Arquivos

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Reconstruir a Nau...

Independentemente das pessoas que venham a constituir a Comissão Administrativa a eleger na próxima Assembleia Geral, penso que é importante que se definam e clarifiquem as linhas estratégicas que devem orientar a actuação da CA.
Na minha opinião, o objectivo fundamental deverá passar por devolver ao clube a sua credibilidade. Para tal, é indispensável conhecer, com exactidão, a dimensão do problema económico-financeiro com vista à elaboração e aplicação de um plano de saneamento financeiro. As prioridades devem ser:
Proceder, com urgência, ao pagamento dos salários dos funcionários e atletas do clube;
Regularizar a situação do clube junto do Fisco e da Segurança Social;
Liquidar dívidas que impeçam a inscrição do clube nas competições profissionais de futebol;
Estabelecer uma plataforma de diálogo com a CMA e a EMA procurando, com independência e elevação, encontrar soluções cooperantes com aquelas entidades;
Preparar a nova época desportiva (definir orçamento do clube, reestruturar o plantel profissional de futebol, etc.)
Mobilizar os associados para participarem activamente no projecto de recuperação do clube;
Criar condições para que se realizem eleições para os órgãos directivos assim que possível.
-
Nestes termos, deverão os sócios incentivar aqueles que reúnem as condições necessárias para levar a cabo esta dificílima "empreitada". Trata-se de uma verdadeira missão de salvação do clube, a qual exigirá um grande espírito de sacrifício e capacidade (financeira e de gestão) por parte daqueles que a venham a assumir.

2 comments:

Daniel disse...

Com tanto para fazer, vai ser dificil estabelecer prioridades. O segredo residira' na capacidade de se rodearem das pessoas certas, com a motivacao alta e as ideias claras de como e quando fazer o que.

A parte de pagar dividas a funcionarios, atletas, fisco, seguranca social e outros vai precisar ou de fundos pessoais ou uma ginastica financeira mais flexivel que a Nadia Comaneci.

Ha' um ponto que para mim e' fundamental e que nao aparece na lista em destaque (apenas implicito). A reducao de custos e aumento da receita a muito curto prazo. Continuo a achar que a forma mais eficaz de o fazer e' o regresso ao antigo Mario Duarte, tendo a vantagem adicional de colocar pressao nas forcas politicas da cidade (e nao so' em quem esta' 'a frente da Camara) para que cheguem a um entendimento e cumpram com o que esta' protocolado.

Ha' uma coisa que e' bom que se passe com clareza para a opiniao publica. O Beira-Mar, nesta questao do protocolo com a CMA, no passado, no presente e no futuro, nao deve estar de mao estendida. Nao pedimos a ajuda de ninguem. Exigimos apenas que se cumpra o que foi acordado. Recorrer a penhoras e outros instrumentos judiciais deveria ser uma opcao de gestao va'lida a ser considerada.

Anónimo disse...

Só não estou de acordo com o 5º ponto, não há tempo à espera de entendimento e diálogo, porque foi o que se fêz durante estes últimos três anos.
Temos de exigir o que a Câmara deve ao Beira Mar, caso contrário, entrega-se-lhe as chaves do clube,
aliando-se aos coveiros do nosso Beira.