Arquivos

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

(Direito de) Resposta de Nuno Patrão

Ontem fui contactado pelo empresário Nuno Patrão que se mostrou algo indignado com o último post que aqui fiz, embora ainda não o tivesse lido (havia sido alertado por pessoas), nomeadamente acerca das palavras do antigo Presidente-Adjunto, António Cruz. Se fosse hoje voltaria a escrever o que escrevi (sustentado pela “bengala” de Almada Negreiros), contudo admito o erro de ter ouvido somente o ex-dirigente do clube sem ter escutado a versão de Nuno Patrão. Mas também julgo que não seja grave: os erros acontecem e como ando nestas andanças há pouquíssimo tempo ajudam-me a aprender qualquer coisita. Mas adiante. Nuno Patrão já me havia dito que não lia blogues nem periódicos, no sentido que gosta de realizar o seu trabalho sem influências, nem se chatear com algumas situações. Contudo, ontem, abriu uma excepção já que lhe foram fazer “queixinhas” de um post que nada tem de mal, tirando, lá está, o facto de ter escutado somente uma das partes, tal como referi.
Sobre quem lhe foi fazer “queixinhas” pouco interessa saber quem foi: a corja, faminta de protagonismo mas cheia de (pseudo) vaidades, gosta de provar a falta de moral e valores. É para o lado que durmo melhor.

Já se sabia que a relação entre António Cruz e Nuno Patrão não era, manifestamente, a mais saudável, e dúvidas existissem os acontecimentos de Domingo provaram isso mesmo. O braço-direito de Majid quis esclarecer, especialmente, dois pontos: estágio da pré-época e o tema da agência de viagens que prepara as viagens da equipa à Madeira.
Segundo Nuno Patrão “o estágio estava marcado para Cantanhede, com custos razoavelmente baixos.” No entanto surgiu a possibilidade da equipa ir para Gouveia, e como Patrão é amigo pessoal do Presidente da Câmara local, Álvaro dos Santos Amaro, conseguiu com que “o estágio ficasse praticamente de borla.” Pelo que afirmou nunca esteve contra a ida do Beira-Mar para Gouveia, antes pelo contrário.
Por outro lado foi, com efeito, escolhida, para tratar das viagens à Madeira, uma agência da Figueira da Foz, cujo proprietário é amigo pessoal de Nuno Patrão (preferiu não dizer o nome da mesma, o que respeito). “Tal escolha deve-se ao facto dessa mesma agência ter dado a possibilidade de pagamento das deslocações em Janeiro, três ou quatro meses depois da data dos jogos, ao contrário de outras.”


Nuno Patrão solicitou-me para nada colocar aqui sobre esta espécie de declaração de interesse ou “direito de resposta”. No entanto achei coerente fazê-lo, a bem da transparência.

Tive o cuidado de lhe sugerir, ainda e uma vez mais, a sua comparência na AG de Segunda-Feira, muito menos não seja na condição de convidado, tendo em conta que não é associado. Mostrando-se irredutível na decisão de não ir aconselhei-o, pelo menos, a reflectir sobre essa possibilidade. A ver vamos.

5 comments:

Anónimo disse...

Isto são faite-daivares.
O relevante, pelo significado, foi a presença do António Regala na apresentação do Treinador.
Significa que está disponivel para liderar e não se deixar entalar sussecivamaente, por culpa dos seu próprios diretores da sad, tal era a incompetencia.
Pode ser tarde para corrigir factos graves, mas espero que se não os corrigir até á próxima assembleia, os denuncie quantificando e responsabilizando.
Rui Seabra

C. Slva disse...

Há uma falha grave do Pedro - porque razão não questionou o Patrão de ainda não ser sócio do Beira-mar? Se for por causa do dinheiro das quotas faz-se uma vaqyuinha e prontos.

Anónimo disse...

O Patrão ainda te dá baile.
Pergunta-lhe quanto dinheiro já extorquiu ao Beira Mar e ao Majid.
Extorquiu, repito,não é o ganho contratualmente.

Gina de Aveiro disse...

O problema essencial deste senhor é ser de Coimbra.

Anónimo disse...

O problema desse Senhor é ser aldrabão!