor.
Este texto traduz o meu pensamento sobre a AG. Parabéns pela tua lucidez.
Também votei a favor da SAD mas não gostei do que se passou. Haviam muitas pessoas instrumentalizadas que só lá foram para tentar abafar qualquer proposta alternativa.
Isto assim não é democracia. Tamb+em fiquei triste por isso.

Um grande abraço amigo Nuno.

Anónimo disse...

http://www.facebook.com/note.php?created&&note_id=126297040782710

Anónimo disse...

Aveiro, 27 de Maio de 2011


Exmo. Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral,

Venho pela presente manifestar-lhe o meu lamento pela forma como foi conduzida a Assembleia Geral do SC Beira-Mar que aprovou a constituição de uma SAD para o futebol profissional.

Penso que um Clube com 89 anos de história merece ser salvaguardado num processo negocial complexo e exigente como este que aprovámos iniciar, por larga maioria, na Assembleia Geral.

Ao não ter sido submetida à apreciação dos sócios a Proposta que apresentei à Mesa, a qual se inseria na Ordem de Trabalhos estabelecida para a Assembleia e que em nada colidia com a Proposta apresentada pela Direcção, cometeu V. Exaª uma falha grave que, inclusivamente, constitui motivo de impugnação judicial da deliberação aprovada.

Movido pela vontade de contribuir para um Beira-Mar mais valorizado, pretendi, na minha qualidade e direito inalienável de sócio do Clube, apresentar uma Proposta que estava em sintonia com as linhas gerais defendidas pela direcção do Clube mas que, no meu entendimento, defendia melhor o Clube, os Sócios e as Modalidades. No entanto, considero-me desrespeitado pela Mesa ao não ter sido sequer admitida à discussão a Proposta que apresentei e também desrespeitado por alguns sócios que perturbaram os trabalhos.

Lamento que, da parte de V. Exa.ª, Ilustre Beiramarense e profundo conhecedor das dificuldades do Clube e do meu papel ao ter evitado o fecho de portas da Instituição num passado ainda recente, não tenha surgido uma palavra em relação à minha pessoa.

Aproveito ainda esta missiva para esclarecer publicamente a minha afirmação proferida a alguns órgãos de comunicação social no final da Assembleia, a qual se cingia apenas ao âmbito da SAD. Não é, nem nunca foi minha intenção deixar de ser sócio do Clube do meu coração.

Aos sócios e órgãos sociais do SC Beira-Mar, reitero a minha disponibilidade de sempre para continuar a colaborar com o Clube.

José Santana Mano Nunes

JMO disse...

Subscrevo integralmente o que escreveste e por isso abstenho-me de colocar uma nota própria, que pensava fazer.

Cumprimentos
João Oliveira

NB disse...

Caro Nuno,
Subscrevo integralmente este teu texto . Fico satisfeito por ver finalmente a SAD ser aprovada, mas lamento profundamente a forma como foi conduzida a reunião. Não esperava do Dr. Moreira uma atitude destas. Um autêntico atestado de menoridade aos sócios e uma preparação da assembleia que, à boa maneira do "PREC" dos anos de 74 a 76, não permitia que propostas alternativas à apresentada pelas direcções sindicais afectas ao PCP e aliados, mesmo que inofensivas, pudessem ser apresentadas. Uma manipulação inqualificada da assembleia e um atestado de menoridade aos sócios...
Já agora, o Sr. ariano também sabe bem como, sem prometer nada de concreto, obter o aval da maioria dos sócios. Bom dom da palavra, boa apresentação e para já é tudo. Veremos onde chegaremos e com quem. Espero que, como prometeu, ao grupo dos 4 grandes do futebol profisssional. É obra!!! Parece que tem jeito para político.
Finalmente, que a direcção, apesar de tudo, conduza com prudência os acordos finais e que nos dê a todos conhecimento do resultado final dos protocolos e estatutos aprovados para a SAD.
Para os inquietos funcionários(as) desejo as maiores felicidades, mas vão-se prevenindo porque numa estrutura profissional não dá para ficar à espera que lhes digam o que fazer e ficarem paradas.
As modalidades amadoras desenganem-se. Para os proximos 5 anos não haverá nada de novo. Serão do clube como agora, a não ser que se criem também SAD para cada uma delas. Não creio que haja interesse para o clube nesta orientação. O clube tem de se virar para a região e trazer para as modalidades amadoras todos os que se sentirem bem com o SC Beira-Mar.

Anónimo disse...

Espero que este investidor(Dono) seja digno de pertencer a este grande clube.já ficava contente em sermos o 5 maior(melhor) clube.

Vitor Peixoto

Anónimo disse...

Gostaria de colocar algumas questões:

o senhor Pishyar disse quanto ia investir? agora sócio do clube quanto pago para ver a sad jogar? tanbém vou pagar para ver o futsal e o basquetebol? como poderei adquirir acções da sad? o beira mar clube vai disputar o quê? O senhor Pishyar vai construir uma sede para nós como andam a dizer? é verdade que o Joao Alves vai ser o treinador? desculpem mas nao fui assembleia mas fico satisfeito por tanta gente ter ido, ainda bem.

se for possível esclarecer muit obrigado e força Beira

Pedro Rocha

Nuno Q. Martins disse...

Caro Pedro Rocha,

Tentarei esclarecer algumas das suas dúvidas dentro daquilo que é do domínio público relativamente às intenções da direcção quanto à negociação para constituição da SAD:

1º Questão: Valor do investimento:
A direcção assume como pressuposto de negociação que o investidor "limpe" o passivo exigível do clube (cerca de três milhões e setecentos mil euros), montante que não inclui uma dívida de cerca de 1 milhão de euros à autarquia que se encontra em contencioso e que permanecerá na esfera do clube. Atendendo a que a SAD arrancará com um capital social de 1 milhão de euros (valor mínimo que a lei obriga para as SAD participantes na 1ª Liga), o valor global do investimento inicial rondará os 4,7 milhões de euros (este valor poderá baixar durante o processo de negociação do passivo).

