Arquivos

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Carta Aberta do "Beira-Mar Transparente"



O Grupo Beira-Mar Transparente deu conhecimento público de uma carta aberta, tendo convidado todos a assinarem a mesma. Aqui fica, bem como o link para o site onde está a forma de assinar a carta.
---
Exmº Sr. 
António Regala 
Presidente do Sport Clube Beira-Mar, 

Senhor Presidente, 

Gostávamos que esta missiva tratasse exclusivamente do encorajador e histórico resultado do futebol profissional na Madeira e que a nevoaça fosse exclusiva da Choupana. Contudo não é possível. O último resultado não acautela o futuro, não escamoteia realidades alarmantes e não afasta as nuvens negras que pairam sobre o nosso Clube. 

O nosso fervor beiramarense não nos precipita, porém, em juízos que possam ser injustos. Acreditamos que a Direcção possa ter explicações boas para dar. Gostávamos de perceber o que se está realmente a passar. Estamos alerta e inconformados. 

Infelizmente nos últimos tempos vieram a público notícias que nos envergonham, humilham e desrespeitam o passado do Sport Clube Beira-Mar. 

Senhor Presidente, 

Temos vindo a registar afrontas clubísticas várias: as penhoras sobre a receita das quotas dos poucos sócios-pagantes, a penhora sobre o autocarro do Clube, a perda para os credores privados do penhorado pavilhão – único património imobiliário relevante do clube. 

O Beira Mar, num repente, vê-se sem o dinheiro das quotas, corre o risco de ficar sem transporte para a equipa de futebol e ficou sem o recinto para as actividades amadoras. Não se vislumbra solução de futuro. O Senhor Presidente deve uma explicação aos sócios sobre aqueles dolorosos factos, mas, também sobre outras questões decisivas para a sobrevivência do Clube. 

Concretizando: é ou não verdade que, ao contrário do que foi prometido na Assembleia Geral de constituição da SAD - Maio de 2011 -, o passivo do clube e o pavilhão não foram salvaguardados no contrato de constituição da SAD? Mas, se foram, está ou não a SAD em incumprimento em relação ao acordado no contrato de constituição da SAD, estando, por exemplo, o passivo por liquidar? É ou não verdade que o Senhor Presidente pode fixar legalmente um prazo limite para que o faltoso cumpra? Porque é que ainda o não fez? Considera que a contratação pela SAD de jogadores agenciados por administradores da própria SAD garante o superior interesse do clube? Pode confirmar se o dinheiro das quotas de Julho e de Agosto de 2011 já foi restituído ao clube, depois de ter sido erradamente canalizado para a SAD? Como explica que, à semelhança do ano passado, se viole o prazo estatutário para reunir a Assembleia Geral Ordinária? Porque razão não se defenderam os interesses do clube aquando da penhora sobre o pavilhão, tendo inclusive o clube faltado a audiência em tribunal que se debruçava sobre essa questão? Existe ou não abertura por parte do investidor incumpridor a vender a posição detida na SAD? Um dos Administradores da SAD afirmou que se a equipa de futebol profissional descer de divisão, o investidor não terá interesse em manter o investimento. Que alternativas é que a Direcção do Beira Mar vai acautelar se tal vier a suceder? 

Senhor Presidente, 

Muito francamente, não se sente enganado, como todos nós, por quem acenou com milhões e resultados ambiciosos? 
Sabemos que gosta do clube e não acreditamos em cumplicidades prejudiciais da sua parte. Esperamos que exista abertura da sua parte para reconhecer os erros e as consequências para o Clube e para construir, com todos os sócios, soluções alternativas à actual. 

A Direcção do nosso Clube merece-nos respeito. Mas respeito não implica resignação. Os factos estão aí para mostrar que não basta ser sério. É preciso saber evitar os saques e o delapidar do património do Clube. Se é certo que o desinteresse dos adeptos pelo clube tem vindo a aumentar, também é certo que os sobreviventes merecem explicações. Se é certo que a CMA não tem tido um comportamento cooperante com o clube mais representativo da região centro, também é certo que urgem soluções que reatem essa colaboração estratégica. Se é certo que mesmo depois da constituição da SAD os problemas têm vindo a agudizar-se, também é certo que cabe à Direcção apresentar soluções alternativas que garantam a existência do clube. Se é certo que o arrendamento do pavilhão permite a existência temporária das modalidades fruidoras do equipamento, pelo menos até ao final do ano, também é certo que persiste a inexistência de uma solução que acautele o futuro. Se é certo que o clube decidiu contratar jogadores oriundos de mercados emergentes, objectivando prudentemente a venda de “merchandising” para esses países, também é certo que o objectivo não foi alcançado, continuando a loja “online” por criar. 

Senhor Presidente, 

Outras questões podiam aqui ser suscitadas, como o aumento extemporâneo dos salários de alguns funcionários da SAD, ou o prometido 4º lugar no campeonato de futebol, ou a contratação por familiares de familiares para trabalhar no clube, bem como a ausência sistemática do investidor no nosso clube, ou a visível falta de cumplicidade entre o clube e a SAD. No entanto ficaríamos já satisfeitos se esclarecesse o que acima foi descrito. No fundo, que seja consequente com aquilo que disse publicamente: “Estou disponível para prestar todos os esclarecimentos” in O JOGO de 9 de Fevereiro. 

O Senhor Presidente “nasceu à beira-ria e foi apadrinhado pelo mar” é tempo de mostrar a “valentia e a vontade de triunfar”. Tem um “nome a defender e uma cidade para honrar, para a frente sem tremer, Beira-Mar, Beira-Mar”! 

O grupo “Beira-Mar Transparente” e subscritores,

Os signatários

0 comments: