Arquivos

domingo, 8 de abril de 2012

Notas da Páscoa auri-negra

Devo reconhecer que o jogo na última Sexta-Feira transformou-se numa agradável surpresa. Não tanto pela qualidade de jogo que, na minha opinião, o Beira-Mar não possui (aponto responsabilidades a quem construiu e dirigiu o plantel durante 2/3 da época), mas sobretudo pela atitude evidenciada em campo pelos atletas. Num "mar" de adversidades, a equipa soube reagir e procurar a felicidade com uma garra que andou arredada durante muitos jogos esta época. Pela primeira vez, este Beira-Mar conseguiu uma "reviravolta" no marcador. A expulsão do Zhang penso que foi o momento-chave da partida, ao desencadear a revolta dos jogadores e dos adeptos auri-negros. Pareceu-me que os jogadores sentiram bastante o apoio que partiu das bancadas. Quanto à arbitragem, Pedro Proença confirmou em Aveiro uma ideia que eu já tinha. É que os árbitros portugueses que são internacionais, quando dirigem jogos das competições europeias, geralmente primam as suas actuações pela discrição e sobriedade. Quando atuam em solo português, a sua vaidade e arrogância impede-os de realizar bons trabalhos, passeando-se nos relvados como se de vedetas se tratassem, puxando para si o protagonismo dos jogos. É triste, mas é uma evidência que salta à vista nos Olegários, Sousas, Proenças e outros.
-
Noutro âmbito, não quero deixar de fazer três referências. A primeira, para a equipa sénior de futsal que consquistou hoje a presença na Final Four que apurará o vencedor da Taça Distrital de Aveiro, ao vencer em casa o CD Feirense por 7-4.
Decorreu este Sábado, na Assembleia Municipal de Aveiro, o lançamento do Livro "Pisa e o Beira-Mar". Uma obra da autoria da filha do ex-técnico Beiramarense que retrata o Beira-Mar e o envolvimento do clube, dos seus jogadores e da cidade na década de 60. O livro está muito interessante e bonito. Recomendo.
Por último, mas não menos importante, recordar que o Beira-Mar celebra este ano o seu 90º aniversário e, no próximo dia 13 de Abril (Sexta-Feira), realiza-se um jantar de celebração no qual a direção distribuirá os emblemas de prata e ouro aos sócios com 25 e 50 anos de filiação, respetivamente. Inscrevam-se!

7 comments:

C. Silva disse...

Onde posso comprar o livro?

Nuno Q. Martins disse...

C. Silva,

Não tenho conhecimento de alguma informação "oficial" para lhe dar, mas admito que o livro esteja à venda no jantar de aniversário, bem como, nas Lojas Amarelas. Eventualmente, também poderá (eu acrescento deverá) ser colocado à venda nas livrarias de Aveiro e de âmbito nacional.

Anónimo disse...

Este blog é deveras preocupante pela falta de visão que tem ou mesmo por alguma demência que assiste a quem por aqui escreve!
É a era da internet e toda a gente tem direito a ter opinião, mas algumas são tão perturbadas pelo ódio pessoal e pela falta de maturidade que resultam em lixo ortográfico!
Como adepto do Beira-Mar, só tenho que agradecer a quem dirige os destinos do clube pelo trabalho que estão a realizar, independentemente de não serem de Aveiro (como seria desejável)! Passo a explicar:
a) Cá muita gente fala e tem opinião mas não passam de "rabejadores"! Na pega os méritos vão para os forcados da frente... e esses por cá não abundam!
b) Basta fazer um exercício de memória para reparar que a época passada e esta, são a 2ª e 3ª melhores épocas dos últimos 10 anos do Beira-Mar na 1ª divisão, conseguindo a manutenção sem ter que usar a calculadora nas últimas jornadas;
c) O Beira-Mar é das equipas que mais portugueses apresenta em campo! Se para muitos isso nada significa... para mim, que não sou xenófobo, é de louvar;
d) O Beira-Mar vai assegurar a manutenção com vários jogadores que vieram de campeonatos inferiores ou que ainda não se tinham afirmado na 1ª divisão. Ajudaram o clube e provavelmente serão valorizados e quem sabe, poderão constituir mais valias financeiras para o clube!

Nesse sentido, parece-me bem evidente que está a fazer um bom trabalho!
É triste ainda que haja mais comentários ou post´s nos momentos menos bons do que nos momentos positivos... elucida claramente que energias movem quem por aqui passa!

VIVA O BEIRA-MAR E VIVA OS VERDADEIROS BEIRAMARENSES!

Nuno Q. Martins disse...

Ao Sr. Anónimo das 17:23


Não me vou dar ao trabalho, sequer, de responder ao que escreveu por dois motivos óbvios:

1º Não reconheço Beiramarismo em nenhum anónimo;
2º Pelo seu escrito completamente desenquadrado do conteúdo do post e profundamente desconhecedor da história do Beira-Mar, torna-se óbvio percecionar quem é que se move por ódios pessoais.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Desconhecedor da história do Beira-Mar? Se a fundamentação dessa afirmação está relacionada com o único facto histórico que menciono no meu comentário (classificações dos últimos 10 anos), investigue um pouco mais. O meu comentário é uma visão a este blog em geral, não ao post onde o coloquei. Nesse aspecto, tem toda a razão!
Só mais um aspecto: vi os últimos 4 jogos do Beira-Mar ao vivo e destacadamente, a pior arbitragem foi a do já nosso conhecido Jorge Sousa! Foi curiosa a reacção à arbitragem dele neste blog... até parece que houve gente satisfeita com o que ele fez durante o jogo em que dizimou o Beira-Mar... na nossa casa!
Já quando os resultados são vitória, os árbitros passam a inimigos públicos (também não estiveram bem na Feira e agora com a Académica)!
É o tal ódio de que falo que deturpa o raciocínio! Atacam-se uns e outros conforme as conveniências!
Mas vocês ainda são muito novinhos... vão ter muito tempo para passar das palavras aos actos se Deus quiser! E eu, como beiramarense cá estarei a apoiar! Porque o clube está sempre acima das pessoas, sempre esteve! Infelizmente nem todos pensam assim e já por ali passou muita gente por pura afirmação pessoal/social!
Lanço-vos ainda um desafio: publiquem a evolução do passivo do Beira-Mar nos últimos 15 anos...
SAUDAÇÕES AURINEGRAS

Nuno Q. Martins disse...