2ª Questão: Quanto aos sócios, sabemos que a quotização será uma receita exclusiva do clube. Não sabemos nada se a direcção pretende salvaguardar, em sede de negociação com o investidor, eventuais descontos para os sócios nos jogos de futebol.

3ª Questão: O Futsal e o Basquetebol (até decisão em contrário) continuam com as suas estruturas amadoras, ou seja, inseridas no clube. Hoje em dia paga-se para ver os jogos do futsal e não se paga para ver os jogos de basquetebol.

4ª Questão: Aquando do processo de constituição da SAD, os sócios serão convidados a subscrever acções até ao máximo de 5% do capital da sociedade.

5ª Questão: O Beira-Mar, enquanto clube, poderá participar nas competições e nas modalidades que a direcção assim o entender, excepto nas competições profissionais de futebol que passam a ser do exclusivo âmbito da SAD.

6ª Questão: Sobre a construção da sede desconheço qualquer compromisso nesse sentido assumido pelo Sr. Majid Pishyar.

7ª Questão: Quanto ao treinador da equipa profissional de futebol, segundo informação avançada pela direcção, continuará a ser o Rui Bento.

Espero ter ajudado no esclarecimento.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

O Presidente da ASSEMBLEIA dr Moreira está a ser injustamente comentado... mas nós os sócios, estamos cá para dizer ao Dr Moreira que como presenciou a nossa opinião é muito diferente. Sentimo-nos respeitados...conduziu bem e muito bem. O sócio foi quem mais "ordenou"...tanto quando votaram NÃO, como quando votaram SIM como quando mostraram claramente que não queriam mais nenhuma proposta...confiamos nesta direcção e sabemos que agem com as melhores intenções...vocês é que insistiam em mostrar o que os sócios vos estavam a dizer que não queriam...eu senti que estavam a impor algo que não queríamos. Metade mais um...a partir daqui maioria. Respeitem as regras da democracia. Quando vocês afirmam que a mesa nos passou um "atestado geral de menoridade" não corresponde de todo à verdade...vocês é que estão a usar esse termo e afinal não querem respeitar a opinião da LARGA maioria dos sócios. Eu que habitualmente gosto de ouvir Nuno Martins porque acho que verbaliza muito bem, embora nem sempre concorde mas admito que é um excelente orador...fiquei incomodado com o tom irónico, até sarcástico com que usou da palavra..."...quando o sr Iraniano pegar neste caderno...fulano vai ter que traduzir..."; "os sócios têm falta de cultura democrática..."; bom só para dizer que a ser discutida a vossa proposta era por vós, entre vós , para vós...sabe o que disse Américo Tomás quando lhe deram ordem de prisão? "desta vez ganharam vocês!" e aceitou as evidências ao contrário de outros em que a revolução já estava na rua e continuavam a negá-la. Quando usou da palavra (com ironia) só me lembrava da frase: "orgulhosamente sós". Seja feliz!

Anónimo disse...

Então? Doeu ler a verdade? ... afinal os incultos das regras democráticas até conseguem ver ironia e sarcasmo nessa intervenção não é?...mas eu compreendo...só espero que isto vá aumentar não o seu capital lexical porque felizmente já é farto, mas que lhe sirva de apredizagem...ao dispor

Anónimo disse...

É PRECISO ACABAR COM ESSAS ILUSÕES PATÉTICAS DO 5º OU 4º MELHOR CLUBE E FOCARMO-NOS NA REALIDADE: SOMOS O PRINCIPAL CANDIDATO Á DESCIDA E TEMOS MUITO QUE PENAR PORQUE A CONCORRÊNCIA É FORTE. ALÉM DO MAIS NÃO TEMOS O LEONARDO "MILAGREIRO". ESTOU COM O INVESTIDOR, MAS MUITO PREZO O ENGº MANO NUNES. É PRECISO TER OS PÉS BENS ASSENTES NO CHÃO E TRABALHAR MUITO, MAS MESMO MUITO PARA OBTER OS RESULTADOS QUE PRETENDEMOS, ISTO É A MANUTENÇÃO. RUI BENTO, POR AGORA É UM PROBLEMA E NÃO UMA MAIS-VALIA.
FORÇA BEIRA!

S.Cruz disse...

"Parece-me que houve medo de "espantar" o investidor com eventuais propostas emanadas pelos sócios, quando se devia saber que, na vida empresarial, quando partimos para uma negociação com alternativas, tal facto só fortalece a nossa posição negocial e, por conseguinte, penso que só beneficiaria o clube não o colocando numa posição de completa subjugação ao investidor." Isto é o problema de ter amadores a dirigir. Pior, e com contornos de idiotice, é perguntar quanto dinheiro é preciso investir para fazer o clube campeão!! Clube que anda à anos com a corda ao pescoço. É de garotos.

Fico contente por ver uma luz ao fundo do tunel, mas espero para ver antes de esfregar as mãos.
Não estive na assembleia, mas a pintarem assim, já não é a primeira vez que os sócios são instrumentalizados. Basta esfregar a maça no focinho do burro que ele avança.

Jaime Queiroz disse...

Austria
Admira-Wacker

"Since Iranian Majid Pishyar bought the club in December 2004 the number of Iranians playing for the club has dramatically increased. In addition, Heshmat Mohajerani, a well known Iranian football manager became part of the club's executive committee. Majid Pishyar tooks the club in a new financial disaster. He left the club in 2008."

Nice !