Arquivos

sexta-feira, 2 de março de 2012

Majid Pishyar na revista Visão

A revista semanal Visão, desta Quinta-Feira, dá um enfoque de duas páginas sobre a figura de Majid Pishyar, e não pelas melhores razões: falsas promessas pelas instituições desportivas por onde passou, falência de clubes, apreensão por parte de quem confiou nele e um mal-estar geral entre os adeptos e sócios, quer do Servette quer, agora, do Beira-Mar, isto porque o Admira Wacker (ou Manchester United da Áustria, como um dia MP prometeu tornar o clube daquele país) já sofreu na pele o rude golpe da insolvência e extinção, provocado pela falta de capital, supostamente garantido pelo nosso amigo iraniano. Desta forma, em 2007 (três anos volvidos desde a chegada ao “poder”), Pishyar conseguiu o impensável: afundar um clube histórico, com 8 títulos de campeão da Áustria, com uma dívida de 3,7 milhões de euros.

Nem de propósito: o artigo da Visão saiu no mesmo dia em que o Servette, na pessoa de Majid Pishyar, declarou insolvência. Na próxima semana o Tribunal poderá decretar a falência do segundo clube mais titulado da Suíça. Por Aveiro, no Beira-Mar, a apreensão é cada vez maior.

Promessas em vão ou, simplesmente, falsas promessas: é assim que tem funcionado o "investidor" da Pérsia de "barba grisalha sempre impecavelmente aparada."

10 comments:

Sérgio Cruz disse...

Quem é o artigo da Visão?
Achas que 3,7 milhões de dívidas é alguma coisa compado com o Passivo do Zpoteng, Puorto ou Lâmpioes? Tomariam eles.

Anónimo disse...

Estamos no olho do furacão.
O barco, torto, a ir ao fundo e o Regala a dizer que não passa nada e alguns pistoleiros a aproveitarem-se dando uns tiritos no casco.

Jota disse...

O artigo da Visão é por si só falseado, e mais ainda o é a opinião de alguém que pretende única e exclusivamente incendiar os ânimos com as descrições lançadas no post.

O Admira Wacker já tinha dívidas antes da tomada de posse, assim como o Servette e o Beira-Mar.

Não sou defensor nem acusador de nada nem ninguém, mas que me lembre o Beira-Mar estava afundado em dívidas e processos ainda antes da tomada da SAD por este Sr, e que igualmente me lembre, não apareceu ninguém disposto a saldar essas respectivas dívidas.

Repito, o artigo da Visão é por si só inconclusivo e incompleto, e o autor deste post deveria igualmente pesquisar antes de lançar as "farpas" baseadas nesse mesmo artigo. Mas já todos estamos habituados ao mais do mesmo. Primeiro era o Rui Bento, como esse já se foi...

Cumprimentos

Anónimo disse...

http://beira4ever.blogspot.com/

Anónimo disse...

os tachistas andam aflitos

João Pinho disse...

Só queria deixar um conhecimento científico:

O olho do furacão é o local mais seguro de todos!

Anónimo disse...

Acordei com um dia chuvoso, pode ser que esta chuve refresque as cabeças.

Anónimo disse...

Está visto que Majid Pichyar é passado. A assembleia geral deveria ser para discutir o futuro mas ao ler a blogosfera preparam-se ataques serrados das várias tribos.
Quanto ao futuro deve ser acautelado pelo clube e não por empresários gananciosos (no bom sentido, eles fazem o seu trabalho, não tem culpa de quem os utiliza).
Quanto ao passado é discutir pavilhão, a sede, as piscinas, a sad, os negócios das vendas de jogadores, os pagamentos de altos serviços prestados, atc vai ser mau e feio.

Anónimo disse...

E o Rui Bento era muito competente, não era Jota?...Pois é, há gentinha a ver o tacho a fugir...e que quer branquear que este senhor iraniano é hoje dono da SAD porque prometeu pagar essas tais dívidas que já existiam...

Jota disse...

Caro Anónimo das 11:16,

Os únicos tachos que conheço são os que se encontram na cozinha, ou na cabeça de alguns anormais que os utilizam para parecerem mais inteligentes do que aqueles que utilizam palas (também denominados de burros).

Não tenho, nem quero ter, nada a ver com qualquer tipo de direcção do Beira-Mar. Sou apenas um mero adepto, que ainda se julga num país de direitos adquiridos, e que portanto tem o seu próprio direito a comentar com educação o que bem entender.

A prova de que o Rui Bento era o maior culpado vê-se na copiosa derrota de ontem em Vila do Conde. Ou também foi o homem que motivou as tropas para tão importante embate?

As palavras do Ulisse Morais no final do encontro dizem tudo. Há jogadores que não estão com o clube, e isso não é de todo na minha opinião culpa do anterior treinador.

O resto são palas e tachos na cabeça de quem de direito.

Cumprimentos