Vamos lá ver se nos entendemos:

1º Este blog tem um painel de colaboradores. Todos são livres de escrever o que bem entenderem. Não existe nenhuma “cartilha” a seguir. Talvez por as pessoas dizerem/escreverem o que pensam sem qualquer alinhamento e não se moverem por interesses pessoais, crie constrangimentos a quem está na estrutura do clube comprometido com esse tipo de interesses. Aqui, pelo menos, quem nos visita sabe que a malta vive o Beira-Mar, mas não vive do Beira-Mar.
Saiba, também, que este blog foi criado em 2005 e sempre teve uma postura interventiva e crítica na vida do clube, designadamente, aquando da gestão dos atuais exequentes do clube. Nessa altura, não me lembro doutras pessoas se insurgirem contra aquela gestão que condicionou de forma irreversível toda a história subsequente do clube. Lá está, o anónimo não tem memória…

2º Referiu os últimos 10 anos, mas a minha memória permite-me uma amostra de 20 anos sem necessidade de qualquer investigação. Vivi boas épocas do Beira-Mar na 1ª divisão/1ª liga, bem mais entusiasmantes e com melhores resultados do que esta. Não valeria a pena repetir-me agora, fora de tempo, não fosse o seu comentário descolocado, mas escrevi no BN e afirmei-o publicamente, em devido tempo, que gostei bastante do desempenho da equipa de futebol na época passada. Aliás, quem acompanha o clube, sabe que sempre fui um dos adeptos mais fiéis no acompanhamento dos jogos, tanto em casa, como fora. Dava gosto ver a equipa a jogar, algo que já tinha sentido, de igual forma, na época anterior (ano da subida).

3º Reafirmo que não consegui vislumbrar maior competência desta SAD na composição do plantel deste ano comparativamente com algumas gestões anteriores do clube, a menos que o termo de comparação seja o período em que fomos dirigidos pelos atuais proprietários do pavilhão. No entanto, mal andamos se tivermos por referência os piores exemplos.

4º Sobre a questão do passivo, saiba que tenho como referência a gestão equilibrada que foi apanágio do clube entre 1998 e 2005, em que o Beira-Mar era considerado, em Portugal, um exemplo de gestão.

5º Por último, não posso deixar de registar a sua alusão aos forcados e aos “rabejadores”. Se o caro anónimo fosse uma pessoa com memória, bem saberia que, em 2008, o Beira-Mar viveu um período de vazio diretivo e esteve à beira de extinguir o futebol profissional e, por conseguinte, cair numa situação que dificilmente teria outro desfecho que não o da insolvência. Lembre-se desse período terrível (de Abril a Junho) e de quem tudo fez para encontrar uma solução diretiva e financeira que permitiu ao clube sobreviver.

Lembra-se que, em Junho de 2008, o
Beira-Mar estava na 2ª liga (sem perspetivas de receitas) e dependia da regularização urgente de cerca de 300 mil euros para se inscrever na Liga Vitalis? Lembra-se de terem sido necessárias várias Assembleias para se conseguir encontrar uma solução diretiva? Lembra-se do compromisso assumido por José Cachide, em plena AG, de não prejudicar a gestão do clube? Lembra-se do plantel ter sido constituído em cima do joelho e do esforço que foi feito para ir repescar atletas que eram símbolos recentes do clube para o reaproximar dos sócios e adeptos? Lembra-se do trabalho que foi feito por um conjunto de Beiramarenses que, de forma graciosa, trabalharam em projetos que faziam com que os jogos do Beira-Mar, na 2ª liga e sem perspetivas de subida, tivessem assistências de quase 4 mil espetadores sem ser necessário andar por aí a espalhar borlas e a desmerecer os sócios que pagam as suas quotas e o bilhete anual?

Lembra-se de quem, em 2010, defendeu que o futuro do SC Beira-Mar passava pela constituição duma SAD e deu a cara, em Assembleia Geral, por essa ideia?

Devolvo a saudação aos verdadeiros Beiramarenses, mas àqueles que têm memória. Pois aqueles que não a têm, a menos que seja por questões de saúde, não creio que sejam assim tão “verdadeiros”.

Nuno Q. Martins disse...

Só mais duas notas, em jeito de adenda, ao meu comentário anterior:

1ª As críticas que dirigi ao comunicado da SAD no final do jogo com o Nacional da Madeira mantenho-as no que concerne ao levantamento de suspeitas sobre o adversário, após o jogo e não concretizando as mesmas. Insisto, classifico tal atitude como lamentável e cobarde.

2ª Quanto à estratégia de valorização de jogadores estou inteiramente de acordo. No entanto, tal não será interessante para o clube, porquanto durante oos primeiros cinco anos de vida da SAD 90% da receita proveniente da alienação de jogadores pertencem ao investidor.